Reflexões sobre a Etnomatemática na Licenciatura em Matemática

  • Gisele Américo Soares Universidade Estácio de Sá, AEDB e SEEDUC RJ
  • Maria Cecilia Fantinato Universidade Federal Fluminense https://orcid.org/0000-0003-1406-1835
Palavras-chave: Etnomatemática, Formação inicial de professores, Prática pedagógica

Resumo

Este estudo teve como objetivo analisar as marcas deixadas, entre futuros professores, por uma disciplina de Etnomatemática na Licenciatura. A pesquisa fundamentou-se em referenciais da Etnomatemática e da Formação de Professores. Foram identificados cinco cursos que apresentavam, em 2018, alguma disciplina com a palavra Etnomatemática no título, por meio de consulta à plataforma e-MEC. Os 37 participantes da pesquisa foram os 5 professores de tais disciplinas, assim como 32 estudantes que já a haviam cursado. A produção dos dados se deu por meio da análise das ementas e dos planos de curso de cada componente curricular, das entrevistas com os professores e do questionário eletrônico respondido pelos estudantes. Nesse texto apresentamos os resultados parciais no que tange a percepção dos sujeitos da pesquisa em relação ao currículo vivenciado na disciplina. Os resultados evidenciaram que as experiências vivenciadas nas aulas influenciaram na forma como os estudantes concebem e visualizam a sua prática docente no futuro. Os dados sinalizam que há grande resistência dos discentes para as leituras acadêmicas e que existe na visão dos docentes e discentes a necessidade de esses componentes curriculares ofertarem experiências fora da escola, como o objetivo de ir ao encontro do “outro”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CRAWFORD, Kathryn; ADLER, Jill. Teachers as Researchers in Mathematics Education. In: BISHOP, A. et al. (org.). International Handbook of Mathematics Education. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 1996. p. 1.187-1.208.

D’AMBROSIO, Ubiratan. A transdisciplinaridade como acesso a uma história holística. In: WEIL, P.; D’AMBROSIO, U.; CREMA, R. Rumo à nova transdisciplinaridade: sistemas abertos de conhecimento. São Paulo: Summus, 1993. p. 75-124.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

DOMITE, Maria Carmo Santos. Da compreensão sobre formação de professores e professoras numa perspectiva etnomatemática. In: KNIJNIK, G.; WANDERER, F.; OLIVEIRA, C. J. (org.). Etnomatemática: currículo e formação de professores. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2004. p. 419-431.

FERNANDES, Domingos. Para uma teoria da avaliação no domínio das aprendizagens. Estudos em Avaliação Educacional, v. 19, n. 41, p. 347-372, set/dez. 2008. Disponível em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1454/1454.pdf. Acesso em: 25 maio 2021.

FERNANDES, Margarida. Métodos de avaliação pedagógica. In: ABRANTES, Paulo; ARAÚJO, Filomena (coord.). Reorganização curricular do ensino básico. Avaliação das aprendizagens. Das concepções às práticas. Lisboa: Ministério da Educação - Departamento da Educação Básica, 2002. p. 67-74.

FIORENTINI, Dario. A formação matemática e didático-pedagógica nas disciplinas da Licenciatura em Matemática. Revista de Educação da PUC-Campinas, Campinas, n. 18, p. 107-115, 2005.

FIORENTINI, Dario; OLIVEIRA, Ana Teresa Carvalho Correa. O lugar das matemáticas na Licenciatura em Matemática: que matemáticas e práticas formativas? Bolema, Rio Claro, v. 27, n. 47, p. 917-938, 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 29. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GERDES, Paulus. Etnomatemática e Educação Matemática: uma panorâmica geral. Quadrante, v. 5, n. 2, p. 105-138, 1996.

MONTEIRO, Alexandrina. A Etnomatemática em cenários de escolarização: alguns elementos de reflexão. In: KNIJNIK, G.; WANDERER, F.; OLIVEIRA, C. J. (org.). Etnomatemática: currículo e formação de professores. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2004. p. 420-432.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, Bauru, v. 9, n. 2, p. 191-210, 2003.

MOREIRA, Darlinda. A Etnomatemática e a formação de professores. Discursos: Perspectiva em Educação, n. 2, p. 27-38, dez. 2004.
RIBEIRO, José Pedro Machado. Etnomatemática e a formação e professores indígenas: um encontro necessário em meio ao diálogo intercultural. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2006.

SERRAZINA, Maria de Lurdes Marquês. Conhecimento matemático para ensinar: papel da planificação e da reflexão na formação de professores. Revista Eletrônica de Educação, v. 6, n. 1, maio 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14244/19827199355. Acesso em: 15 maio 2021.

SHULMAN, Lee S. Those who understand: Knowledge growth in teaching. Educational, v. 15, n. 2, p. 4-14, 1986.

STILLMAN, Gloria; BALATTI, Jo. Contribution of Ethnomathematics to mainstream Mathematics classroom practice. In: ATWEH, B. et al. (org.). Sociocultural research on Mathematics Education: an international perspective. London, England: Lawrence Erlbaum Associates, 2001. p. 313-328.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.
Publicado
2022-12-30
Visualizações
  • Artigo 38
  • PDF 33
Como Citar
SOARES, G.; FANTINATO, M. C. Reflexões sobre a Etnomatemática na Licenciatura em Matemática. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 4, n. 2, p. 99-111, 30 dez. 2022.