CONSTRUÇÃO COLETIVA DE ETNOMAPEAMENTO PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA EM TERRAS INDÍGENAS

  • Elson Pereira de Almeida
  • Melry Carla Alves Ribeiro
  • Maria Rita Vidal

Resumo

O Estudo do Meio é uma metodologia de ensino interdisciplinar que tem a finalidade de desvendar a complexidade de um dado espaço, [...], cuja totalidade dificilmente uma disciplina escolar pode dar conta de compreender (PONTUSKA, PAGANELLI e CACETE (2007). O Estudo do Meio tem por objetivo mostrar que é um método que aproxima a realidade ao aluno, conectando o conteúdo repassado em sala de aula com a seu cotidiano, proporcionando então um processo significativo de ensino-aprendizagem para os alunos, além disso, sendo capaz de desenvolver no indivíduo o olhar crítico e investigativo sobre a aparente naturalidade do viver. A partir da cartografia básica para a produção de etnomapas de autorias indígenas põe em evidências os diferentes tipos de saberes que se mesclam para chegar a uma imagem coletiva da aldeia. Desta maneira, o Etnomapeamento se configura na construção de cartas geográficas com os locais importantes do território indígena, o seu uso cultural, a distribuição espacial dos recursos naturais, a identificação de impactos ambientais e outras informações relevantes, salvaguardando o interesse, o olhar e a compreensão indígena, podendo ser útil no ensino de geografia. Para tanto, considera-se importante o estudo do meio, este é descrito por Lopes e Pontuschka (2009) como “um método de ensino interdisciplinar que visa proporcionar para alunos e professores contato direto com uma determinada realidade, um meio qualquer, rural ou urbano, que se decida estudar”. A importância deste estudo na comunidade justifica-se por relatos dos próprios indígenas que a Terra Mãe Maria é constantemente invadida, para a coleta de frutos, retirada de madeira. Outro impacto importante é causado pela erosão ocasionadas pelos não-indígenas nas fazendas no entorno da Terra Mãe Maria, além dos impactos diretos gerados pela BR 222, linhas de alta tensão que cortam a reserva. O estudo do meio se concretiza como uma atividade pedagógica de imersão orientada na complexidade de um determinado espaço geográfico, aqui entendido como a aldeia Kyikatêjê, onde é possível o estabelecimento de um diálogo inteligente com o mundo, com o intuito de verificar e de produzir novos conhecimentos. A discussão acerca da educação escolar indígena tem como princípio norteador, o olhar e o pensar kyikatêjê sobre a escola, entendida como local estratégico para a constituição identitária, articulação de muitos saberes na perspectiva local e regional e a aquisição de novos conhecimentos. Desta maneira o trabalho tem como objetivo a elaboração de etnomapeamento para a construção de modelos dinâmicos e de representação das paisagens indígenas para subsidiar as aulas de Geografia Física na escola indígena Tatakti Kakatêjê, tentando identificar e espacializar as principais unidades de paisagem da Aldeia indígena, gerando perfis didáticos pedagógicos etnográficos para a instrumentalização de estudos da paisagem/natureza na escola Tatakti Kyikatêjê, possibilitando através do uso da etnocartografia um repositório de diversos conhecimentos que permitam melhor compreender as relações de seus atores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-07-01
Visualizações
  • Artigo 124
  • PDF 75
Como Citar
Almeida, E., Ribeiro, M., & Vidal, M. (2019). CONSTRUÇÃO COLETIVA DE ETNOMAPEAMENTO PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA EM TERRAS INDÍGENAS. Seminário De Projetos De Ensino (ISSN: 2674-8134), 2(1). Recuperado de https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/spe/article/view/598