https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/issue/feed Escritas do Tempo 2021-09-20T12:09:48+00:00 Equipe Editorial escritasdotempo@unifesspa.edu.br Open Journal Systems <div align="justify"> <p>A Revista Escritas do Tempo nasce com uma das primeiras ações do Programa de Pós-Graduação em História (PPGHIST) da Unifesspa, constituindo espaço especializado para publicação de artigos, dossiês, entrevistas e resenhas. Trata-se de uma revista online de <strong>acesso aberto</strong>, imediato e gratuito, com fluxo contínuo de recebimento de propostas de publicação, permitindo diferentes perspectivas de análise, sujeitos históricos, interrogações, reflexões, temas e temáticas de estudo, por diferentes ângulos teóricos e metodológicos.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <div align="justify">&nbsp;</div> </div> https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1671 Editorial 2021-09-20T12:09:48+00:00 Karla Leandro Rascke karla.rascke@unifesspa.edu.br Erinaldo Vicente Cavalcanti ericavalcanti@unifesspa.edu.br Geovanni Gomes Cabral geocabral22@gmail.com Marcus Vinicius Reis mv.historia@gmail.com 2021-08-27T18:37:34+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1673 Apresentação do Dossiê Temático "História e Literatura: aproximações e diferenças" 2021-09-20T12:09:46+00:00 André Furtado furtado1989@gmail.com Anna Coelho annacarolinaabreu@unifesspa.edu.br <p>No trecho em epígrafe do poema intitulado <em>The village</em> (1783), de autoria do inglês George Crabbe (1754-1832), descortina-se um contraste, segundo os especialistas e seus intérpretes, entre as formas de representação de uma narrativa bucólica da Antiguidade, do Neoclassismo e de sua própria escrita, pois “Tal como manda a verdade”, diz a passagem – conforme a nossa tradução livre – “eu retrato os campos e não como cantam os bardos em seus cantos”. Ou seja, para o poeta, de certa forma seu texto figura como alegoria de um determinado tempo e espaço, de acordo com os estudos de Raymond Williams (1921-1988) sobre as literaturas do campo e da cidade, quase antecipando, portanto, algumas das premissas básicas que, posteriormente àquele século, seriam firmadas e, hoje, acham-se ainda perenes junto ao ofício de historiador(a). Assim, o presente Dossiê, na trilha do poema setecentista, propõe-se a refletir sobre as possibilidades do estabelecimento de laços entre a História e a Literatura, atento às suas aproximações e diferenças que emergem, paulatinamente, seja à boca pequena ou com mais estardalhaço, feito porta-vozes de cada época, dando a ler ao mundo as suas conexões.</p> 2021-08-27T21:04:23+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1632 Cartas de Erasmo ao Imperador sobre a emancipação: José de Alencar e o cultivo da dependência entre senhores e escravizados 2021-09-20T12:09:48+00:00 Cristina Ferreira cliocris@gmail.com <p>Entre 1867-68, circulou no universo letrado brasileiro, a terceira série das <em>Cartas de Erasmo</em>, com três missivas “Sobre a Emancipação”, destinadas ao Imperador D. Pedro II. O artigo procura examinar em detalhes os sentidos das narrativas literárias dessas cartas abertas, debatendo as polêmicas entre a legislação sobre a escravidão e a imigração estrangeira para o Brasil, no contexto do processo de emancipação dos escravos. O escritor apontava como única proposta possível de transição entre a escravidão e a liberdade, o cultivo das relações de dependência entre senhores e escravos, operadas por meio da mudança nos costumes e na índole da sociedade, em um processo que “adoçava” o cativeiro, transformado em servidão até chegar à ausência de amparo dos escravocratas, que resultaria na redução do domínio senhorial e, paulatinamente, assumiria a forma de “tutela benéfica” dos escravos e libertos.</p> 2021-08-27T18:57:30+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1638 Anna Howarth e as guerras das fronteiras: literatura, lei de terras e colonialismo em Sword and Assegai (África do Sul, década de 1890) 2021-09-20T12:09:47+00:00 Evander Ruthieri da Silva evander.ruthieri@gmail.com <p>O período entre as décadas de 1870 e 1890 marcou um contexto de transformações sociais e políticas nos territórios localizados ao sul da África, ocasionadas pela expansão econômica e territorial decorrente das atividades na mineração e agricultura. Diversas medidas foram adotadas pelo colonato branco com o objetivo de controlar as terras ancestrais e a mão de obra da população negra, em especial, a legislação de terras. Diante desse quadro, o artigo concentra-se em <em>Sword and Assegai</em> (1899), de Anna Howarth, um romance de aventura ambientado nas “guerras das fronteiras” da região oriental da Colônia do Cabo (atualmente África do Sul) entre as décadas de 1830 a 1850. O destaque recai na caracterização dos guerreiros Xhosa, compreendendo a ênfase da romancista no “barbarismo” como uma forma de legitimação pública das práticas políticas coloniais, em especial, da apropriação de terras africanas pela elite colonial.