Autor, obra, temática educacional e efeitos de produção da obra Til, de José de Alencar

  • Gabrielly Estephany Melo Lima Universidade Federal do Pará
  • Fernando Jorge dos Santos Farias Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: materialidade, Fontes Literárias

Resumo

O artigo intenta apresentar uma leitura histórico-educacional do romance Til, de José de Alencar. Para esse fim, aproximou-se dos modos investigativos das pesquisas realizadas no campo histórico-educacional, elegendo-se três grandes pontos para discussão em torno da obra: o contexto de produção da obra, revelador dos diferentes aspectos da conjuntura enfrentada pelo autor para a confecção de seu romance; elementos compositivos da obra como personagens, enredo e conflitos; os possíveis efeitos de produção, possibilitados a partir do contato com a obra, tanto em sua circulação primeira como em sua leitura atual. Dentre as conclusões atingidas, destaca-se o fato de José de Alencar, desaprovar as formas as quais os escravos estavam sujeitos, com seus serviços laboriosos, vistos como animais, seres desprovidos de inteligência. Nesse sentido, José de Alencar entendia que que os escravos deveriam ser instruídos de ensino educacional para serem de fato inseridos no corpo social. Além disso, Alencar tratou temas pertinentes inseridos na população brasileira da época, sobretudo, são assuntos que ainda fazem parte da atualidade, como a dificuldade para obtenção do ensino de qualidade para os denominados da classe baixa. Em Til avista-se ainda a dualidade socioeconômica daquela época em que a elite esbanjava riquezas, enquanto os trabalhadores, negros, viviam em meio ao trabalho insalubre.

Referências

ALENCAR, José de. Til. 5ª ed. São Paulo: Melhoramentos, 1964.
TEIXEIRA, Ivan. Apresentação e notas. In: ALENCAR, José de. Til. São Paulo: ateliê Editorial, 2012.
ANTUNES, Irandé. Análises de textos: fundamentos e práticas. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.
BARBOSA, Paula Maciel. A fazenda assombrada: figurações da escravidão no romance Til, de José de Alencar. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 60, p. 55-76, abr. 2015.
BARBOSA, Paula Maciel. O idílio degradado: um estudo do romance Til, de José de Alencar. Tese (Doutorado Letras) - faculdade de filosofia, letras e ciências humana departamento de letras clássica e vernáculas programa de pós-graduação em literatura brasileira, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2012.
BORGES, Valdeci Rezende. O “romance brasileiro” de José de Alencar nas páginas da impressa fluminense de seu tempo. Anais do SILIEL, Uberlândia, v:3, 2013.
CASTRO, Rodrigo Campos de Paiva. Alencar e Kleist. Til e Toni. Crise(S) da identidade na servidão e na escravidão modernas. Tese (Doutorado em Letras) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Departamento de Letras Modernas Programa de Pós-Graduação em Língua e Literatura Alemã, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2012.
CHARTIER, Roger. A mão do autor e a mente do editor. Tradução George Schlesinger. São Paulo: Editora UNESP, 2014.
FERREIRA, Fernanda de Jesus. “A redenção do corpo e da alma”: a representação literária da educação dos escravizados em José de Alencar (1850-1875). Dissertação (mestrado em Educação) - Faculdade de educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2012.
PELOGGIO, Marcelo. José de Alencar: um historiador à sua maneira. Alea: estudos neolatinos, Rio de Janeiro, v: 6, p. 81-95, jun 2004.
SILVA, Alexandra Lima da. Caminhos da liberdade: os significados da educação dos escravizados. Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, 2018.
SILVA, Hebe Cristina da. Imagens de escravidão: uma leitura de escritos políticos e ficcionais de José de Alencar. Dissertação (Mestrado em Teoria e História Literária) - Instituto de estudos da linguagem. Departamento de teoria e história literária. Universidade Estadual de Campinas. São Paulo, 2004.
Publicado
2023-09-15
Visualizações
  • Artigo 76
  • PDF 62