O ateliê como potência para Educação Infantil: algumas linhas de invenção

  • Ana Paula Parise Malavolta AURA ASSESSORIA EDUCACIONAL E INSTITUCIONAL
  • Pablo Henry Silveira Wouters
Palavras-chave: Ateliê, Educação Infantil, Criança

Resumo

A presente escrita versa sobre a potência do Ateliê para a composição de espaços criativos no cenário da Educação Infantil. Para tanto, nos amparamos em reflexões sobre a proposta de Ateliê e suas modificações durante o decorrer dos processos históricos na Arte, na Pedagogia e na Educação, encontrando pontes de conexão entre o viver do artista e o viver da criança. Ademais, a metodologia que configura a constituição dessa escrita fundamenta-se pela proposta de Ensaio (LARROSA, 2003), possibilitando a constituição de linhas investigativas e narrativas para esta produção. Por fim, percebemos arranjos inventivos, poéticos e estéticos que mobilizam o encontro da perspectiva do Ateliê com os espaços de vida cotidiana das crianças no território da Educação Infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. A Base Nacional Comum Curricular e o currículo escolar. Contribuições teóricas e práticas pedagógicas: o Programa A União Faz a Vida na educação infantil (PUFV EI)/ Daniela Haetinger; Max Günther Haetinger (organizadores). 2. ed. Porto Alegre: Sicredi, 2019. p. 21-24.

BARROS, Manoel de. Meu quintal é maior do que o mundo. [Recurso eletrônico] Manoel de Barros; - Rio de Janeiro : Objetiva, 2015.

BRASIL. (2018). Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular - Educação é a Base. Brasília, MEC. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br. Acesso em 26/12/2018.

CESAR, Marisa Flórido. O ateliê do artista. Revista do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais EBA - UFRJ. Rio de Janeiro, 2002.

DERDYK, Edith. Semente. São Paulo: Livraria da Travessa, 2013.

FACCO, Marta Lucia Cargnin. Reflexões sobre o ateliê como lugar/espaço em processos de criação em Artes Visuais. Revista Digital do LAV, Santa Maria, v. 10, n. 2, p. 213-227, mai.-ago., 2017.

FELÍCIO, Helena Maria dos Santos. Análise curricular da escola de tempo integral na perspectiva da educação integral. Revista e-curriculum, São Paulo, v. 8, n.1, 2012.

FOWLER, Alastair. Kinds of literature: introduction to the theory of genres and modes. Londres: Oxford University Press, 1982.

LARROSA, Jorge. O ensaio e a escrita acadêmica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 28, n. 2, p. 101-115, jul-dez, 2003.

MALAGUZZI, Loris. As linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artmed, 1998. p.59-104.

PEREIRA, Marcelo de Andrade. (Org.). Performance e Educação: [des]territorializações pedagógicas. Santa Maria: UFSM, 2017.

SILVA, Fernanda Pequeno da. Ateliês Contemporâneos: possibilidades e problematizações. Anais do 56º Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas, Rio de Janeiro, pp. 59-73. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2017.

SINDER, Valter. Considerações sobre antropologia e literatura: o ensaio como escrita da cultura. Literatura e cultura / organizadores: Heidrun Krieger Olinto e Karl Erik Schøllhammer. – Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2008. p. 29-36.

SICREDI. O Programa A União Faz a Vida na educação infantil. Daniela Haetinger; Max Günther Haetinger (organizadores). 2ª ed. Porto Alegre: Sicredi, 2019.

WINNICOTT, Donald Woods. O brincar e a realidade. Tradução Jose Octávio de Aguiar Abreu e Vanede Nobre. Rio de Janeiro: Imago Editora LTDA, 1975.
Publicado
2023-10-13
Visualizações
  • Artigo 106
  • PDF 254
Como Citar
MALAVOLTA, A. P. P.; SILVEIRA WOUTERS, P. O ateliê como potência para Educação Infantil: algumas linhas de invenção. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 5, n. 1, p. 202-213, 13 out. 2023.