Ensino de poliedro regular com uso do software Poly: uma experiência desenvolvida na educação escolar indígena

Palavras-chave: Educação Matemática, Tecnologia Educativa, Software Poly, Geometria Espacial, Educação Intercultural

Resumo

O artigo apresenta uma experiência de ensino de poliedro regular na Educação Escolar Indígena, com uso do software Poly. O planejamento da aula de matemática foi idealizado tendo como estratégia a realização de uma oficina para estudantes Galibi-Marworno do ensino médio, na Escola Indígena Estadual Camilo Narciso, localizada na aldeia Kumarumã, no Norte do Brasil e o texto foi produzido com base no método descritivo. O software Poly motiva a comunicação oral e a prática do bilinguismo em língua Portuguesa e Kheoul entre os estudantes indígenas, o que verificamos pelos diálogos em sala de aula. O software matemático serve para planejar, ensinar e aprender as características dos poliedros regulares ou convexos, e para visualizar suas planificações, como também para identificar as arestas (A), faces (F) e vértices (V). Além disso, o Poly pode ser explorado para resolver uma atividade de geometria espacial proposta pelo professor indígena e não indígena, envolvendo questões discursivas e resolução de problemas matemáticos que dependam da fórmula V - A + F = 2. Os estudantes indígenas do ensino médio mostraram interesse que outros professores trabalhem com o software Poly no ensino intercultural. Nas reflexões dos grupos de estudos, eles avaliaram que o Poly auxilia a entender a geometria espacial, desenvolver a aprendizagem matemática e aprender o que uma pessoa pode fazer com o Poly na aula de poliedro regular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaizinho Maurício Monteiro, Governo do Estado do Amapá, Secretaria de Estado da Educação, Escola Indígena Estadual Camilo Narciso
Graduado em Licenciatura Intercultural Indígena pela Universidade Federal do Amapá (UNIFAP/CLII), área de habilitação em Ciências Exatas e da Natureza, com Especialização em Ensino de Matemática para Ensino Médio, ofertada pelo Programa Universidade Aberta do Brasil (UAB) e o Departamento de Educação a Distância da  Universidade Federal do Amapá. Participa do Núcleo de Pesquisa História da Ciência e Cultura (NUPHCE). 
Eliane Leal Vasquez, Universidade Federal do Amapá
Doutora em História da Ciência pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PEPGHC/PUC-SP). Professora adjunta do Curso de Graduação em Matemática (DCET/UNIFAP) e foi professora formadora do Curso de Especialização em Ensino de Matemática para o Ensino Médio (DEAD/UNIFAP). Líder do Núcleo de Pesquisa História da Ciência e Ensino (NUPHCE/CNPq).

Referências

BATISTA, Silvia Cristina Freitas; BARCELOS, Gilmara Teixeira; AFONSO, Flávio de Freitas. Tecnologias de informação e comunicação no estudo de temas matemáticos. In: CONGRESSO NACIONAL DE MATEMÁTICA APLICADA E COMPUTACIONAL, 28, Santo André, 2005. Anais... São Paulo: SBMAC, 2005. 1 CD-ROM.

BAVARESCO, Andréia; MENEZES, Marcela. Entendendo a PNGATI: Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental Indígenas. Brasília: GIZ, Projeto GATI, Funai, 2014.

BORBA, Marcelo de Carvalho; MALHEIROS, Ana Paula dos Santos; AMARAL, Rúbia Barcelos. Educação a distância online. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. (Coleção Tendências em Educação Matemática)

BORBA, Marcelo de Carvalho; SILVA, Ricardo Scucuglia Rodrigues da; GADANIDIS, George (Orgs.). Fases das tecnologias digitais em educação matemática: sala de aula e internet em movimento. Belo Horizonte: Autêntica, 2014. . (Coleção Tendências em Educação Matemática)

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental, 2005.

BRASIL. Resolução nº 1 de 07 de janeiro de 2015. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores Indígenas em Cursos de Educação Superior e de Ensino Médio e da outras providencias. Diário Oficial da União, Brasília, 11 de janeiro de 2015, Seção 1, p. 11-12.

BRASIL. Resolução nº 5 de 22 de junho de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena na Educação Básica. In: BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013. p. 403-414.

COSTA, José Salazar da. Informática na educação: o uso do computador no processo de ensino e aprendizagem nas escolas de Açu/RN na perspectiva dos atores envolvidos neste processo. Inter Place Science, Campos dos Goytacazes, v. 1, n. 4, p. 1-25, 2009.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Da realidade à ação: reflexões sobre educação matemática. 5.ed. São Paulo: Summus, 1986.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação matemática: da teoria à prática. 10.ed. Campinas: Papirus, 2003.

FANTI, Ermínia de Lourdes Campello; KODAMA, Hélia Matiko Yano; NECCHI, Maria Aparecida. Explorando Poliedros no Ensino Médio com o Software Poly. In: PINHO, Sheila Zambello de; OLIVEIRA, José Brás Barreto de. (Org.). Livro Eletrônico dos Núcleos de Ensino da Unesp - Artigos dos projetos realizados em 2007. São Paulo: Ed. Cultura Acadêmica, Unesp, 2011, p. 729-745.

