Etnomatemática e modelagem: da linguagem à insurreição dos saberes

  • Rafael Bida Guabiraba Martins Universidade Federal de São Carlos
  • Ademir Donizeti Caldeira Universidade Federal de São Carlos https://orcid.org/0000-0003-0290-9851
Palavras-chave: Etnomatemática, Modelagem, Foucault, Wittgenstein

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir algumas inquietações oriundas dos processos de modelagem de saberes etnomatemáticos relacionados ao ambiente escolar e à matemática escolar. Dessa forma, com o intuito de entender as relações disponíveis nos modelos que emergem destes processos, alguns conceitos filosóficos das obras de Michel Foucault e Ludwig Wittgenstein foram utilizados para pensar o campo da Educação Matemática. A fundamentação nas ideias de Wittgenstein possibilita um olhar aos múltiplos saberes como um jogo de linguagem de diferentes formas de vida e suas semelhanças de família; por outro lado, a partir da insurreição de saberes, Foucault viabilizou a compreensão de que estes múltiplos saberes podem ser submetidos a uma cientificidade hegemônica quando inseridos no ambiente escolar. O conjunto destas ideias direcionou a uma complexa rede de conhecimentos, saberes e práticas que faz com que outras “matemáticas” não legitimadas – ou seja, as “etnomatemáticas” – sejam inseridas no ambiente escolar, utilizando-se dos processos de modelagem de saberes socioculturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ademir Donizeti Caldeira, Universidade Federal de São Carlos

Professor Associado IV do Departamento de Metodologia de Ensino da Universidade Federal de São Carlos. Possui Graduação em Licenciatura em Matemática pela UNESP/IBILCE(1987), Mestrado em Educação Matemática pela UNESP/RIO CLARO (1992) e Doutorado em Educação pela FE/UNICAMP (1998). Desenvolve investigação de pós doutoramento na Universidade NOVA de Lisboa ? Portugal (2022-2023). Vice Líder do Grupo de Pesquisa em Educação Matemática e Cultura (CNPq). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnomatemática-FE/USP (GEPEm), membro do Grupo de Pesquisas Educação em Fronteiras (EmF). Credenciado no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCar. Pró-reitor de Graduação (2016-2020) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar); Vice-Diretor do Centro de Ciência da Educação (2008-2010) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Diretor do Curso de Matemática (1998-2003) da Universidade de Uberaba (UNIUBE). Tem experiências na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática atuando principalmente nos seguintes temas: Modelagem Matemática na Educação Matemática e Etnomatemática.

Referências

BOURDIEU, P. Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 2004.

CALDEIRA, A. D. Modelagem Matemática: um outro olhar. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 33-54, 2009.

CONDÉ, M. L. L. As teias da Razão: Wittgenstein e a crise da racionalidade moderna. Belo Horizonte: Argumentum Editora, 2004.

D’AMBROSIO, U. Sociedade, cultura, matemática e seu ensino. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 1, mar. 2005. p. 99-120.

DUARTE, C. G. Produzindo fissuras nas “verdades” da matemática. In: HENNING, P. C. et al. (Orgs.). Perspectivas de investigação no campo da educação ambiental & educação em ciências. Rio Grande, RS: FURG, 2011. p. 72-83

FOUCAULT, M. Em defesa da sociedade. Curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1999a.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1999b.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. 21. ed. São Paulo: Editora Graal, 2005.

KNIJNIK, G.; GIONGO, I. M.; DUARTE, C. G. Etnomatemática em movimento. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

VASCONCELLOS, P. S. A tradução poética e os Estudos Clássicos no Brasil de hoje: algumas considerações. Scientia traductionis, n. 10, p. 68-79, 2011.

VEIGA-NETO, A.; LOPES, M. C. Inclusion and governmentality. Educação & Sociedade, v. 28, n. 100, p. 947-963, 2007.

VILELA, D. S. Etnomatemática e virada linguística: práticas educacionais. In: ENCONTRO DE ETNOMATEMÁTICA DO RIO DE JANEIRO, 2016. Niterói: Sbem-RJ. Anais [...]. Niterói, Sbem-RJ, 2016.

WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. Tradução: José Carlos Bruni. São Paulo: Editora Nova Cultural Ltda., 2004.
Publicado
2022-12-30
Visualizações
  • Artigo 38
  • PDF 56
Como Citar
BIDA GUABIRABA MARTINS, R.; DONIZETI CALDEIRA, A. Etnomatemática e modelagem: da linguagem à insurreição dos saberes. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 4, n. 2, p. 33-43, 30 dez. 2022.