Arte afro-brasileira e Química: caminhos interdisciplinares para a Educação das Relações Étnico-Raciais

  • Caio Ricardo Faiad PIEC-USP
Palavras-chave: Educação Antirracista, Ensino de Química, Dendê, Ayrson Heráclito, O Babado de Toinha

Resumo

A partir de Johnstone (1993) avançou-se na ideia de que o ensino de Química trabalha com a interação entre os aspectos macroscópicos, submicroscópicos e simbólicos. Didaticamente, é útil distinguir três perspectivas do conhecimento químico: o fenomenológico, o teórico e o representacional (MORTIMER; MACHADO; ROMANELLI, 2000). Com essas reflexões, foi possível obter resultados melhores no processo de ensino-aprendizagem de Química. Contudo, em face às exigências curriculares postas pela Lei 10.639/03, há uma demanda de propostas didático-pedagógicas que dialoguem os pressupostos da química com as questões étnico-raciais. Dessa forma, o presente trabalho discute a articulação da arte afro-brasileira em propostas interdisciplinares que envolva Artes e Química por meio da metodologia dos estudos comparados. Foram selecionadas a instalação Divisor 2, de Ayrson Heráclito e O Badado de Toinha, do Coletivo Catarse. A seleção dessas obras se justifica na utilização do dendê como o elemental central da narrativa artística. Uma vez que o dendê já foi descrito quimicamente por Silva et al (2017), buscou-se neste trabalho enfocar como que os aspectos fenomenológicos e macroscópicos podem ser utilizados para a leituras desses instrumentos artísticos-culturais. A presente proposição se justifica pela possibilidade de contextualizar fenômenos químicos por uma perspectiva positiva da negritude e assim contribuir com o desmantelamento do epistemicídio, a faceta intelectual do racismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENITE, Anna Maria Canavarro; BASTOS, Morgana Abranches; VARGAS, Regina Nobre; FERNANDES, Fernanda Silva; FAUSTINO, Gustavo Augusto Assis. Cultura africana e afro-brasileira e o ensino de química: estudos sobre desigualdades de raça e gênero e a produção científica. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 34, p. 1-35, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/edur/v34/en_1982-6621-edur-34-e193098.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

BENITE, Anna Maria Canavarro; FAUSTINO, Gustavo Augusto Assis; SILVA, Juvan Pereira da; BENITE, Claudio Roberto Machado. Dai-me agô (licença) para falar de saberes tradicionais de matriz africana no ensino de química. Química Nova, São Paulo, v. 42, n. 5, p. 570-579, Mai. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/qn/v42n5/0100-4042-qn-42-05-0570.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

BENITE, Anna Maria Canavarro; SILVA, Juvan Pereira da; ALVINO, Antônio César. Ferro, Ferreiros e Forja: O Ensino de Química pela Lei Nº 10.639/03. Revista Educação em Foco, v. 21, n. 3, p. 735-768. 2016. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/edufoco/article/view/19877. Acesso em: 30 ago. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação/Conselho Pleno. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Parecer normativo, n. 3, de 10 de março de 2004. Relatora: Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da União. 10 jan. 2003.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Diário Oficial da União. 11 mar. 2008.

BRASIL. Secretária da Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília: MEC/SEF, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pluralidade.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

CÂMARA, Rafael Sette. Acarajé, o bolinho de feijão que é uma oferenda sagrada. 12 dez. 2018. 360meridianos. Disponível em: https://www.360meridianos.com/especial/acaraje-historia. Acesso em: 30 ago. 2020.

CARNEIRO, Aparecida Sueli. A construção do outro como não-ser como fundamento do ser. 2005. 339 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

CARVALHAL, Tania Franco. Literatura Comparada. 4.ed, São Paulo: Ática, 2004.

CONDURU, Roberto. Vidro + água + óleo + sal = arte. sd. Disponível em: http://www.lab-eduimagem.pro.br/jornais/ed_img/anteriores/ano1_ed4/pdfs/edu_ai_a1_e4.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.
FAIAD, Caio Ricardo, LIMA, Gabriela Aparecida de, ALVARENGA, Matheus Augusto Franco de Moraes, REZENDE, Daisy de Brito. África como tema para o ensino de metais: uma proposta de atividade lúdica com narrativas do Pantera Negra. Revista Eletrônica Ludus Scientiae, v. 2, n. 2 p. 39-55, 2018a. Disponível em: https://revistas.unila.edu.br/relus/article/view/1505/1542. Acesso em: 30 ago. 2020.

