Espaço físico e ambiente: elementos estruturantes na educação das crianças pequenas

Palavras-chave: Espaço, Ambiente, Educação Infantil

Resumo

O presente artigo, de natureza bibliográfica, busca refletir sobre a organização do espaço físico na Educação Infantil considerando seu papel no processo de ensino-aprendizagem, em especial mediante as interações das crianças entre si e com os professores. Parte da compreensão que a estruturação dos espaços reflete as concepções de educação e criança e relaciona-se com a proposta pedagógica. A partir das experiências vividas como professoras de crianças pequenas e de literatura da área, constatamos que as práticas pedagógicas têm se limitado às salas fechadas, constrangendo relações e despotencializando a ação das crianças ou restringindo-a a um fazer dirigido. Considerar a organização dos espaços e as relações neles desenvolvidas, que os transformam em ambientes, é condição primordial para promover experiências enriquecedoras às crianças e colaborar para uma formação humanizadora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aliandra Cristina Mesomo Lira, UNICENTRO
Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, Brasil. Professora Associada do Departamento de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO, Guarapuava/PR. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil- GEPEDIN. E-mail: aliandralira@gmail.com. ORCID: http://orcid.org/0000-0003-2945-464X  

Referências

ALMEIDA, Nedir Fernandes de. Salas ambiente como estratégia de ensino-aprendizagem. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade de São Paulo - USP, 2017.

BARBIERI, Stela. Interações: onde está a arte na infância? São Paulo: Blucher, 2012.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira; HORN, Maria da Graça Souza. Organização do espaço e do tempo na escola infantil. In: CRAIDY, Carmem (Org.). Educação infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Por amor e por força: rotinas na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Práticas Cotidianas na Educação Infantil - Bases para a reflexão sobre as Orientações Curriculares. Projeto de Cooperação Técnica MEC e UFRGS para construção de Orientações Curriculares para a Educação Infantil. Ministério da Educação, Brasília, 2009.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2002.

BLOWER, Hélide Steenhagen; AZEVEDO, Giselle Arteiro N.; VASCONCELLOS, Vera Maria R. de. O lugar do ambiente na Educação Infantil: APO na creche Paulo Niemeyer. Grupo de Pesquisa: Ambiente-Educação (GAE), p. 1-16, 2008. Disponível em: https://www.udc.edu.br/libwww/udc/uploads/uploadsMateriais/28022018134126CRECHE%20PAULO%20NIEMEYER.pdf. Acesso em: 25 jun. 2020.

BORGES, Gislaine de Souza; FLORES, Maria Luiza Rodrigues. Organização do espaço por ambientes de aprendizagem: potencialidades para a ação educativa na educação infantil. In: FELIPE, Jane; ALBUQUERQUE, Simone Santos de; CORSO, Luciana Velhinho (Orgs.). Para pensar a educação infantil: políticas, narrativas e cotidiano. Porto Alegre: Evangraf, 2016.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC/SEB, 2013. 562 p.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação, Brasília, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wpcontent/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf. Acesso em: 25 jun. 2020.

EDWARDS, Carolyn; GANDINNI, Lella; FORMAN, George. As cem linguagens da criança. Porto Alegre: Artmed, 1999.

FARIA, Vitória Líbia de Barreto; SALLES, Fátima. Currículo na Educação Infantil: diálogo com os demais elementos da proposta pedagógica. São Paulo: Ática, 2012.

FORNEIRO, Lina Iglesias. A organização dos espaços na Educação Infantil. In: ZABALZA, Miguel Antonio. Qualidade em Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998.

FRISON, Lourdes Maria Bragagnolo. O espaço e o tempo na educação infantil. Ciênc. let., Porto Alegre, n. 43, jan./jun. 2008.

HERMANN, Nadja. Ética e estética: a relação quase esquecida. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

HORN, Maria da Graça Souza. Sabores, cores, sons e aromas: a organização dos espaços na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

HOYUELOS, Alfredo. La estética en el pensamiento y obra pedagógica de Loris Malaguzzi. Barcelona: Octaedro; Rosa Sensat, 2006.

MESOMO, Aliandra C. Educação Infantil: indagando sobre práticas escolarizantes. 2004, 107f. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, 2004.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Sobre a organização curricular da Educação Infantil: conversas com professoras a partir das Diretrizes Curriculares Nacionais. Zero a Seis, Florianópolis, v. 19, n. 35, p. 46-68, jan./jun. 2017.

TUAN, Yi -Fu. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. Tradução: Lívia de Oliveira. Londrina: Eduel, 2013.

VALENTE, Adna T. G.; OLIVEIRA, Marta R. F. de. Indústria cultural, mídia e educação: implicações na formação do pensamento infantil. Anais do XI seminário de Pesquisa em Ciências Humanas, Londrina, p. 1-9, 2016. Disponível em: http://pdf.blucher.com.br.s3-sa-east-1.amazonaws.com/socialsciencesproceedings/xi-sepech/gt2_144.pdf. Acesso em: 28 abr. 2020.

VIEIRA, Daniele M. Imagens benjaminianas para pensar relações entre infância, educação de crianças pequenas e natureza. Contrapontos, Itajaí, v. 19, n. 4, p. 374-389, jul./dez. 2018. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rc/article/view/13221. Acesso em: 26 jun. 2020.
Publicado
2020-12-26
Visualizações
  • Artigo 67
  • PDF 89
Como Citar
DEITOS DALL SANTO, I.; MESOMO LIRA, A. Espaço físico e ambiente: elementos estruturantes na educação das crianças pequenas. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 2, n. 2, p. 127-139, 26 dez. 2020.
Seção
Artigos Científicos