</p> 2021-08-27T18:59:04+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1634 “Os Livros Sujos Brotam Como Cogumelos”: Cultura Impressa e Obscenidade no Brasil (1880-1900) 2021-09-20T12:09:47+00:00 Erika Cardoso erikacardoso@id.uff.br <p>Este artigo propõe como objetivo refletir sobre a emergência de uma cultura impressa havida como pornográfica no Brasil no decorrer das duas últimas décadas do século XIX. Tanto o termo pornografia quanto o tipo de literatura que ele viria a designar se popularizaram na imprensa e no espaço público brasileiros a partir de 1880, gerando calorosos debates em torno dos malefícios dessas leituras e dos limites do moralmente tolerável no Brasil. Nas páginas seguintes, a ideia é refletir sobre este processo e os discursos que ele ensejou.</p> 2021-08-27T19:01:09+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1636 Trajetórias de um clássico: autorias, edições e leituras do Pavão Misterioso 2021-09-20T12:09:47+00:00 Antonio Helonis Borges Brandão helonisbrandao@bol.com.br <p>O presente trabalho percorre no tempo <em>O romance do pavão misterioso</em>, discutindo-o sob o ponto de vista da forma literária, autoria, materialidade e usos diferenciados. O que se quer é compreender como são produzidos os sentidos sobre o poema supracitado quando materializado em formatos e edições diversas. Objetiva, pois, refletir sobre as transformações dos aspectos enumerados tendo em vista a movência de significados que lhe são dados a cada tempo. Para tanto utiliza-se do cabedal teórica da história do livro e da leitura, segundo Roger Chartier, e da ideia de movência, conforme a pensou Paul Zunthor. O tipo de análise que propomos – que associa história e literatura, contexto e texto – reflete o cordel literatura em um circuito aberto e complexo. Neste sentido ele se move através de práticas, representações e apropriações variadas que lhe dão significado em contextos distintos.</p> 2021-08-27T19:06:10+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1640 “A palavra é o meu domínio sobre o mundo": circulação e recepção da obra de Clarice Lispector em Portugal 2021-09-20T12:09:47+00:00 Natália Guerellus nataliaguerellus@gmail.com <p>O presente artigo tem uma dupla ambição: propor um panorama da bibliografia voltada para a circulação e recepção da obra da escritora brasileira Clarice Lispector (1920-1977) no âmbito internacional; e estudar estes mesmos fenômenos em Portugal, onde a questão da tradução não tem a mesma importância que em outros países. Neste sentido, a análise se baseia em dois conjuntos de documentos diferentes, além da bibliografia especializada: primeiramente, lanço um olhar sobre as publicações da obra de Clarice Lispector em Portugal a fim de identificar seus canais de circulação; num segundo momento, volto-me para as leituras de Lispector em Portugal, dando especial atenção ao papel dos mediadores. O trabalho pretende, assim, contribuir de maneira original à história transatlântica dos escritos a partir do exemplo do Brasil, visto por um outro país lusófono.</p> 2021-08-27T19:10:37+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1628 Guimarães Rosa, leitor de Simões Lopes Neto: práticas de leitura e afinidades histórico-literárias 2021-09-20T12:09:47+00:00 Jocelito Zalla jocelito.zalla@ufrgs.br <p>Este texto toma o problema da confluência formal entre as obras de João Simões Lopes Neto (1865-1916) e João Guimarães Rosa (1908-1967), através de uma fonte inédita: o exemplar anotado por Rosa da edição crítica de <em>Contos Gauchescos e Lendas do Sul</em> (1949), de Simões. Analiso a leitura particular do escritor mineiro e interpreto as suas condições históricas de realização, além de apontar para a nova recepção do autor gaúcho no campo literário nacional dos anos 1950. Como métodos, recorro a uma tipologia das marcas de leituras e suas funções, seguida de uma história comparada das formas e projetos literários. Os resultados apontam para as práticas de leitura como investigação de linguagem, nos anos que precederam à publicação de <em>Grande Sertão: Veredas</em> (1956), e afinidades estéticas regionalistas profundas, motivadas por problemas histórico-culturais semelhantes em tempos-espaços diversos, e ampliadas pela ressignificação modernista do regionalismo simoniano.