Poéticas do Médio Xingu: Panorama Apriorístico

  • Eleticia Costa de Castro Universidade Federal do Pará
  • Edmon Neto de Oliveira
  • Arthur Fernandes Vaz
Palavras-chave: Poesia contemporânea. Cosmopoéticas. Amazônia.

Resumo

RESUMO: Este artigo apresenta os primeiros resultados de pesquisa intitulada Poetas e Poéticas do Médio Xingu, desenvolvida no âmbito da Faculdade de Letras Dalcídio Jurandir, da UPFA, campus Altamira. Na primeira etapa, fez-se um levantamento audiovisual e bibliográfico a partir do qual colocou-se a exame as produções poéticas da região. Longe de esgotar as suas possibilidades, a investigação cotejou uma miríade de manifestações da oralidade e da escrita, presentes nas cidades que contemplam o Médio Xingu, tendo como parâmetro primeiro o registro escrito ou em áudio. Observou-se que, em função das singularidades inerentes a essa região amazônica, que recebe fluxos migratórios históricos, a poesia produzida no Médio Xingu é expressa por núcleos poéticos emergidos da multiculturalidade local. Poetas ligados a confrarias literárias, poetas populares e de movimentos sociais, poetas vinculados às universidades, poetas marginais, além das cosmopoéticas, artes verbais e regimes discursivos originários são abordados nos resultados da primeira pesquisa efetuada sobre esse assunto. 

 

Palavras-chave: Poesia contemporânea. Cosmopoéticas. Amazônia. 

 

ABSTRACT: This article presents the first results of research entitled Poetas e Poéticas do Médio Xingu, developed within the scope of the Faculdade de Letras Dalcídio Jurandir, at UPFA, Altamira campus. In the first stage, an audiovisual and bibliographical survey was carried out from which the poetic productions of the region were examined. Far from exhausting its possibilities, the investigation collated a myriad of manifestations of orality and writing, present in the cities that contemplate the Middle Xingu, having as a first parameter the written or audio record. It was observed that, due to the singularities inherent to this Amazon region, which receives historical migratory flows, the poetry produced in the Middle Xingu is expressed by poetic nuclei that emerged from the local multiculturalism. Poets linked to literary confraternities, popular poets and social movements, poets linked to universities, marginal poets, in addition to cosmopoetics, verbal arts and original discursive regimes are addressed in the results of the first research carried out on this subject.

 

Keywords: Contemporary poetry. Cosmopoetics. Amazon.

