A dimensão afetiva e a Etnomatemática: relação de sentido e caminhos possíveis

  • Sandra Maria Nascimento de Mattos
  • José Roberto Linhares de Mattos Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Afetividade, Wallon, Aprendizagem Significativa, Sentido

Resumo

Ao dar sentido a matemática escolar torna-se possível compreender a matemática do sentido no olhar dos estudantes. Partindo do objetivo de apresentar a dimensão afetiva do Programa Etnomatemática como um aporte teórico viável, entendemos que ocorre o fortalecimento das culturas, caminho para a aprendizagem significativa, já que partimos do que está ancorado na estrutura cognitiva dos estudantes para desenvolver os processos de ensino e de aprendizagem. Transitamos pela afetividade proposta por Wallon (1986a, 1986b, 2005) a qual envolve emoções, sentimentos e paixões, que afetam diretamente a apropriação do conhecimento matemático escolar pelos estudantes, traçamos caminhos possíveis de sentido. Além disso, focamos autores como D’Ambrosio (2020, 2019, 2011), Mattos (2020a, 2020b, 2016), Ausubel (2000, 1968), entre outros, para embasar teoricamente as possibilidades da dimensão afetiva, no sentido de transpor aprendizagens de tonalidades desagradáveis, tornando-as agradáveis, frente aos conceitos matemáticos escolares. A apropriação do conhecimento matemático escolar com tonalidades desagradáveis inviabiliza o despertamento para aprender criativamente. A pesquisa baseia-se em análises bibliográficas que trazem contribuições para a construção da dimensão afetiva do Programa Etnomatemática, principalmente na análise da tese de doutorado de um dos autores. Constatamos que modificar possibilidades de aprendizagem por meio de um ensino criativo e inovador é um dos caminhos que contribuem para aliar as culturas vivenciadas pelos estudantes na contextualização dos conceitos matemáticos escolares. Concluímos com a certeza de que a dimensão afetiva coaduna com o pensamento do idealizador do Programa Etnomatemática, bem como, traz diferentes recursos para compreender o desenvolvimento da aprendizagem significativa dos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUSUBEL, David P. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Tradução Ligia Teopisto. Lisboa: Plántano Edições Técnicas, 2000.

AUSUBEL, David P. Educational psychology: a cognitive view. Nova York: Holt, Rinehart and Winston lnc, 1968.

AUSUBEL, David P.; NOVAK, Joseph D.; HANESIAN, Helen. Psicología educativa: un punto de vista cognoscitivo. 2. ed. México: Trilhas, 1998.

BANDEIRA, Francisco de Assis. Pedagogia etnomatemática: reflexões e ações pedagógicas em matemática do ensino fundamental. recurso eletrônico. Natal, RN: EDUFRN, 2016. Disponível em: http://www.repositorio.ufrn.br/. Acesso em: 11 abr. 2022.

BARBIER, R. A escuta sensível na abordagem transversal. In: BARBOSA, J. (Org.). Multirreferencialidade nas Ciências e na Educação. São Carlos: Editora da UFSCar, 1998. p.168-199.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BRASIL. MEC. SEB. Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 12 maio 2021.

BRASIL. MEC. SEB. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica - DCN. Brasília: MEC/SEB, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13448-diretrizes-curiculares-nacionais-2013-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 12 maio 2021.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Tradução: Bruno Magne. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Prefácio. In: MATTOS, Sandra M. N. O sentido da matemática e a matemática do sentido: aproximações com o Programa Etnomatemática. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2020. p. 7-10.

D’AMBROSIO, Ubiratan. O Programa Etnomatemática e a crise da civilização. Hipátia, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 16-25, 2019.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. (Coleção Tendências em Educação Matemática)

GEERTZ, Cliffort. A interpretação das culturas. 13. reimp. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

GÓMEZ CHACÓN, Inés M. Matemática emocional: os afetos na aprendizagem matemática. Tradução: Daisy V. Moraes. Porto Alegre: Artmed, 2003.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Tradução: Daniel Miranda e William Oliveira. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2016.

MATTOS, Sandra Maria Nascimento de. O sentido da matemática e a matemática do sentido: aproximações com o Programa Etnomatemática. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2020a.

MATTOS, Sandra Maria Nascimento de. Formação de professores de matemática: ecos em Paulo Freire e no Programa Etnomatemática. In: MATTOS, José Roberto Linhares de; SILVA, Romaro Antônio (org.). Etnomatemáticas em vários contextos. Macapá: EDIFAP, 2020b. p. 237-263.

MATTOS, Sandra Maria Nascimento de. O sentido de matemática ou a matemática do sentido: um estudo com alunos do ensino fundamental II. 2016. 274 f. Tese (Doutorado em Educação: Psicologia da Educação) - Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP, São Paulo/Universidade Católica do Porto, Porto, Portugal, 2016.

MATTOS, Sandra Maria Nascimento de; MATTOS, José Roberto Linhares de. A dimensão afetiva do Programa Etnomatemática: teorias e caminhos possíveis. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 8., 2021b. Anais [...]. Sbem, p. 907- 919, 2021b. Disponível em: http://www.sbembrasil.org.br/files/sipemviii.pdf. Acesso em: 14 abr. 2022.

MATTOS, Sandra Maria Nascimento de; MATTOS, José Roberto Linhares de. Práticas docentes inovadoras: caminhando na incerteza momentânea entre o status quo e a ousadia. Revista Teias, v. 22, n. 65, p. 12-25, 2021a. Seção Temática Práticas pedagógicas alternativas em contextos de incerteza e crise. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/55752/37819. Acesso em: 12 maio 2021.

MATTOS, Sandra Maria Nascimento de; MATTOS, José Roberto Linhares de. Etnomatemática e prática docente indígena: a cultura como eixo integrador. Hipátia, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 102-115, 2019.

MOREIRA, Marco Antonio,;MASINI, Elcie F.S. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

SANTOS, Boaventura de Souza. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 2010.

WALLON, Henri. A evolução psicológica da criança. Tradução Cristina Carvalho. Lisboa: Edições 70, 2005.

WALLON, Henri. Os meios, os grupos e a psicogênese da criança. In: WEREBER, Maria J. G.; NADEL-BRULFERT, Jacqueline (org.). Henri Wallon. Tradução Elvira Souza Lima. São Paulo: Ática, p.168-178, 1986a. (Coleção Grandes Cientistas Sociais, n. 52)

WALLON, Henri. O papel do outro na consciência do eu. In: WEREBER, Maria J. G.; NADEL-BRULFERT, Jacqueline (Org.). Henri Wallon. Tradução: Elvira Souza Lima. São Paulo: Ática, p.158-167, 1986b. (Coleção Grandes Cientistas Sociais, n. 52)

WALSH, Catherine (Ed.). Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y
(re)vivir. Tomo I. Quito: Abya-Yala, 2013. p. 23-68.
Publicado
2022-12-30
Visualizações
  • Artigo 22
  • PDF 28
Como Citar
MATTOS, S.; MATTOS, J. R. A dimensão afetiva e a Etnomatemática: relação de sentido e caminhos possíveis. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 4, n. 2, p. 84-98, 30 dez. 2022.