Concreto com conchas de mariscos: Etnomatemática e construção civil, sustentabilidade e desenvolvimento socioeconômico

Palavras-chave: Conchas de Mariscos, Concreto Não Estrutural, Desenvolvimento Socioeconômico, Engenharia Civil, Programa Etnomatemática, Sustentabilidade

Resumo

Com um litoral de quase 8000 km de extensão, o Brasil obriga-se a gerir a Maricultura e práticas de mariscagem, e os impactos socioambientais decorrentes dos resíduos do consumo de seus recursos. A Engenharia Civil destaca-se nesse processo de gestão, buscando meios para minimizar esses impactos. Nesse contexto, a Etnomatemática pode apresentar-se como uma perspectiva ao diálogo entre as culturas acadêmica e marisqueira, juntamente com a Etnomodelagem, possibilitando a construção mútua de conhecimentos. Sob o olhar de duas pesquisadoras, da Engenheira Civil e do Programa Etnomatemática, este artigo toma por base uma investigação sobre a influência do uso das conchas de mariscos como agregado graúdo no concreto não estrutural e sua proposta matemática de substituição pelo agregado tradicional; discorrendo sobre esta possibilidade, em vias da sustentabilidade e do desenvolvimento socioeconômico, inclui reflexões acerca de viabilidades práticas do modelo matemático proposto. A expectativa é contribuir para o debate teórico e aproveitamento adequado dos resíduos do cultivo de mariscos, tendo em vista, especialmente, a relevância que o assunto pode ter para a Engenharia Civil, Etnomatemática, Ecologia, Economia, e o interesse comunitário que pode despertar na Educação, Ambiental, Comunitária, Matemática e em geral, e nas políticas públicas, no sentido de valorização e fortalecimento dos saberes e fazeres e projetos das comunidades marisqueiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olenêva Sanches Sousa, Red Internacional de Etnomatemática
Doutorado em Educação Matemática. Red Internacional de Etnomatemática.
Lis Barral Sousa, Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge)
Bacharelado em Engenharia Civil. Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge).

Referências

ABNT. NBR 12255: Execução e utilização de passeios públicos. Rio de Janeiro, 1991.

ARAÚJO, Maria Inêz O.; FERRETE, Anne Alilma S. S.; FERRETE, Rodrigo B. Como trabalhar Etnomatemática e Educação Ambiental?. Ambiente & Educação, v. 20, n. 2, p. 24-44, 2015. Disponível em: https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/5760. Acesso em: 02 mai. 2021.

ASSAD, Luís Tadeu; BURSZTYN, Marcel. Aquicultura sustentável. Aquicultura no brasil: bases para um desenvolvimento sustentável. Brasília: CNPq, MCT, 2000. p. 33-72. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/9642. Acesso em: 02 mai. 2021.

BARRAL, Lis. A influência das conchas de mariscos como agregado graúdo para o concreto não estrutural. 2018. 33 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil) – UNIJORGE, Salvador, 2018.

BARBOZA, Marcos; BASTOS, Paulo Sérgio. Traço de Concreto para Obras de Pequeno Porte. Departamento de Engenharia Civil. São Paulo: UNESP, 2008.

BATISTA, Bernadete et al. Bloco Verde – Reaproveitamento de resíduos da construção civil e de conchas de ostras e mariscos. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIAS PARA O MEIO AMBIENTE, 1., 2008, Rio Grande do Sul. Anais [...]. Rio Grande do Sul, 2008. Disponível em: https://siambiental.ucs.br/congresso/getArtigo.php?id=43&ano=_primeiro. Acesso em: 02 mai. 2021.

BRASIL. Presidência da República. Lei Nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências, 1999.

BOICKO, Alysson Luís; HOTZA, Dachamir; SANT’ANNA, Fernando. Utilização das conchas da ostra Crassostrea gigas como carga para produtos de policloreto de vinila (pvc). Disponível em: http://www.projetoconchas.ufsc.br/pub/index.pub.php?s=relatorios. Acesso em: 02 mai. 2021.

CAVALCANTE, Marlon Tardelly M. et al. A Etnomatemática na dinâmica dos processos de esquadrejamento na construção civil. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA, 3., 2018, Anais […]. Campina Grande: CINTEDI, 2018.