FAIAD, Caio Ricardo; SOUZA, Alexandre Araújo de; MARINGOLO, Cátia Cristina Bocaiuva; SILVA, Vagner Gonçalves da. A análise do multiculturalismo no currículo de Ciências: uma proposta de inserção da cosmogonia iorubá nos conteúdos de biologia e astronomia. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), v. 10, n. Ed. Especi, p.381-408, 2018b. Disponível em: http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/465. Acesso em: 30 ago. 2020.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. Campinas: Papirus, 1994.

GALIAZZI, Maria do Carmo; GONÇALVES, Fábio Peres. A natureza pedagógica da experimentação. Química Nova, v. 27, n. 2, p. 326-331, 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/qn/v27n2/19283.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

GIORDAN, Marcelo. O papel da experimentação no ensino de ciências. Química nova na escola, v. 10, n. 10, p. 43-49, 1999. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc10/pesquisa.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

GOMES, Isael Minson; CARBO, Leandro; QUEIROZ, Ester Minson Gomes. Ensino de Química associado à indústria sucroalcooleira na Escola Estadual Antonio Ferreira Sobrinho, na cidade de Jaciara, Mato Grosso, Brasil. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 2, n. 2, p. 120-133, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/379/213. Acesso em: 30 ago. 2020.

GOMES, Nilma Lino. O movimento negro educador: saberes construídos na luta por emancipação. Petrópolis: Vozes, 2017.

GONÇALVES, Fábio Peres. Experimentação e literatura: contribuições para a formação de professores de química. Química Nova na Escola, v. 36, n. 2, p. 93-100, 2014. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc36_2/04-EA-14-13.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

GONÇALVES, Fábio Peres; MARQUES, Carlos Alberto. Contribuições pedagógicas e epistemológicas em textos de experimentação no ensino de química. Investigações em Ensino de Ciências, v. 11, n. 2, p. 219-238, 2016. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/494/297. Acesso em: 30 ago. 2020.

GUIMARÃES, Cleidson Carneiro. Experimentação no ensino de química: caminhos e descaminhos rumo à aprendizagem significativa. Química nova na escola, v. 31, n. 3, p. 198-202, 2009. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc31_3/08-RSA-4107.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

HERÁCLITO, Ayrson. Barrueco. Memórias Inapagáveis, 2014. Disponível em http://site.videobrasil.org.br/canalvb/video/1793984/Ayrson_Heraclito_Memorias_Inapagaveis. Acesso em: 30 ago. 2020.

JOHNSTONE, Alex. H. The Development of chemistry teaching: A changing response to changing demand. Journal of Chemical Education, n. 70, p. 701-704, 1993. Disponível em: https://pubs.acs.org/doi/10.1021/ed070p701. Acesso em: 30 ago. 2020.

LOBO, Soraia Freaza. O trabalho experimental no ensino de Química. Química Nova, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 430-434, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/qn/v35n2/35.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

McCOMAS, William F. Thinking, teaching, and learning science outside the boxes: Reconsidering interdisciplinarity in science instruction. The Science Teacher v. 76, n. 2, p. 24-28, 2009. Disponível em: http://people.uncw.edu/kubaskod/SEC_406_506/documents/Thinking_Teaching_Learning_Out_Box.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

MORTIMER, Eduardo Fleury; MACHADO, Andréa Horta; ROMANELLI, Lilavate Izapovitz. A Proposta Curricular de Química do Estado de Minas Gerais: Fundamentos e Pressupostos. Química Nova, v. 23, n. 2, p. 273-283, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/qn/v23n2/2131.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

MUNANGA, Kabengele. Arte afro-brasileira: o que é afinal?. PARALAXE, [S.l.], v. 6, n. 1, p. 5-23, dez. 2019. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/paralaxe/article/view/46601/30949. Acesso em: 30 ago. 2020.

