Análise das bionarrativas sociais (BIONAS) produzidas na Uemg/Divinópolis: um olhar para as temáticas gestadas no Centro-Oeste Mineiro

Palavras-chave: Biodiversidade, Narrativa, Alteridade, Cultura

Resumo

As bionarrativas sociais, carinhosamente nominadas como BIONAS, surgiram com o intuito de trazer à tona escritas e narrativas construídas por licenciandos nas universidades. Consideramos as BIONAS como processos de conhecimento que partem das memórias, contradições e formas de ler o mundo pelas relações nos territórios e biodiversidades. O objetivo deste trabalho consiste em analisar os temas das bionarrativas sociais (BIONAS) produzidas pelos alunos do curso de pedagogia no contexto das disciplinas de Conteúdo e Metodologia de Ciências I e II. O trabalho foi desenvolvido através da análise documental das bionarrativas produzidas nos anos de 2020 e 2021 na Universidade do Estado de Minas Gerais. Apresentamos a descrição dos documentos a partir de seis agrupamentos: “águas”, “espaço e manifestação cultural”, “culinária”, “fauna”, “flora” e “sustentabilidade”. As análises realizadas possibilitam perceber que as bionarrativas sociais devem reunir requisitos básicos para que sejam consideradas uma BIONAS: alteridade, posicionamento e aspectos autobiográficos. Foi possível compreender, também, que a metodologia e a forma como os autores foram estimulados afetou no resultado da narrativa. Esses temas nos mostraram como a produção de REAs (recursos educacionais abertos) do tipo de BIONAS possibilita criar conhecimentos e reflexões plurais sobre um mesmo tema ou conteúdo. Ainda que tenhamos feito o esforço em agrupar as BIONAS para uma melhor sistematização metodológica e analítica, reconhecemos a autenticidade de produção de sentido que os autores construíram em cada BIONAS, mesmo sendo o mesmo tema de outra feita neste mesmo contexto de formação. Esse movimento é que consiste na bionarrativa social e não apenas o produto final REA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Gonçalves de Queiros Pena, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Graduação em Pedagogia - Universidade do Estado de Minas Gerais

Laís de Souza Rédua, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM - 2016). Mestrado em Educação da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM - 2019) e doutoranda em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Professora no magistério superior na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG/Divinópolis).

Referências

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; VALENTE, José Armando. Integração Currículo e Tecnologias e a Produção de Narrativas Digitais. Currículo sem Fronteiras, v. 12, n. 3, p. 57-82, set./dez. 2012. Disponível em: Capítulo XXX (curriculosemfronteiras.org). Acesso em: 6 out. 2022.

CASTRO, Rafael Gil de; MOTOKANE, Marcelo Tadeu; KATO, Danilo Seihti. As concepções de biodiversidade apresentadas por monitores de projeto envolvendo atividades de trabalho de campo. Revista da SBEnBIO, n. 7, out/2014.

DUDZIAK, Elisabeth. Licenças Creative Commons: saiba mais sobre isso. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/wp/noticias/licencas-creative-commons-saiba-mais-sobre-isso/. Acesso em: 29 dez. 2022.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
KATO, Danilo Seithi (Org.). BIONAS para formação de professores de Biologia: experiências no observatório da educação para biodiversidade. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2020. 210 p.

KATO, Danilo Seithi; TEIXEIRA, Luciana AS. Interculturalidade e Educação Popular: bionarrativas sociais para a diversidade. Belém: RFB, 2022.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, Editora Pedagógica e Universitária, 1986. 99p.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2008.

PHILLIPS, Bernard S. Pesquisa social: estratégias e táticas. Rio de Janeiro: Agir, 1974. 460 p

RÉDUA, Laís de Souza; KATO, Danilo Seithi. Oficinas pedagógicas interculturais: vozes e experiências na formação de professores do Triângulo Mineiro. In: KATO, Danilo Seithi (org.). Bionas para a formação de professores de Biologia: experiências no observatório da Educação para a Biodiversidade. 1ª ed. São Paulo: Livraria da Física (coleção Ensino de Biologia), 2020, v., p. 39-59.

SANTANA, Bianca. Recursos educacionais abertos: conhecimento como bem comum, autoria docente e outras perspectivas. In: CÁSSIO, F. Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. São Paulo: Boitempo, 2019.

SILVA, Reginaldo. Nova Serrana - Festa do Reinado. Disponível em: https://www.ipatrimonio.org/nova-serrana-festa-do-reinado/. Acesso em: 19 nov. 2022.

SILVA, Luiza Martins Carneiro Pereira; RÉDUA, Laís de Souza; KATO, Danilo Seithi. Biodiversidade local, territorialidades e singularidades na formação de professores de ciências Local biodiversity, territorialities and singularities in science teacher training. Revista Iniciação & Formação Docente, 8.4-2021.

UNESCO, 2012. Declaração REA de Paris. Disponível em: http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/CI/WPFD2009/)Portuguese_Declaration.html. Acesso em: 07 jun. 2022.
Publicado
2023-10-13
Visualizações
  • Artigo 79
  • PDF 54
Como Citar
PENA, M.; RÉDUA, L. Análise das bionarrativas sociais (BIONAS) produzidas na Uemg/Divinópolis: um olhar para as temáticas gestadas no Centro-Oeste Mineiro. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 5, n. 1, p. 75-91, 13 out. 2023.