</p> 2021-08-27T19:12:07+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1622 Vozes da Amazônia na trilha de Spix e Martius 2021-09-20T12:09:47+00:00 Willi Bolle willibolle@yahoo.com Eckhard E. Kupfer diretoria@martiusstaden.org.br <p>Por ocasião do bicentenário da viagem dos naturalistas alemães Spix e Martius pela Amazônia, os dois autores deste artigo, juntamente com dois cineastas, refizeram em 2019 o percurso daquela expedição. O principal objetivo foi estudar as continuidades e as mudanças ocorridas ao longo desses 200 anos. A viagem foi registrada num filme documentário do qual constam ao todo 23 entrevistas com habitantes da região: homens e mulheres, de todas as idades e representando uma ampla gama de profissões. São falas de trabalhadores braçais, um barqueiro, um colhedor e uma vendedora de produtos da selva, coordenadores de comunidades ribeirinhas, lideranças indígenas, narradores populares, professores, alunos, representantes de instituições culturais, gerentes de empresas e pesquisadores de várias disciplinas científicas. A apresentação deste conjunto de vozes de habitantes da Amazônia é feita com o objetivo de transmitir um quadro vivo daquelas diversas atividades e dos saberes locais, e com isso, despertar um maior interesse para se conhecer a Amazônia e estimular a reflexão sobre os principais problemas dessa região nos dias atuais.</p> 2021-08-27T19:20:28+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1623 Diálogos entre a História da Educação e Literatura: a escola normal no romance "A Normalista", de Adolfo Caminha (1893) 2021-09-20T12:09:47+00:00 Caio Corrêa Derossi derossi.caio@gmail.com Joana D'Arc Germano Hollerbach joana.germano@ufv.br <p>O presente ensaio teórico de abordagem qualitativa e naturezas bibliográfica e documental tem como objetivo analisar e compreender as configurações da escola normal e os indícios relativos à educação no final do século XIX, a partir das representações realizadas pelo escritor cearense Adolfo Caminha no romance A Normalista, de 1893. Para tanto, oferece-se um panorama teórico sobre os diálogos entre história e literatura, bem como sobre a instituição das escolas normais no período final do Império até os primeiros anos da República, recorte temporal pregresso e coevo a época de publicação da obra. Posteriormente, faz-se uma análise à luz da literatura especializada a partir de alguns excertos do livro. Ao fim, indica-se um horizonte de possibilidades para a escrita e para a construção do pensamento historiográfico na educação, realizado com a interseção entre a história e a literatura.</p> 2021-08-27T19:22:38+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1558 História e Literatura: Jorge Amado e seus escritos literários nos anos 30 2021-09-20T12:09:47+00:00 Rafaela Mendes da Silva prof.rafaelamendes@gmail.com Francisco Wilton Moreira dos Santos wilton.santos@aluno.uece.br <p>Este artigo pretende abordar a relação estabelecida entre História e Literatura e como essa relação, enquanto campo de estudo, pode ser pensada na análise das obras do escritor brasileiro Jorge Amado, traçando assim uma empreitada interdisciplinar. Primeiramente faremos uma incursão a respeito do uso da literatura pela história, em seguida faremos um apanhado sobre a produção literária de Jorge Amado, suas fases, tipo de escrita, posturas etc. Por fim, refletiremos acerca da produção do autor nos anos 30. Embasados em uma análise teórico-conceitual de autores que pensam a relação história-literatura e uma análise da obra amadiana, iremos compreender como a obra literária de Amado, produzida nos anos 30, pode ser vista como objeto de investigação da história. Diante da análise, nos demos conta que algumas produções de Jorge Amado desse período podem ser vertentes para pensar questões históricas, tais como a relação trabalhador-patrão, a degradação urbana e o abando social de menores.</p> 2021-08-27T19:26:15+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1637 Nos rastros da memória: uma revisitação da Guerra de Canudos pelo olhar de Vargas Llosa 2021-09-20T12:09:47+00:00 Solange Regina da Silva sol.silva.es@gmail.com Isis de Paula Oliveira de Albuquerque isisoalbuquerque@hotmail.com Brenda Carlos de Andrade brenda.carlosdeandrade@gmail.com <p>Este artigo pretende analisar o panorama de como se desenvolveram as relações entre história e literatura nas narrativas do século XX. Com esse intuito, foi tomado como referencial no romance <em>A guerra do fim do mundo </em>(1981), de Mario Vargas Llosa. Neste livro encontram-se algumas expressões que permitem certa reconstrução do passado de forma ficcional realista através do resgate da memória oral evidenciada pelas descrições das personagens como pano de fundo, o que põe em destaque o caráter de historicidade da obra. De modo a fundamentar a nossa reflexão recorreremos aos contributos de: Lukács (2011), Mircea Eliade (2011), Jaques Le Goff (1990), Beatriz Sarlo (2010), Antônio Candido (2006), entre outros. Em suma, esse texto visa contribuir com estudos que reflitam e reativem a importância de se discutir o caráter significativo dos romances históricos na Literatura Latino-Americana.