MUSEU AFRO BRASIL. Arte Afro Brasileira (uma “pré”-história do conceito). 2017. Disponível em: http://www.museuafrobrasil.org.br/pesquisa/indice-biografico/movimentosesteticos/arte-afro-brasileira. Acesso em: 30 ago. 2020.

PENAFORTE, Gilmarxe Santana; SANTOS, Vandreza Souza dos. O ensino de química por meio de atividades experimentais: aplicação de um novo indicador natural de pH como alternativa no processo de construção do conhecimento no ensino de ácidos e bases. EDUCAmazônia, v. 13, n. 2, p. 8-21, 2014. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4731867. Acesso em: 30 ago. 2020.

PERUZZO, Francisco Miragaia; CANTO, Eduardo Leite do. Química na abordagem do cotidiano, v. 1, 4 ed. São Paulo: Editora Moderna, 2006.

PIERSON, Alice; NEVES, Marcos Rogério. Interdisciplinaridade na formação de professores de ciências: conhecendo obstáculos. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 1, n. 2, p. 120-131, 2001. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4168/2733. Acesso em: 30 ago. 2020.

PINHEIRO, Bárbara Carine Soares; ROSA, Katemari (orgs.). Descolonizando saberes: a Lei 10.639/2003 no ensino de ciências. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2018.

SALUM, Marta Heloísa Leuba. Cem anos de arte afro-brasileira. In: AGUIAR, Nelson (Org.) Mostra do Redescobrimento: Arte Afro-brasileira. São Paulo: Associação Brasil 500 Anos Artes Visuais, 2000.

SILVA, Erasmo Moisés dos Santos; FRANCISCO JUNIOR, Wilmo Ernesto. Arte na Educação Para as Relações Étnico-raciais: Um Diálogo com o Ensino de Química. Química Nova na Escola, p. 79-88, 2018. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc40_2/04-EA-17-17.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

SILVA, Juvan Pereira da; BENITE, Anna Maria Canavarro. Ouro, níquel, congos e a diáspora africana em Goiás: A Lei 10639 no Ensino de Química. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), v. 9, n. 22, p. 273-302, 2017. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/18f3/d3469b91f3804fbebdb9d254d878aaac8018.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

SILVA, Juvan Pereira da; ALVINO, Antonio César Batista; SANTOS, Marciano Alves dos; SANTOS, Vander Luiz Lopez dos; BENITE, Anna Maria Canavarro. Tem Dendê, Tem Axé, Tem Química: Sobre história e cultura africana e afro-brasileira no ensino de química. Química nova na escola, v. 39, n. 1, p. 19-26, 2017. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc39_1/05-EA-73-15.pdf. Acesso em: 06 dez. 2020.

SCHNETZLER, Roseli Pacheco; ROSA, Maria Inês de Freitas Petrucci S. Sobre a importância do conceito transformação química no processo de aquisição do conhecimento químico. Química Nova na Escola, v. 8, p. 31-35, 1998. Disponível em: http://webeduc.mec.gov.br/portaldoprofessor/quimica/sbq/QNEsc08/pesquisa.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

VARGAS, Regina Nobre; FAUSTINO, Gustavo Augusto Assis; FERNANDES, Fernanda Silva; BENITE, Anna Maria Canavarro. Protetores solares, pele negra e mídia em aulas de química. SER Social, v. 20, n. 43, p. 348-371, 2018. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/SER_Social/article/view/18864/17581. Acesso em: 30 ago. 2020.

VERRANGIA, Douglas; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. Cidadania, relações étnico-raciais e educação: desafios e potencialidades do ensino de ciências. Educação e Pesquisa. v. 36, n. 3, p. 705-718, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v36n3/v36n3a04.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

WALLAU, Wilhelm Martin; SANGIOGO, Fabio A. Anotações a Experimentação e Literatura: Contribuições para a Formação de Professores de Química. Química Nova na Escola, v. 38, n. 2, p. 121-126, 2016. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc38_2/05-EA-54-14.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.
Publicado
2020-12-26
Visualizações
  • Artigo 165
  • PDF 108
Como Citar
FAIAD, C. Arte afro-brasileira e Química: caminhos interdisciplinares para a Educação das Relações Étnico-Raciais. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 2, n. 2, p. 213-228, 26 dez. 2020.
Seção
Artigos Científicos