A escravidão na doutrina da Igreja: temas e questões em debate da Antiguidade à época moderna

Palavras-chave: Cristianismo; Escravidão; Justos títulos; Batismo; Dízimo

Resumo

A atuação histórica da Igreja e os princípios do Cristianismo acerca da escravidão têm sido objeto de debate desde o séc. XVIII. Neste artigo, procuraremos identificar as linhas de força do pensamento cristão relativamente a este assunto, desde a Antiguidade até a época moderna. Abordaremos, em particular, as questões que monopolizaram a atenção dos autores modernos, a saber: a legitimidade da escravidão, ligada à discussão acerca da “guerra justa” e dos “justos títulos” para a redução dos indivíduos à escravidão; o batismo dos escravizados e o pagamento do dízimo, obrigatório para todos os cristãos. Analisando os testemunhos de autores cristãos e as informações contidas em documentos administrativos etc., procuraremos mostrar que, na época moderna, se procurou conciliar os princípios doutrinários, de natureza teológica e moral, com os interesses econômicos e políticos na defesa do sistema de exploração escravista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANTT, AJCJ, CJ, mç. 56, n. 60, 07/06/1611-11/05/1612
ANTT, CC, Parte I, mç. 115, doc. 108, 19/04/1610
ANTT, MNEJ, mç. 69, n. 5, 1748
ANTT, MR, EXP, mç. 600, n. 10, 30/06/1765; doc. não num., 04/05/1772; doc. não num., 05/05/1772
ANTT, TSO, IL, Processos, n. 3641, 24/05/1781-21/08/1786; n. 5635, 14/05/1784-20/03/1786; n. 15483, 25/07/1729

AGATE, Leonard T. Slavery – Christian. In: HASTINGS, James (Ed.). Encyclopaedia of Religion and Ethics. v. 11. Edinburgh; Nova York: T. & T. Clark – Charles Scribner’s Sons, 1974.

BEBIANO, Rui. A pena de Marte: escrita da guerra em Portugal e na Europa (sécs. XVI-XVIII). Coimbra: Minerva, 2000.

BRÁSIO, António. O espírito missionário de Portugal na época dos Descobrimentos. Lusitania Sacra, Lisboa, s. 1, t. 5 (1960-1961), p. 101-120, 1961.

BRETT, Stephen F. Slavery and the Catholic tradition: rights in the balance. Nova York; etc.: Peter Lang, 1994.

CARVALHO, José Geraldo Vidigal de. A escravidão: convergências e divergências. Viçosa: Ed. Folha de Viçosa, 1988.

CICCOTTI, Ettore. Le déclin de l’esclavage antique. Paris: Librairie des Sciences Politiques et Sociales, 1910.

COPELAND, M. Shawn. Black theology. In: DWYER, Judith A. (Ed.). The new dictionary of Catholic social thought. Collegeville, MN: The Liturgical Press, 1994.

CORCORAN, Gervase. Saint Augustine on slavery. Roma: Institutum Patristicum «Augustinianum», 1985.

COSTA, Emília Viotti da. A abolição. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

COUTINHO, José Joaquim da Cunha de Azeredo. Analyse sobre a justiça do commercio do resgate dos escravos da costa de Africa [...]. Lisboa: Na Nova Officina de João Rodrigues Neves: 1808.

______. Concordância das leis de Portugal e das bullas pontifícias, das quaes humas permittem a escravidão dos pretos d‘Africa, e outras prohibem a escravidão dos indios do Brazil. Lisboa: Na Nova Officina de João Rodrigues Neves, 1808.

DAVIS, David Brion. O problema da escravidão na cultura ocidental. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

DIRECTORIO, que se deve observar nas povoaçoens dos indios do Pará, e Maranhaõ em quanto Sua Magestade naõ mandar o contrario. Lisboa: Na Officina de Miguel Rodrigues, 1758.

FIGUEIREDO, José Ricardo. Modos de ver a produção do Brasil. São Paulo; Campinas: EDUC – Editora Autores Associados, 2004.

FINLEY, Moses I. Escravidão antiga e ideologia moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1991.

GARNSEY, Peter. Ideas of slavery from Aristotle to Augustine. Cambridge; Nova York; Melbourne: Cambridge University Press, 1999.

GENOVESE, Eugene D. Roll, Jordan, roll: the world the slaves made. Nova York: Vintage Books, 1976.

GILBERTSON, Albert N. Slavery – Primitive. In: HASTINGS, James (Ed.). Encyclopaedia of religion and ethics. Vol. 11. Edinburgh; Nova York: T. & T. Clark – Charles Scribner’s Sons, 1974.

GOLDENBERG, David M. The curse of Ham: race and slavery in early Judaism, Christianity, and Islam. Princeton; Oxford: Princeton University Press, 2003.

GONÇALVES, Nuno da Silva. Os jesuítas e a missão de Cabo Verde (1604-1642). Lisboa: Brotéria, 1996.

_____. Escravatura. In: AZEVEDO, Carlos A. Moreira (Dir.); JORGE, Ana Maria C. M. et al. (Coord.). Dicionário de história religiosa de Portugal. Vol. 2. Lisboa: Círculo de Leitores, 2000.

HAYNES, Stephen R. Noah's curse: the biblical justification of American slavery. Oxford; Nova York: Oxford University Press, 2002.

