Arquitetura do desenvolvimento profissional docente: contribuições do tempo de escola, do magistério e da educação superior
PDF

Palavras-chave

Formação de Professores/as
Contribuições da Formação
Desenvolvimento Profissional Docente

Como Citar

FERREIRA, K. C.; SILVA, G. Arquitetura do desenvolvimento profissional docente: contribuições do tempo de escola, do magistério e da educação superior. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 1, n. 1, p. 44-54, 19 dez. 2019.

Resumo

Buscamos, neste artigo, trazer uma investigação a qual é fruto de minha dissertação de Mestrado. Essa investigação foi realizada com os/as professores/as dos anos iniciais do Ensino Fundamental do município de Porto Seguro/BA, possibilitando que eles/as analisassem sua formação inicial e continuada, e como apreenderam os efeitos dessas atividades em seu desenvolvimento profissional. Os dados foram coletados, por meio de questionário e entrevistas. O que foi selecionado aqui neste artigo tange às contribuições dos tempos de escola, da formação inicial em magistério e da formação em nível superior para o desenvolvimento profissional docente. Entretanto, enquanto parte da minha dissertação, este artigo parte da ideia de que a formação continuada, a qual é entendida como um prolongamento da formação inicial, visa o aperfeiçoamento profissional, bem como uma busca por incentivos pessoais e profissionais para o exercício das funções que exerce na escola. Dessa forma, este contribui com as discussões pedagógico-científicas desenvolvidas nas variadas instâncias que fomentam a efetivação de políticas públicas para a formação de professores/as.
PDF

Referências

FORMOSINHO, João (Coord). Formação de professores: aprendizagem profissional e ação docente. Porto: Porto Editora, 2009.

FORMOSINHO, João; NIZA, Sérgio. Iniciação à prática profissional nos cursos de formação inicial de professores. In: FORMOSINHO, João (Coord.). Formação de professores: aprendizagem profissional e ação docente. Porto: Porto Editora, 2009.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. Rio de Janeiro: Record, 1997.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/painel.php?lang=&codmun=292530&search=bahia%7Cporto-seguro%7Cinfograficos:-dados-gerais-do-municipio Acesso em: 10 de maio 2015.

MARCELO GARCÍA, Carlos. Desenvolvimento profissional: passado e futuro. Sísifo – Revista das Ciências da Educação, Lisboa, n. 8, p. 7-22, jan./abr. 2009.

MARCELO GARCÍA, Carlos. Formação de professores para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

MENEZES, Ebenezer Takuno; SANTOS, Thais Helena dos. Verbete Proformação (Programa de Formação de Professores em Exercício). Dicionário Interativo da Educação Brasileira - Educabrasil. São Paulo: Midiamix. Disponível em: . Acesso em: 08 de set. 2016.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EdUFSCar, 2002.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: Identidade e saberes docentes. In: PIMENTA, Selma Garrido (org.). Saberes Pedagógicos e atividades docentes. 8. Ed. São Paulo: Cortez, 2012.

SAVIANI, Demerval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no
contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p.143-155, jan./abr. 2009.

SILVA, Geovani de Jesus. Tempos cotidianos de professoras/es fora da escola: outras histórias. 2014. 209f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2014.

TANURI, Leonor Maria. História da formação de professores. 2006. Revista Brasileira de Educação, n. 14, p 61-88, mai/jun/jul/ago, 2000.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.