O fechamento de escolas do campo como política de governo: experiências vivenciadas em Carangola/MG

Palavras-chave: Políticas de governo, Fechamento de escolas, Experiências

Resumo

Este artigo é parte dos resultados de pesquisas sobre as escolas do campo realizadas, dentro da Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG/Unidade Carangola, a partir do ano de 2014. Estas pesquisas buscaram compreender o processo de fechamento dessas unidades educacionais, bem como a formação docente e as práticas pedagógicas desenvolvidas nesses espaços. O objetivo principal desta escrita foi compilar os resultados dos estudos no referente ao fechamento das escolas do campo e seus impactos no âmbito educacional das crianças e jovens das comunidades rurais, bem como analisar a situação atual das escolas do campo no município de Carangola/MG. A metodologia utilizada no desenvolvimento deste estudo ficou a cargo de uma descrição analítica com o aporte de trabalhos de campo que forneceram os dados trabalhados pela pesquisa de 2014. Além disso, foram utilizadas ainda fontes oficiais sobre o fechamento de escolas do campo no País. Como resultado, este estudo identificou que a partir do fechamento de algumas escolas do campo, implementa-se uma política de governo que avança em prol do processo de nucleação destas escolas. Com isso, os impactos socioculturais são inevitáveis, como as transformações nos modos de socialização infantil; a perda de um espaço de identificação para a comunidade rural; a mudança nos modos de circulação atribuída pela inserção do transporte escolar, bem como o esvaziamento das comunidades rurais, uma vez que muitas famílias decidem se mudar em busca de educação para os filhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizete Oliveira de Andrade, Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG / Unidade Ubá
Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (FE/Unicamp). Professora da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG/Ubá). Grupo de Pesquisa: Educação, História e Movimentos Sociais (UEMG); Pedagoga da Secretaria Municipal de Educação de Carangola/MG.
Custódio Jovêncio Barbosa Filho, Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG / Unidade Carangola
Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (FaE/UFMG). Grupo de Pesquisa Ciências Humanas e Linguagens (UEMG/Ubá).
Mariana Vilhena Faria, Rede Básica de Educação do Espírito Santo
Doutoranda em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Grupo de Pesquisa sobre a Questão dos Alimentos (GeQa). Professora da Rede Básica de Educação do Espírito Santo.

Referências

ANDRADE, Elizete Oliveira. Educação do Campo: narrativas de professoras alfabetizadoras de classes multisseriadas. Curitiba: CRV, 2019.

ANDRADE, Elizete Oliveira. Me conta professora... como é mesmo que aconteceu? Narrativas de professoras da escola do campo. In: MIGNOT, Ana Chrystina; SOUSA, Eliseu clementino; BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza (Orgs.). CONGRESSO INTERNACIONAL DE PESQUISA (AUTO) BIOGRÁFICA, 6., 2014, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: Biograph, 2014, p. 677-691.

ANDRADES, Tiago Oliveira; GANIMI, Rosângela Nasser. Revolução Verde a apropriação capitalista. CES Revista, vol. 21, 2007. Disponível em:
http://www.cesjf.br/revistas/cesrevista/edicoes/2007/revolucao_verde.pdf. Acesso em: 12 mar. 2020.

ARROYO, Miguel. A educação básica e o movimento social do campo. In: ARROYO, Miguel; CALDART, Roseli; MOLINA, Mônica Castagna (Orgs.). Por uma educação do campo. São Paulo: Vozes, 2004.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Parecer 36/2001: relatora Edla de Araújo Lira. Diretrizes operacionais para a educação básica das escolas do campo. Processo 23001000329/2001.

CALDART, Roseli Salete. Sobre educação do campo. III Seminário do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária. Luziânia, 2007.

CALDART, Roseli Salete. Elementos para construção do Projeto Político Pedagógico da Educação do Campo. In: MOLINA, Mônica Castagna. JESUS, Sonia Meire Santos Azevedo (Orgs.). Por uma Educação do Campo: contribuições para a Construção de um Projeto de Educação do Campo. Brasília/DF, 2004. (Coleção Por uma Educação do Campo, n. 5).