</p> 2021-08-27T19:27:49+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1633 Narrativas de mulheres sobre o passado da América: da exclusão histórica ao protagonismo ficcional 2021-09-20T12:09:47+00:00 Amanda Maria Elsner Matheus amandamaria.elsner@gmail.com Gilmei Francisco Fleck chicofleck@yahoo.com.br Tatiane Cristina Becher taati.becher@gmail.com <p>A escrita da história, por séculos, foi reduto masculino, ocupado por privilegiados homens que tiveram acesso à instrução. Esses eram contratados pelo poder para registrar os eventos de cada reinado. Assim se deu na América, cujo passado foi escrito pelos conquistadores a serviço dos monarcas a quem serviam como cronistas. Tal configuração unilateral da história da América tem levado muitos romancistas americanos a revisitar o passado e a reescrever episódios marcantes de cada nação sob diferentes perspectivas. Essa releitura da história pela ficção é ainda mais significativa quando feita por uma das parcelas excluídas dos discursos oficiais, como é o caso das mulheres. Neste texto, verificamos como a escrita híbrida contemporânea de autoria feminina tem se ocupado do passado americano, conferindo-lhe inusitadas visões, múltiplas perspectivas e inquietantes possibilidades de leituras.</p> 2021-08-27T19:32:46+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1305 Estratégias de ensino e aprendizagem para surdos no Ensino Superior 2021-09-20T12:09:47+00:00 Joelaini Martins dos Reis Brasil joelaini@hotmail.com Taise Gomes dos Santos Cá taisegomes25@gmail.com Silvia Maria de Oliveira Pavão silviamariapavao@gmail.com <p>O Brasil vem acompanhando uma tendência mundial propondo encaminhamentos e medidas denominadas inclusivas. No que refere ao meio universitário há uma discussão que vem ganhando espaço partindo da necessidade de adequações e inovações para a garantia de uma educação que beneficie todos. O presente artigo constitui-se de uma pesquisa bibliográfica, com o objetivo de compreender o fomento metodológico de permanência no Ensino Superior, em especial das estratégias de ensino utilizadas. Constatou-se que mesmo com o acesso à universidade favorecido pela legislação, os fatores da permanência, focalizados nas estratégias de ensino e aprendizagem atuais, precisam ser identificados e melhor utilizados. As estratégias foram descritas como: ação conjunta do TILS, texto didático, momento de acolhimento, acompanhamento com identificação de necessidades específicas de aprendizagem, Atendimento Educacional Especializado (AEE), reconhecimento do potencial de aprendizagem e formação continuada. Em conclusão a inclusão de surdos no Ensino Superior, está na dependência do uso de estratégias de ensino e de aprendizagem combinadas e discutidas entre as partes (professor, aluno e Tradutor Intérprete de Libras).</p> <p><span style="text-decoration: line-through;">&nbsp;</span></p> <p>Palavras-Chave: surdez, aprendizagem, Ensino Superior.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-08-27T19:34:45+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1653 "O passado existe como ontologia [...] A História pulsa na Literatura”: entrevista com Sidney Chalhoub 2021-09-20T12:09:46+00:00 André Carlos Furtado furtado1989@gmail.com Anna Coelho annacarolinaabreu@unifesspa.edu.br <p>Entrevista realizada com o professor Sdney Chalhoub (Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP / Harvard University - Estados Unidos) no dia 07 de maio de 2021. Trata-se de uma atividade que foi desenvolvida no âmbito do laboratório <em>História, Memória e Natureza na Amazônia</em> (HiMeNA), grupo de pesquisa coordenado pela professora Anna Coelho na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), em parceria com o <em>Centro de Estudos em Teorias da História e Historiografias</em> (CETHAS), liderado pelo professor André Furtado na mesma instituição. Especialmente dedicada à pauta do dossiê "História e Literatura: aproximações e diferenças", a conversa abordou, sobretudo, as seguintes áreas e temas de pesquisa: História do Brasil no século XIX, abolição, escravidão, romances, contos, José de Alencar e Machado de Assis.</p> 2021-08-27T19:37:48+00:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1672 Expediente 2021-08-30T13:30:08+00:00 Marcus Vinicius Reis mv.historia@gmail.com <div class="item abstract">Expediente do&nbsp;v. 3 n. 8 (2021)</div> <div class="item downloads_chart">&nbsp;</div> 2021-08-27T19:41:40+00:00 ##submission.copyrightStatement##