JOHNSON, Sylvester A. The myth of Ham in nineteenth-century American Christianity: race, heathens, and the people of God. Nova York: Palgrave Macmillan, 2004.
JOLY, Fábio Duarte. Estoicismo e escravidão no pensamento de Sêneca. Phoînix, Rio de Janeiro, a. 13, p. 98-114, 2007.

JORDÃO, Levy Maria. Bullarium patronatus Portugalliae regum [...]. T. I. Lisboa: Tipografia Nacional, 1868.

KAPP, Amanda Cieslak. Fernando Oliveira e o humanismo português no séc. XVI. Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.

LINCOLN C. Eric; MAMIYA, Lawrence H. The black Church in the African American experience. Durham, NC: Duke University Press, 1990.

MAGALHÃES, Joaquim Romero. Os territórios africanos. In: BETHENCOURT, Francisco; CHAUDHURI, Kirti (Dir.). História da expansão portuguesa: o Brasil na balança do império, 1697-1808. Vol. 3. Lisboa: Temas e Debates, 1998.

MARQUES, João Martins da Silva. Descobrimentos portugueses: documentos para a sua história. Vol. I. Lisboa: Instituto para a Alta Cultura: 1944.

MEDINA, João. África cativa. A escravidão vista e julgada pelos europeus, nomeadamente pelos portugueses (sécs. XV a XIX). In: MEDINA, João; HENRIQUES, Isabel Castro. A rota dos escravos: Angola e a rede do comércio negreiro. Lisboa: CEGIA, 1996.

MERCADO, Tomás de. Suma de tratos y contratos [1571]. Ed. de Nicolás SÁNCHEZ-ALBORNOZ. Madrid: Instituto de Estudios Fiscales: 1977.

NABUCO, Joaquim. O abolicionismo [1883]. São Paulo: Publifolha, 2000.

PIMENTEL, Maria do Rosário. A expansão ultramarina e a lógica da guerra justa. In: MENESES, Avelino de Freitas de; COSTA, João Paulo Oliveira e (Coord.). O reino, as ilhas e o mar-oceano: estudos em homenagem a Artur Teodoro de Matos. Vol. 1. Lisboa; Ponta Delgada: UNL/FCSH/CHAM – Universidade dos Açores, 2007.

PINTO, Françoise Latour da Veiga (colab. de António CARREIRA). A participação de Portugal no tráfico negreiro – forças em presença, movimentos de opinião no seio da sociedade portuguesa, impacte do tráfico no desenvolvimento socioeconómico de Portugal. In: VVAA. O tráfico de escravos negros, sécs. XV-XIX. Lisboa: Edições 70, 1981.

RABOTEAU, Albert J. Slave religion: the “Invisible Institution” in the Antebellum South. Oxford; Nova York; etc.: Oxford University Press, 2004.

RUBERT, Arlindo. O prelado Lourenço de Mendonça, 1.º bispo eleito do Rio de Janeiro. Revista do IHGB, Rio de Janeiro, v. 311, p. 13-33, abr./jun. 1976.

RUSSELL-WOOD, A. J. R. Iberian expansion and the issue of black slavery: changing Portuguese attitudes, 1440-1770. The American Historical Review, Chicago, MA, v. 83, n. 1, p. 16-42, fev. 1978.
SANDOVAL, Alonso de. Un tratado sobre la esclavitud (De Instauranda Æthiopium Salute) [1627]. Introd., transcrição e trad. de Henriqueta VILA VILAR. Madrid: Alianza Editorial, 1987.

SANTOS, João Marinho dos. A ideologia da expansão portuguesa: séculos XV e XVI. Revista de História das Ideias, Coimbra, v. 14, p. 69-73, 1992.

SIERRA BRAVO, Restituto. Doctrina social y económica de los Padres de la Iglesia: colección general de documentos y textos. Madrid: COMPI – Compañía Bibliografica Española S.A., 1967.

SIQUEIRA, Sônia Aparecida. A escravidão negra no pensamento do bispo Azeredo Coutinho – contribuição ao estudo da mentalidade do último inquisidor geral. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS LUSO-BRASILEIROS, V, 1963, Coimbra. Atas... Vol. 3. Coimbra: [s.n.], 1965. p. 147-213.

SMITH, Nicholas D. Aristotle's theory of natural slavery. The Phoenix, Toronto, v. 37, n. 2, p. 109-122, verão/1983.

SOARES, Mariza de Carvalho. Mina, Angola e Guiné: nomes d’África no Rio de Janeiro setecentista. Tempo, Niterói, RJ, v. 3, n. 6, p. 151-165, dez./1998.

_____. Devotos da cor: identidade étnica, religiosidade e escravidão no Rio de Janeiro, século XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

SPICQ, C. Le vocabulaire de l’esclavage dans le nouveau testament. Revue Biblique, t. 85, n. 2, p. 201-226, abr./1978.

VIDE, Sebastião Monteiro da. Constituições primeiras do arcebispado da Bahia [1719]. Estudo introdut. e ed. de Bruno FEITLER e Evergton Sales SOUZA; Istvan JANCSÓ e Pedro PUNTONI (Org.). São Paulo: Edusp, 2010.

WHITFORD, David M. The curse of Ham in the early modern era: The Bible and the justifications for slavery. Burlington, VT: Ashgate Publishing Ltd., 2009.
Publicado
2020-02-29
Visualizações
  • Artigo 77
  • PDF 102
Como Citar
Pereira, A. (2020). A escravidão na doutrina da Igreja: temas e questões em debate da Antiguidade à época moderna. Escritas Do Tempo, 1(3), 8-33. Recuperado de https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1183