O estudo do erro em Matemática: o que pensam os professores dos anos iniciais?

Palavras-chave: Educação Matemática, Análise de Erros, Ensino e Aprendizagem, Professores dos Anos Iniciais

Resumo

A importância da análise dos erros que os alunos cometem em matemática tem sido discutido em vários estudos, como os de La Taille (1997), Pinto (2000), Cury (2004), Brousseau (2004), De la Torre (2007), tais estudos colocam que os erros dos alunos, além de servir para dar pistas para o professor de como o processo de aprendizagem está se desenvolvendo, também serve como uma autoavaliação das práticas docentes. Assim, o objetivo deste trabalho é investigar como os professores que atuam nos anos iniciais lidam com os erros dos alunos em matemática. Para tal, a metodologia escolhida foi a pesquisa descritiva, no qual, por meio de um questionário, consultamos 48 professores que atuam nos anos iniciais nas escolas públicas de Belém do Pará. Os resultados apontaram que os professores justificam como uma das causas do erro as escolhas metodológicas de ensino e que uma das funções do erro é permitir a autoavaliação do professor e do aluno. Os professores lidam com o erro do aluno por intermédio de correções e de comentários, de análise e de investigação dos erros para saber as causas, e apontaram que o erro pode ser uma estratégia didática que isso possibilitaria ao aluno aprender com seus erros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosineide de Sousa Jucá, Universidade do Estado do Pará (Uepa)
Doutora em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Professora da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e da Secretaria de Educação do Estado do Pará (Seduc/PA).

Referências

BROUSSEAU, Gui. Théorie des Situations Didactiques. France: La Pensée Sauvage, 2004.

CARVALHO, Mere Muzzi; CARVALHO, Denise Dutra Martins. Para compreender o erro no processo de ensino e aprendizagem. Presença pedagógica. v. 7., n. 42.nov/dez. 2001.

CURY, Helena Noronha. Análise de erros: o que podemos aprender com as respostas dos alunos. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

DE LA TORRE, Saturnino. Aprender com os Erros: o Erro Como Estratégia de Mudança. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DEL PUERTO, Silvia Mónica; MINNAARD, Claudia Lilia & SEMINARA, Silvia Alejandra. Análisis de los errores: una valiosa fuente de información acerca del aprendizaje de las matemáticas. In: CONFERÊNCIA ARGENTINA DE EDUCACIÓN MATEMÁTICA, 4., 2004. Buenos Aires, Argentina. Anais [...]. Buenos Aires, Argentina, 2004.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

HOFFMANN, Jussara. Pontos e Contrapontos: do pensar ao agir em avaliação. Porto Alegre: Mediação, 2005

LA TAILLE, Yves Joel Jean Marie Rodolphe de. O erro na perspectiva piagetiana. In: AQUINO, Julio Groppa. Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1997, p. 25-44.

PINTO, Neuza Bertoni. O erro como estratégia didática: estudo do erro no ensino da matemática elementar. São Paulo: Papirus, 2000.

VERGNAUD, Gerard. A teoria dos campos conceptuais. In.: BRUN, J. Didáctica das matemáticas. Tradução Maria José Figueiredo. Lisboa, Portugal: Instituto Piaget, 1996, p. 193-217.

VERGNAUD. Gerard. A criança, a matemática e a realidade. Curitiba: UFPR, 2009.

VICKERY, Anne. Aprendizagem ativa nos anos iniciais do ensino fundamental. Porto Alegre: Penso, 2016.
Publicado
2021-06-30
Visualizações
  • Artigo 41
  • PDF 41
Como Citar
JUCÁ, R. DE S. O estudo do erro em Matemática: o que pensam os professores dos anos iniciais?. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 3, n. 1, p. 51-65, 30 jun. 2021.