COPQUE, Augusto César da S. M. Análise dos conflitos ambientais e uso do território na costa leste do município de Salinas da Margarida - BA. 2010. 193 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental Urbana) – UFBA, 2010.

CORRÊA, Cirlei Marieta de S.; MORETTI, Méricles Thadeu. Casa familiar do mar: uma possibilidade de Educação Matemática Crítica. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 8., 2004, Anais [...] Recife: SBEM, 2004.

CORTEZ, Creuza Soares. Conhecimento ecológico local, técnicas de pesca e uso dos recursos pesqueiros em comunidades da Área de Proteção Ambiental Barra do Rio Mamanguape, Paraíba, Brasil, 2010. 90 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) – Universidade Federal da Paraíba, 2010.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação para uma sociedade em transição, 2. ed. Natal, RN: EDUFRN, 2011.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática, Justiça social e sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 32, n. 94, 2018, p. 189-204, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v32n94/0103-4014-ea-32-94-00189.pdf. Acesso em: 02 mai. 2021.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Sociedade, cultura, matemática e seu ensino. Educação e Pesquisa, v. 31, n. 1, p. 99-120, jan/abr. 2005.

DOURADO, Jaciara B. Elementos traço em sedimentos e Anomalocardia brasiliana (GMELIN, 1791) em área sob influência de carcinicultura, Salinas da Margarida, Bahia. 2013. 102 f. Dissertação (Mestrado em Geoquímica do Petróleo e Ambiental) – Universidade Federal da Bahia, 2013.

GARDINI, André. Legislação para maricultura é débil. (Reportagem). ComCiência. Dossiê temático “Litoral: beleza e transformação”, n. 40, mar. 2003. Disponível em: https://www.oei.es/historico/divulgacioncientifica/reportajes_136.htm. Acesso em: 05 jun. 2019.

IBGE. Urbanização de vias públicas: Censo Demográfico 2010. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/itaparica/panorama. Acesso em: 02 mai. 2021.

JARA, Carlos Julio. As dimensões intangíveis do desenvolvimento sustentável. Brasília: IICA, 2001.

PEREIRA, Leandro Angelo; ROCHA, Rosana Moreira. A maricultura e as bases econômicas, social e ambiental que determinam seu desenvolvimento e sustentabilidade. Ambiente & Sociedade, v. XVIII, n. 3, p. 41-54, jul.-set. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/asoc/v18n3/1809-4422-asoc-18-03-00041.pdf. Acesso em: 02 mai. 2021.

ROSA, Milton; OREY, Daniel Clark. O campo de pesquisa em etnomodelagem: as abordagens êmica, ética e dialética. Educ. Pesqui.[online], 2012, v.38, n.4, p.865-879. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022012000400006. Acesso em: 02 mai. 2021.

SANTOS, Luís Alberto A. dos; Problemática e perspectivas dos resíduos sólidos das conchas de mariscos originados da mariscagem nas comunidades tradicionais em Salinas da Margarida-BA. 2013. 144 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal da Bahia, 2013.

SOUSA, Olenêva Sanches. Programa Etnomatemática: interfaces e concepções e estratégias de difusão e popularização de uma teoria geral do conhecimento. 2016. 276 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Anhanguera, 2016.

SOUSA, Olenêva Sanches. Uni, duni, tê, um currículo colorê, escolhido por você: um ensaio sobre experiências da Educação Básica, inspiradas no Programa Etnomatemática. Dossiê Temático ‘Por uma produção de Ciência Negra…’. Revista da ABNT, v. 9, n. 22, mar-jun.2017, p.303-311. Disponível em: http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/409. Acesso em: 02 mai. 2021.

Museu Nacional. 2018. Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/zoologia/zoo_invertebrados/zoo_moluscos/zoomol022.html. Acesso em: 02 mai. 2021.
Publicado
2021-11-23
Visualizações
  • Artigo 14
  • PDF 12
Como Citar
SOUSA, O. S.; SOUSA, L. B. Concreto com conchas de mariscos: Etnomatemática e construção civil, sustentabilidade e desenvolvimento socioeconômico. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 3, n. Especial, p. 123-141, 23 nov. 2021.