GOULART, Alexandre. (Org.) Plano de vida dos povos e organizações indígenas de Oiapoque. Oiapoque: Associação dos Povos Indígenas do Oiapoque, 2009.

GUIMARÃES, Frederico. Software livre na educação é bom e eu gosto!. 2009. Disponível em: https://softwarelivrenaeducacao.wordpress.com/page/7/?app-download=ios, Acesso: 20 Set. 2019.

LIMA, Rafael Pontes. Ensino e a aprendizagem significativa das operações com frações: sequência didática e o uso de tecnologias digitais para alunos do ensino fundamental II. 2014. 232f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2014.

MARÍN, Margarita. Internet en el aula de matemáticas. In: VELÁZQUEZ, F. et al. (Coord.). Matemáticas e Internet. Barcelona: Gráo, 2004. p. 15-38.

MIALICH, Flávia Renata. Poliedros e Teorema de Euler. 2013. 79f. Dissertação (Mestrado em Matemática) – Universidade Estadual Paulistana “Júlio de Mesquita Filho”, São José do Rio Preto, 2013.

MONTEIRO, Jaizinho Maurício. Tecnologia educativa e educação escolar indígena: ensino de poliedros regulares com uso do Software Poly. 2016. 26f. Monografia (Especialização em Ensino de Matemática para o Ensino Médio) – Universidade Federal do Amapá, Macapá, 2016.

NIETO, Rodrigo Zuza; BAIRRAL, Marcelo Almeida. “Poliedro é um sólido, correto?”: um estudo com graduandos interagindo em um chat sobre a definição de poliedro. Ciência & Educação, Bauru, v. 19, n. 1, p. 73-88, 2013.

PAIVA, Mamoel. Matemática: Ensino Médio. São Paulo: Ed. Moderna, 2013. v. 2.

PEDAGOGUERY SOFTWARE. Disponível em: http://www.peda.com/download, Acesso: 20 Set. 2019.

PIOVESAN, Caliandra; DOMENICO, Camila Nicola Boeri Di. Caracterização do ensino da matemática na educação escolar indígena da região Noroeste do Rio Grande do Sul: uma visão a partir do perfil do professor. In: ESCOLA DE INVERNO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 4., E ENCONTRO NACIONAL PIBID: MATEMÁTICA, 2., Santa Maria, 2014. Anais... Santa Maria: UFSM, 2014, p. 1-11.

REIS, Júnias Belmont Alves dos. O conceito de tecnologia e tecnologia educacional para alunos do ensino médio e superior. 2009. Disponível em: http://alb.com.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais17/txtcompletos/sem16/COLE_932.pdf, Acesso: 20 Set. 2019.

RITTER, Andréa Maria. A visualização no ensino de geometria espacial: possibilidades com o software calques 3D. 2011. 143f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

SANT’ANA, Claudinei de Camargo; AMARAL, Rubia Barcelos; BORBA, Marcelo de Carvalho. O uso de softwares na prática profissional do professor de matemática. Ciência & Educação, Bauru, v. 18, n. 3, p. 527-542, 2012.

SCHROEDER, Joachim. Rumo a uma didática intercultural da matemática. In: LIZARZABURU, Afonso E.; SOTO, Gustavo Zapata (Org.). Pluriculturalidade e aprendizagem da matemática na América Latina: experiências e desafios. Tradução: D. V. Moraes. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 159-177.

SILVA, Bento Duarte; BLANCO, Elias; GOMES, Maria João; OLIVEIRA, Lia Raquel. Reflexões sobre a tecnologia educativa. In: CONGRESSO GALAICO-PORTUGUÊS DE PSICOPEDAGOGIA BRAGA, 4., Braga, 4, 1998. Anais... Braga: UM, 1998, p. 238-246. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/8086/1/reflexoes-tecnologia.pdf, Acesso: 20 Set. 2019.

SIQUEIRA, Rogério Monteiro de. História, tradição e pesquisa sob disputa: o caso dos poliedros na Geometria. Revista Brasileira de História da Matemática, Rio Claro, v. 9, n. 17, p. 53-63, 2009.

SMOLE, Katia Stocco; DINIZ, Maria Ignez. Matemática: Ensino Médio. v. 2. São Paulo: Saraiva, 2005.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ. Ofício de 26 de abril, expedido pela Coordenação do Curso de Especialização em Ensino de Matemática para o Ensino Médio - EAD. Macapá, 2016.

VIEIRA, Erika Rodrigues. Tecnologia e prática educativa - a educação indígena em perspectiva: experiência das EEI Aldeia Uru-ity e EEI Aldeia Djaiko-aty. 2011. 147f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Americana, 2011.

ZOTTIS, R. O mestre de todos. 2016. Disponível em: http://ano-zero.com/o-mestre-de-todos/. Acesso: 20 Set. 2019.

Publicado
2020-02-12
Visualizações
  • Artigo 145
  • PDF 196
Como Citar
MONTEIRO, J.; VASQUEZ, E. Ensino de poliedro regular com uso do software Poly: uma experiência desenvolvida na educação escolar indígena. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 1, n. 1, p. 92-110, 12 fev. 2020.
Seção
Relatos de Experiência