Letramento algébrico: desvendando mitos, fazendo proposições

Palavras-chave: Letramento Algébrico, Letramento, Álgebra para os anos iniciais, Prática de Ensino em Álgebra

Resumo

O artigo tem como objetivo apresentar o significado de letramento algébrico fazendo um giro pelas concepções de letramento na língua portuguesa em seguida na matemática. Discutir o que se entende por Álgebra para os anos iniciais do ensino fundamental. Relatar alguns mitos observados nos cursos de formação sobre a prática docente dos professores dos anos iniciais e apresentar proposições. O artigo revisita as tendências metodológicas dos documentos oficiais (PCN, BNCC e Currículo Paulista) propostas para o ensino de Álgebra na Escola Básica e avaliações institucionais (SAEB e PISA).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ruth Ribas Itacarambi, CAEM/IME
Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Educadora aposentada do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP. Pesquisadora e professora do Instituto Singularidades e coordenadora do Grupo Colaborativo de Investigação em Educação Matemática (GCIEM).

Referências

ANA. Avaliação Nacional da Alfabetização. Documento Básico Brasília. DF . Julho/2013.

BARBOSA, J.; BORTOLI, R. A construção de uma Matemática para o ensino do conceito de proporcionalidade direta a partir de uma revisão sistemática de literatura. Bolema, Rio Claro (SP), v. 31, n. 59, p. 947-967, dez 2017.

BOOTH, L.; COOK, J. Dificuldades das crianças que se iniciam em álgebra. In: COXFORD, A. F.; SHULTE, A. P. (Org.). As idéias da álgebra. Tradução Domingues H. São Paulo: Atual, 1995.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNC C_20dez_site.pdf. Acesso em: fev. 2021.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: matemática. Brasília, MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro03.pdf. Acesso em: mar. 2021.

CAEM.IME.USP. Práticas para trabalhar álgebra nos anos iniciais. 2020. In https://youtu.be/53d9ijizqtq. Youtube ( 2020, novembro, 20).

CANAVARRO, A. P. O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática nos primeiros anos. Quadrante, Lisboa, v. 16, n. 2, p. 81-118, 2007.

CARRAHER, D. W.; SCHLIEMANN, A. D.; BRIZUELA, B. M.; EARNEST, D. Arithmetic and algebra in early Mathematics Education. Journal for Research in Mathematics Education, 2(37), 87-115. In: CANAVARRO, A. P. O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática nos primeiros anos. Quadrante, Lisboa-PT, v. 16, n. 2 p.89, 2007.

FEUSP. Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020. Disponível em: https://www5.usp.br/ensino/graduacao/cursos-oferecidos/pedagogia/. Acesso fev. 2020

FIORENTINI, D.; MIORIM, M. A; MIGUEL, A. Contribuição para um Repensar a Educação Algébrica Elementar. Proposições, Campinas, v. 4, n. 1, p.78-91, mar. 1993.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido.17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. p.47.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 23. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997. p.111.

GCIEM. Álgebra para os anos iniciais. Grupo Colaborativo de Investigação em Educação Matemática. Disponível em: https://youtu.be/N5_OvJUvOGE . Youtube (2020, agosto).

GUELLI, O. Contando a história da Matemática: equação, o idioma da Álgebra. São Paulo: Editora Ática, 1992.

ITACARAMBI, R. et al. Caderno de prática de ensino de Álgebra. Editora Amazon, 2020.

KAPUT; BLANTON; MORENO. Algebra from a symbolization point of view. In: KAPUT, J.; CARRAHER, D.; BLANTON, M. (Eds.), Algebra in the Early Grades (pp. 133–160). New York: Lawrence Erlbaum Associates, 2008.

KAPUT, J. What is algebra? What is algebraic reasoning? In: KAPUT, J.; CARRAHER, D.; BLANTON, M. (Eds.), Algebra in the Early Grades (pp. 5–17). New York: Lawrence Erlbaum Associates, 2008.

KIERAN, C. Duas abordagens diferentes entre os principiantes em álgebra. In: COXFORD, A. F.; SHULTE, A. P. (Org.). As idéias da álgebra. Tradução Domingues H. São Paulo: Atual, 1995.

MATOS, A.; SILVESTRE, A. I.; BRANCO, N.; PONTE, J. P. Desenvolver o pensamento algébrico através de uma abordagem exploratória. In: LUENGO-GONZÁLEZ, R.; GÓMEZ-ALFONSO, B.; CAMACHO-MACHÍN, M.; NIETO, L. B. (Eds.). Investigación en educación matemática. XII (pp. 505-516). Badajoz: SEIEM, 2008.

NATIONAL COUNCIL OF TEACHERS OF MATHEMATICS (NCTM) . Princípios e normas para a matemática escolar (M. Melo, Trad). Lisboa: Associação de Professores de Matemática (APM), 2007. p.39.

PINHO, A. Brasil perdeu ímpeto na educação, diz diretor da OCDE. Folha de São Paulo, São Paulo, 1 de março de 2020. Caderno cotidiano, p. B2.

PISA. Relatório Brasil no PISA. Disponível em: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/documentos/2019/relatorio_PISA_2018_preliminar.pdf: Acesso em: fev. 2021.

PONTE, J. P. Investigar a nossa própria prática. In: GTI (Org.). Reflectir e investigar sobre a prática profissional. Lisboa: APM, 2002. (pp. 5-28).

PONTE, J. P. Investigar a nossa própria prática: Uma estratégia de formação e de construção do conhecimento profissional. In: CASTRO, E.; TORRE, E. (Eds.). Investigación en educación matematica (pp. 61-84). Coruña: Universidad da Coruña. Republicado em 2008, PNA - Revista de Investigación en Didáctica de la Matemática, 2(4), 153-180, 2004.

PROVA BRASIL. Ministério da Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/prova-brasil. Acesso: fev. 2020.

SAEB. Sistema de Avaliação da Educação Básica, 2001. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/avaliacao-e-exames-educacionais/saeb. Acesso em: fev. 2020.

SÃO PAULO. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Currículo Paulista: Matemática SEE-SP, (2019). Disponível em: www.escoladeformacao.sp.gov.br›pdf›curriculo_paulista_26_07_2019. Acesso em: mar. 2021.

SARESP. Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo. 2007. Disponível em: https://www.educacao.sp.gov.br/consulta-saresp.html. Acesso em: fev. 2021.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 46-57.

SOARES, Magda. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 25, p. 5, jan./abr. 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782004000100002. Acesso em: fev. 2020.

VERSCHAFF EL; GREER; DE CORTE, 2007. In: CANAVARRO, A. P. O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática nos primeiros anos. Quadrante, Lisboa, v. 16, n. 2, p. 81-118, 2007.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1987. p.103-107

UNISINOS. Universidade do Vale do Rio dos Sinos, 2020. Disponível em: www.unisinos.br. Acesso em: fev. 2020.

UNIVESP. Universidade Virtual do Estado de São Paulo. 2020. Disponível em: https://www5.usp.br/tag/universidade-virtual-do-estado-de-sao-paulo/. Acesso em: fev. 2020.
Publicado
2021-07-01
Visualizações
  • Artigo 43
  • PDF 33
Como Citar
ITACARAMBI, R. R. Letramento algébrico: desvendando mitos, fazendo proposições. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 3, n. 1, p. 221-237, 1 jul. 2021.