Princípios Éticos

Da parte dos autores
1. Os autores devem apresentar com clareza as fontes trabalhadas e a organização de dados que realizou a partir destas.

2. Os dados levantados pelos autores para a escrita dos seus textos devem ser retidos por eles após a publicação, uma vez que, caso futuramente seja necessária alguma revisão editorial, os mesmos podem ser solicitados pela equipe editorial da Revista e até mesmo tornados públicos para fins de esclarecimentos.

3. Os autores devem assegurar que tenham escrito obras totalmente originais, e em caso de utilização de trabalho e/ou palavras de outros, é obrigatório apresentar a citação/referência. O plágio pode ser caracterizado de diversas formas, desde a cópia de fragmentos de outros textos até o uso de resultados de pesquisa. Em todas as suas formas, o plágio constitui um comportamento de publicação antiético, sendo inaceitável.

4. Orientamos que o envio, simultaneamente, de um mesmo manuscrito para mais de um periódico constitui um comportamento antiético.

5. Autores devem citar publicações que foram influentes na determinação da natureza do trabalho relatado. Informações obtidas de forma, tais como em conversas, correspondências, ou discussões com terceiros, não devem ser usadas ou relatadas sem explícita permissão escrita da fonte. Informações oriundas de serviços confidenciais, tais como manuscritos referidos ou aplicações para bolsas, não deverão ser utilizadas sem explícita permissão escrita do autor do trabalho envolvido nestes serviços.

6. A revista publica imagens, desde apresentada a autorização legal para a publicação daquelas que ainda são regidas pela legislação de direito autoral vigente no país.

7. A autoria deve ser limitada àqueles que tenham feito contribuições significativas à concepção, estruturação, execução, ou interpretação do estudo relatado. Todos aqueles que tenham feito uma contribuição significativa devem ser listadas como coautores. O autor correspondente deve assegurar que todos os coautores apropriados e não os coautores inapropriados sejam incluídos no trabalho, e que todos os coautores tenham visto e aprovado a versão final do trabalho e concordem em sua apresentação para publicação.

8. Trabalhos que possam envolver questões éticas específicas regidas por comitês institucionais apropriados devem apresentam o parecer produzido pelos mesmos.

9. Todos os autores devem divulgar em seu manuscrito qualquer conflito de interesse, seja financeiro ou outro relevante que possa ser entendido como uma influência nos resultados de interpretação do manuscrito. Todas as fontes de suporte financeiro ao projeto devem ser divulgadas. Exemplos de possíveis conflitos de interesses que deveriam ser divulgados podem incluir vínculo empregatício, consultoria, propriedade de ações, honorários, depoimentos pagos de especialistas, aplicações / registros de patente, bolsas ou outros financiamentos. Possíveis conflitos de interesses devem ser divulgados o mais cedo possível.

10. Quando o autor descobre um erro significante ou uma imprecisão no seu trabalho já publicado, é o dever do autor notificar imediatamente o editor do periódico, e cooperar com o mesmo para retratar ou corrigir o trabalho. Se o editor descobrir por terceiros que um trabalho publicado contém erros significativos, é obrigação do autor imediatamente retratar ou corrigir o trabalho, ou providenciar evidência para o editor sobre a exatidão do texto original.

11. O editor de um periódico de revisão por pares é responsável pela decisão de quais artigos apresentados ao periódico serão publicadas. A validação do trabalho em questão e a sua importância para pesquisadores e leitores deve sempre ser o que impulsiona tais decisões. O editor pode ser guiado pelas políticas do comitê editorial do periódico e limitado pelos requisitos legais vigentes em matéria de difamação, violação de direitos autorais e plágio.

12. Um editor deve avaliar manuscritos por seu conteúdo intelectual sem distinção de sua raça, gênero, orientação sexual, crenças religiosas, origens étnicas, cidadania, ou filosofia política dos autores.

13. O editor ou qualquer outra pessoa da equipe editorial não devem divulgar quaisquer informações sobre um manuscrito apresentado, a não ser para o correspondente autor, revisores, colaboradores potenciais e outros conselheiros editoriais, conforme o caso.

14. A divulgação de materiais não publicados em um manuscrito submetido não deve ser utilizada pelo editor em sua própria pesquisa sem a autorização expressa por escrito do autor. Informações privilegiadas ou ideias obtidas por revisões de pares devem ser mantidas confidenciais e não utilizadas para proveito pessoal. Os editores devem recusar-se a avaliar manuscritos com os quais eles tenham conflitos de interesse, sendo estes resultantes de concorrência, colaboração, ou outros relacionamentos ou ligações com qualquer um dos autores, empresas, ou instituições ligadas aos trabalhos. Os editores devem exigir que todos os contribuintes divulguem interesses conflitantes relevantes e que publiquem correções se os interesses conflitantes forem revelados após a publicação. Se necessário, devem ser tomadas outras medidas adequadas, tais como a publicação de uma retratação.

15. O editor deve tomar medidas de responsabilidade razoáveis, quando reclamações a respeito de conduta ética forem apresentadas com relação a um manuscrito ou trabalho publicado, em conjunto com a editora (ou sociedade). Tais medidas geralmente incluirão contatar o autor do manuscrito ou trabalho passando-lhe as devidas considerações com relação às reclamações feitas, mas também poderão incluir futuras comunicações com as instituições e corpo de pesquisa relevantes, e se as reclamações forem comprovadas, a publicação de uma correção, retratação, nota de interesse, ou outra nota, caso seja relevante. Todo ato relatado sobre uma conduta antiética nas publicações deverá ser analisado, ainda que este relato ocorra muito tempo após a publicação.

16. A revisão por pares auxilia o editor ao tomar as decisões editoriais, e o editor, através da comunicação com o autor, pode trazer melhorias para o próprio trabalho. A revisão por pares é um componente essencial da comunicação acadêmica formal.

17. Qualquer avaliador selecionado que se sente desqualificado para revisar a pesquisa relatada em um manuscrito, ou que tem conhecimento de que sua revisão rápida será impossível, deverá notificar ao editor e pedir que seja retirado do processo de revisão.

18. Qualquer manuscrito recebido para revisão deve ser tratado como documento confidencial. Os manuscritos não devem ser mostrados ou discutidos com outros a não ser que possuam autorização do editor.

19. Revisões devem ser conduzidas objetivamente, a partir de pontos de vista claros e sustentados cientificamente.

20. Revisores devem identificar publicações de trabalhos relevantes que não tenham sido citadas pelos autores. Qualquer afirmação de que uma observação, derivação, ou argumento tenha sido relatado anteriormente deve ser acompanhada pela citação relevante. O revisor deve também chamar a atenção do editor sobre qualquer similaridade substancial ou sobreposição entre o manuscrito em avaliação e qualquer outro trabalho publicado do qual ele tenha conhecimento pessoal.

21. Materiais não publicados e divulgados em um manuscrito submetido não devem ser usados na pesquisa pessoal de um revisor sem o consentimento expresso de forma escrita pelo autor. Informações privilegiadas ou ideias obtidas através de revisões por pares devem ser mantidas em confidencialidade e não devem ser usadas para vantagem pessoal. Revisores não devem considerar manuscritos dos quais tenham conflitos de interesses, seja resultado de competitividade, colaboração, ou outra relação ou vínculo com qualquer outro autor, companhias, ou instituições que tenha conexão com o trabalho.