Referências

ARAÚJO, Ioleth (Org.). Antologia discursos. Academia Altamirense de Letras. Altamira: AAL, 2021.
BILL, Vitoriano. Um pouco de tudo de nós. Vitoriano Bill, Aline Pereira, Devaneios, Soll. Altamira: Edição do autor, 2021.
BAPTISTA, Josely Vianna. Roça Barroca. São Paulo: Cosac Naify, 2011.
BRUM, Eliane. Banzeiro Òkòtó: uma viagem à Amazônia centro do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2021.
C NDIDO, Francisco. Belo Monte vem pra que? In: CASTRO, João de (org). I Antologia Poética da Transxingu. Altamira: Edição do autor, 2016.
CESARINO, Pedro. Oniska: poética do xamanismo na Amazônia. São Paulo: Editora Perspectiva, 2011.
DORRICO, Julie; DANNER, Leno Francisco; CORREIA, Heloisa Helena Siqueira; DANNER, Fernando (Orgs.) Literatura indígena brasileira contemporânea: criação, crítica e recepção [recurso eletrônico]. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2018.
FERNANDES, Antônio Claret. Suspeitas. Belo Horizonte: Código Editora, 2012.
FERNANDES, Frederico A.G. (Org.) Oralidade e Literatura: manifestações e abordagens no Brasil. Londrina. Editora Eduel, 2013.
FLORES, Guilherme Gontijo. Um walkie-talkie na encruzilhada das águas: traduzir e cantar a poesia xamânica Marubo. Cad. Trad., Florianópolis, v. 39, nº esp., p. 171-226, set-dez, 2019.
FRANCESCO, Ana Alves. Terror e resistência no Xingu. São Paulo: ISA – Instituto Socioambiental, 2021. pp. 69-70.
JESUS, João. Camponeses: conto-poema. Belém: Graficentro, Gráfica e Editora Ltda, 1997.
JESUS, João. Cantos e lamentos. Belém: Cultural Brasil, 2018.
KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A queda do céu. Palavras de um xamã Yanomami. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
LOEBENS, Egon. H.F; CARVALHO, Priscila D. Amazônia indígena: conquistas e desafios. Estudos Avançados. Manaus, v. 19, n. 53, p. 237-257, jan. 2005.
MATTOS, Cláudia Neiva de. A poesia popular na república das letras: Sílvio Romero folclorista. Rio de Janeiro: FUNARTE/UFRJ, 1994.
MENDES, João. Cantos e poesias. Medicilândia: Edição do Autor, s/d.
MENEZES, Marília de. O Xingu impulsionou Serafina. In: CASTRO, João de. Nós, poetas amazônidas. Belém: Edição do Autor, 2019. p. 87
MIRANDA, Marlui. Ihu: Todos os sons. Pau Brasil, 1995.
MÜLLER, Regina Polo. As artes indígenas e a arte contemporânea. Textos escolhidos de cultura e arte populares, Rio de Janeiro, v.7, n.1, p. 7-18, mai. 2010.
MÜLLER, Regina Polo. Asurini do Xingu. Revista de Antropologia, vol. 27/28. Biblioteca Digital Curt Nimuendajú – Coleção Nicolai. Disponível em:
. Acesso em: 14 mai. 2023.
NASCIMENTO, Orlando. A discussão do ribeirinho com o empresário sobre Belo Monte. Altamira: Edição do Autor, 2011.
NOGUEIRA, Laura. Poema pequeno. Belém: Fundação Cultural do Pará, 2016.
NOGUEIRA, Laura. habitamos sem rosto. São Paulo: Patuá, 2022. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2023.
PORTUGAL, Sônia F. Anamã. Fogo nas águas do Amazonas. Belém: Cultural Brasil, 2017.
PUCHEU, Alberto. A queda do céu: o arcaicontemporâneo de Davi Kopenawa e Bruce Albert. In: DORRICO, Julie; DANNER, Leno Francisco; CORREIA, Heloisa Helena Siqueira; DANNER, Fernando (Orgs.) Literatura indígena brasileira contemporânea: criação, crítica e recepção. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2018, pp. 397-423.
RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. Tradução Mônica Costa Neto. São Paulo: 34, 2005, p. 15.
RISÉRIO, Antônio. Palavras canibais. Revista USP, [S. l.], n. 13, p. 26-43, 1992. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.v0i13p26-43. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/25594. Acesso em: 15 maio. 2023.
ROTHENBERG, Jerome. Etnopoesia do milênio. Tradução Luci Collin. Rio de Janeiro: Azougue, 2006.
TEIXEIRA, Valdeci dos Santos. Os boatos de Belo Monte. Vitória do Xingu: Edição do Autor, 2012.
ROSA, Marilene Alves. A mulher no caminho. Belém: Editorial de Livros, 2015
TEIXEIRA-PINTO, Márnio. IEIPARI. Sacrifício e Vida Social entre os índios Arara (Caribe). São Paulo: HUCITEC; Editora a UFPR, 1997.
SANTOS JUNIOR, Jaime Barros dos. Petricor. Curitiba: Toma aí um poema, 2022.
SCHRÖDER, Peter (Org.). Os índios Xipaya cultura e língua: textos de Curt Nimuendajú. Tradução Peter Schröder. Recife: Editora UFPE, 2017.
SILVA, Mariano. Naufrágio em Vila do Conde. Altamira: Edição do autor, 2016.
VIEIRA, Paulo. Vieiranembeira. Poemas escolhidos pelo autor. Belém: AMO! Editora, 2021.
VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Araweté: os deuses canibais. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/ANPOCS, 1986.
Publicado
2023-09-15
Visualizações
  • Artigo 238
  • PDF 183