Biografia, gênero e carnaval: uma rainha nos festejos de Momo na Porto Alegre do início do século XX

Palavras-chave: Biografia, Carnaval, Gênero, História das Mulheres, Porto Alegre

Resumo

O carnaval de Porto Alegre, no início do século XX, – representado pelas sociedades carnavalescas Esmeralda e Venezianos – é marcado por transformações que podem ser entendidas através da ótica dos estudos de gênero. De Evas pecadoras, as mulheres passaram a figurar como Marias, recatadas e redentoras. Mas quem eram essas mulheres? O presente artigo busca dar voz a Elvira Werna Coelho, que em 1911 foi rainha da Sociedade Carnavalesca Os Venezianos, apresentando alguns aspectos de sua trajetória de vida. Procuro com este trabalho não só conhecer Elvira Werna Coelho, mas também dar visibilidade às mulheres enquanto sujeitos históricos e lançar luz sobre as demais mulheres, refletindo sobre sua participação no carnaval em Porto Alegre

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Pereira Leal, Professora da Prefeitura Municipal de Porto Alegre
Possui graduação em História (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004/2005). Mestrado (2008) e Doutorado (2013) em História - Programa de Pós graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Pesquisa a história do carnaval e das festas populares, sobretudo as questões ligadas às relações de gênero. Tem experiência em ensino superior com as disciplinas de História do Brasil III e História da África e dos Africanos no Brasil e na educação básica nas disciplinas de História, Geografia e Filosofia.

Referências

Livros
AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes. Usos e Abusos da História Oral. Rio de Janeiro, FGV, 2000.
BAKOS, Margaret. Porto Alegre e seus Eternos Intendentes. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1996.
CUNHA, Maria C. P. Ecos da Folia: uma história social do carnaval carioca entre 1880 e 1920. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.
FREITAS, Sonia Maria de. História Oral: possibilidades e procedimentos. São Paulo: Humanitas, 2002.
MCCANN, Frank D. Soldados da Pátria - História do Exército brasileiro 1889-1937. São Paulo: Cia das Letras, 2007.
NOBRE, Eduardo Dias Roxo. João Roxo e seus Descendentes. De Pensalves para o Brasil. São Sebastião da Grama-SP: São Sebastião Editora e Gráfica Lda, 1998.
PORTO ALEGRE, Achylles. Flôres entre ruínas. Porto Alegre: Oficinas Gráficas Wiedemann & Cia, 1920.
SCOTT, J. W. Gender and the politics of history. New York: Columbia Univ. Press, 1988.
WEIMER, Günter. Arquitetos e construtores Rio-Grandenses na Colônia e no Império. Santa Maria: Editora da UFSM, 2006.
Capítulos de Livros
BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. Usos e abusos da História Oral. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta Moraes (org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1996.
SANTOS, Alexandre. Calegari. In: ACHUTTI, Luiz Eduardo. Ensaios sobre o fotográfico. Porto Alegre: Unidade Editorial: Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 1998, p.29.
Artigos de periódicos
ALMEIDA, Cintia Borges de. Para a Petizada Inonocente: encanto, diversão e lições de conduta na Revista O Tico-Tico (1905-1910). Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 16, n. 41, p. 54-71, abr./jun. – 2015.
BOSI, Ecléa. Memória da Psicologia. Estudos Avançados, São Paulo, v. 8, n.22, 1994.
ISMÉRIO, Clarice. ISMÉRIO, Clarice. As representações do feminino na educação rio-grandense segundo o discurso positivista (1889-1930). Revista Eletrônica História em Reflexão, Dourados,Vol. 1, n. 1, Jan/Jun 2007.
PRIORE, Mary Del. Biografia: quando o indivíduo encontra a história. Topoi, Rio de Janeiro, v. 10, n. 19, jul.-dez. 2009.
SCOTT. Joan. Gênero: uma categoria de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v.16, n.2, jul/dez 1990.
SCHMIDT, Benito Bisso. Grafia da Vida: reflexões sobre a narrativa biográfica. História UNISINOS, São Leopoldo, v.8, n. 10, jul/dez. 2004.
SILVA, João Carlos da. Utopia Positivista e Instrução Pública no Brasil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.16, p. 10 - 16, dez. 2004.
SOHIET, Rachel. Mulheres e Biografias. Significados para a História. Locus – Revista de História, Juiz de Fora, vol. 9, n.1, p.33-48, 2003.
THOMSON, Alistair. Recompondo a Memória: Questões sobre a relação entre História Oral e a Memória. Proj. História, São Paulo, n.15, abril 1997.
VARGAS, Anderson. Usos da Antiguidade: imprensa, civilização e decadentismo no sul Brasil Republicano. Liber Intellectus, v. 02, 2007.
Anais de Eventos
ALVES, Gabrielle Werenicz. As políticas para a saúde pública no Rio Grande do Sul – 1928/1945. IV Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação, PUCRS, 2009.
STEYER, Fábio Augusto. Reflexões sobre a história do jornalismo no Rio Grande do Sul: uma experiência de pesquisa. Anais I Encontro de História da Mídia.UNICENTRO, Guarapuava/PR, 2010.
Teses e Dissertações
CARELI, Sandra.Texto e contexto: Virtude e Comportamento Sexual Adequado às Mulheres na Visão da Imprensa Porto-Alegrense da Segunda Metade do Século XIX. Dissertação (Mestrado em História) UFRGS, Porto Alegre, RS, 1997.
KARNIKOWSKI, Romeu Machado. De exército estadual à polícia–militar: o papel dos oficiais na policialização da Brigada Militar (1892-1988). Tese (Doutorado em Sociologia). Porto Alegre, RS, 2010.
Publicado
2020-12-17
Visualizações
  • Artigo 83
  • PDF 31
Como Citar
Leal, C. (2020). Biografia, gênero e carnaval: uma rainha nos festejos de Momo na Porto Alegre do início do século XX. Escritas Do Tempo, 2(6), 305-329. https://doi.org/10.47694/issn.2674-7758.v2.i6.2020.305329