A formação do professor crítico-reflexivo: saberes, práticas e suas conexões com o ensino de Ciências e Matemática

  • Wanderson Carvalho da Rocha UFPA
  • Fernando Vinícius Pereira de Almeida Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
  • Nadja Fonseca da Silva
Palavras-chave: Formação de professores, Professor reflexivo, Ensino de Ciências e Matemática

Resumo

Esse artigo é fruto de uma investigação que tem como objetivo analisar as concepções de formação de professores de Ciências e Matemática sobre a temática Formação de Professores. A abordagem metodológica utilizada é de cunho qualitativo, ancorando-se no método bibliográfico e nos dados de uma pesquisa realizada com dez professores (sete de Matemática, dois de Biologia e um de Química), contendo um questionário com 10 questões (sete fechadas e três abertas), aplicado através da ferramenta Google Formulários entre os dias 09 e 10 de outubro de 2020. Os dados da pesquisa mostram que os professores compreendem a Formação de Professores como algo contínuo e constante. Assim entendem que o processo de reflexão sobre as suas práticas e saberes é essencial para a formação de sujeitos reflexivos, porém, os dados também mostraram que esses professores ainda possuem práticas muito próximas às abordagens tradicionais. Este estudo possibilita diálogos futuros sobre a formação de professores no campo das Ciências e Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Vinícius Pereira de Almeida, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

Mestrando em Educação pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA. Licenciado em Ciências Biológicas (UEMA.

Nadja Fonseca da Silva

Doutora em Educação em Ciências e Matemáticas (UFPA/REAMEC). Professora Adjunta II do Departamento de Educação e Filosofia (DEFIL) da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) 

Referências

ALARCÃO, I. (org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001. p. 9-30; 65-82.

BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. [1979] Trad. Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins fontes, 2003.

BOERI, C. N.; VIONE, M. T. Abordagens em Educação Matemática. 2009. Publicação Livre. Disponível em: www.dominiopublico.com.br/camila-boeri-abordagens-em-educacao-matemartica/. Acesso em: 20 out. 2020.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasileira, MEC/ SEF, 1998.

CARDIM, P. Educação Básica: formação de professores. 2020. Publicação Livre. Disponível em: www.belasartes.br/diretodareitoria/artigos/educacao-basica-formacao-de-professores. Acesso em: 13 nov. 2020.

CHARLOT, B. Formação de professores: pesquisa e a política educacional. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005, p. 89-108.

D’AMBRÓSIO, U. Desafios da Educação Matemática no novo milênio. Educação Matemática em Revista, n. 11, São Paulo, 2001.

DEMO, P. Professor do futuro e reconstrução do conhecimento. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

FÁVERO, A. A.; TONIETO, C.; ROMAN, M. F. A formação de professores reflexivos: a docência como objeto de investigação em Educação. Revista do Centro de Educação, v. 38, n. 2, maio-agosto, p. 277-288, 2013.

FIORENTINI, D. A Educação Matemática enquanto campo profissional de produção de saber: a trajetória brasileira. Revista Tecno-Científica DYNAMIS, v. 2, n. 7, 1994.

GIL, A. C. Como elaborar um projeto de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011. (Coleção questões da nossa época; v. 14).

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LIBÂNEO, J. C. Escola de tempo integral em questão: lugar de acolhimento social ou de ensino-aprendizagem? In. BARRA, V. Educação: ensino, espaço e tempo na escola de tempo integral. Goiânia: Cegraf/UFG, 2014.

MINAYO, M. C. (Org.). Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. Editora Vozes: Petrópolis, 2009.

MORAES, R.; RAMOS, M. G.; GALIAZZI, M. C. A epistemologia do aprender no educar pela pesquisa em Ciências: alguns pressupostos teóricos. In: MORAES, R.; MANCUSO, R. (Orgs). Educação em Ciências: produção de currículos e formação de professores. Ijuí: Unijuí, 2014, p. 85-108.

MORIN, E. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. Tradução e organização de Edgar de Assis Carvalho e Maria da Conceição de Almeida. São Paulo: Cortez, 2009.

NÓVOA, A. Devolver a formação de professores aos professores. Cadernos de Pesquisa em Educação, v. 18, n. 35, p. 11-22, 2012.

OXFORD, advanced learner’s dictionary online. Oxford: Oxford University Press. 2020. Disponível em: https://languages.oup.com/google-dictionary-pt/. Acesso em: 04 out. 2020.

PEREIRA, D. A; ROCHA, S. de F. M; CHAVES, P. M. O conceito de práxis e a formação docente como ciência da educação. Revista de Ciências Humanas – Educação. v. 17, n. 29, p. 31-45. dez. 2016.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo : Cortez, 2005.

PONTE, J. P. A vertente profissional da formação inicial de professores de Matemática. Educação Matemática em Revista, Ano 9, n. 11, abril, p. 3-8, 2002.

SOLON FREIRE, P. Pedagogia da Práxis: o conceito do humano e da educação no pensamento de Paulo Freire. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

ZEICHNER, K. A formação de professores: ideias e práticas. Lisboa: EDUCA, 1993.
Publicado
2022-07-01
Visualizações
  • Artigo 37
  • PDF 43
Como Citar
ROCHA, W.; ALMEIDA, F. V. P. DE; SILVA, N. F. DA. A formação do professor crítico-reflexivo: saberes, práticas e suas conexões com o ensino de Ciências e Matemática. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 4, n. 1, p. 56-69, 1 jul. 2022.
Seção
Artigos Científicos