CALDART, Roseli Salete. Por uma educação do campo: traços de uma identidade em construção. In.: KOLLING, Edgar Jorge; CERIOLI, Paulo Ricardo; CALDART, Roseli Salete (Orgs.). Educação do campo: identidade e políticas públicas. Brasília, DF: Articulação Nacional Por uma Educação do Campo, 2002.

FERNANDES, Bernardo Mandanço. Diretrizes de uma caminhada. In: ARROYO, Miguel; CALDART, Roseli; MOLINA, Mônica Castagna (Orgs.). Por uma educação do campo. São Paulo: Vozes, 2004. p. 133-145.

GNIGLER, Miguel Luiz. O Processo de nucleação das escolas isoladas. 2011. Disponível em: http://www.mp.rs.gov.br/infancia/doutrina/id208.htm. Acesso em: 10 mai. 2020.

KOLLING, Edgar Jorge.; NERY, Israel José [irmão FSC]; MOLINA, Mônica Castagna (Orgs.). Por uma educação básica do campo. Memória. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999. (Coleção Por uma Educação Básica do Campo, n. 1).

MERA, Claudia Maria Prudêncio; MIELITZ NETTO, Carlos Guilherme. Diminuição da População Rural na Região do Alto Jacuí/RS: análise sob a perspectiva dos segmentos rurais. Desenvolvimento em Questão, Editora Unijuí, ano 12, n. 27, jul./set., 2014. Disponível em: https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/desenvolvimentoemquestao/article/view/2524. Acesso em: 03 mar. 2020.

MUNARIM, Antônio. Educação do campo e políticas públicas: controvérsias teóricas e políticas. In: MUNARIM, Antônio et al. Educação do campo: políticas públicas, territorialidades e práticas pedagógicas. Florianópolis: Insular, 2011.

NOGUEIRA, Ariane Martins. Contradições entre o campo e a cidade no Triângulo Mineiro: uma reflexão sobre o fechamento das escolas no campo. 2019. 236f. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/26929/4/Contradi%c3%a7%c3%b5esEntreCampo.pdf. Acesso em: 27 mai. 2020.

OLIVEIRA, Lia Maria Teixeira; CAMPOS, Marília. Educação Básica do Campo. In: CALDART, Roseli Salete et al. (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012, p. 237- 244.

PEIXER, Zilma Isabel et al. Comunidades rurais e escolas: o fechamento das escolas rurais na Serra Catarinense, 2018. Disponível em: http://www.sbpcnet.org.br/livro/65ra/resumos/resumos/8545.htm. Acesso em: 27 mai. 2020.

PERIPOLLI, Odimar João; ZOIA, Alceu. O fechamento das escolas do campo: o anúncio do fim das comunidades rurais/camponesas. Revista Educação, Cultura e Sociedade, Sinop, v. 1, n. 2., p. 188-202, 2011.

QUEIROZ, João Batista. Construção das escolas famílias agrícolas no Brasil: ensino médio e educação profissional. 2004. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade de Brasília, Brasília, 2004.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. 2. reimp. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

SAVIANI, Dermeval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, 2007.

SOUZA, Neli Pereira; REIS, Rosini Mendes. Educação do campo: prática pedagógica. Umuarama: Univale, 2009.

ZANELLI, Fabrício Vassalli et al. Intercâmbios agroecológicos: aprendizado coletivo. Informe agropecuário, v. 36, n. 387. Epamig: Belo Horizonte, 2015.
Publicado
2020-06-28
Visualizações
  • Artigo 67
  • PDF 72
Como Citar
ANDRADE, E.; BARBOSA FILHO, C.; FARIA, M. O fechamento de escolas do campo como política de governo: experiências vivenciadas em Carangola/MG. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 2, n. 1, p. 267-282, 28 jun. 2020.