Patrimônio e ensino de história: cinco decisões do professor

Palavras-chave: Patrimônio, Planejamento, Ensino de História

Resumo

Neste artigo, problematizamos as preocupações de peritos e professores de História em torno dos objetos designados “patrimônio” e, mediante investigação bibliográfica, apresentamos teses da literatura especializada sobre cinco temas comuns em atividades de planejamento dos professores da escolarização básica: patrimônio e identidade; patrimônios nacionais e patrimônios da humanidade; virtualidade e fisicalidade do patrimônio; preservação e criação de memórias no interior das escolas; capacidades gerais ou capacidades disciplinares. Nosso objetivo imediato é apresentar cinco grupos de questões que podem servir como orientador do planejamento ou instrumento de avaliação de planos ou de ações que envolvem patrimônio e ensino de História.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Margarida Maria Dias de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Possui graduação em História pela Universidade Federal da Paraíba (1988), mestrado em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (1994) e doutorado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (2003). Tem experiência na área de História, com ênfase em Teoria da História e Metodologia do Ensino de História, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de história, livros didáticos de História, formação de professores, historiografia, memória e patrimônio cultural (histórico). Atualmente é professora Titular do Departamento de História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Itamar Freitas, Universidade Federal de Sergipe
Possui licenciatura em História pela Universidade Federal de Sergipe (UFS-1996), especialização em Organização de Arquivos pela Universidade de São Paulo (USP-1997), mestrado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ (2000), doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP-2006), doutorado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS-2019) e pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Brasília (PPGH/UnB-2014). É professor do Departamento de Educação e do Mestrado Profissional em História (UFS). Tem experiência nas áreas de Ensino de História, Teoria e Metodologia da História e foi parecerista do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) em sete edições e da primeira versão da Base Nacional Curricular Comum (PNLD).

Referências

ARNOLD, Peri E. American Heritage and the Development of Historic Preservation Policy in the United States. In: FISCH, Stefan (org.). National Approaches to the Governance of Historical Heritage over Time. A Comparative Report. Amsterdam: IOS Press, 2008.
BELLOTTO, Heloísa Liberalli. A função social dos arquivos e o patrimônio documental. In: PINHEIRO, Áurea da Paz; PELEGRINI, Sandra C. A. Tempo, memória e patrimônio cultural. Terezina: Anpuh-PI, 2010. p. 73-85.
BERNHEIM, Ernst. Lehrbuch der historischen Methode. Leipzig: Duncker & Humblot, 1889.
BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Estudo do meio como prática interdisciplinar. In: Ensino de História: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2004. p. 273-290.
BRASIL. Senado Federal. Vaquejada se tornou patrimônio por lei. Em discussão. Brasília, n. 31, abr. 2017. Disponível em< https://www12.senado.leg.br/emdiscussao/edicoes/vaquejada/vaquejada/vaquejada-se-tornou-patrimonio-por-lei >. Acesso em: 12 nov. 2019.
CORÁ, Maria Amélia Jundurian. Do material ao imaterial: patrimônios culturais do Brasil. São Paulo: FAPESP, 2011.
DONATO, Maria Pia. Il patrimonio e le sfide di ua storia interconnessa. A proposito del livro di T. Montanari – Istruzioni per l’uso del futuro. Il patrimonio culturale e la democrazia che verrà. Giornale di storia, v. 14, p.1-8, 2014. Disponível em< www.giornaledistoria.net >. Acesso em: 23 nov. 2019.

DROYSEN, Johan Gustav. Historik. Band 1: Rekonstruktion der ersten vollständigen Fassung der Vorlesungen (1857). Grundriss der Historik in der ersten handschriftlichen (1857/1858) und in der letzten gedruckten Fassung (1882). Stuttgart: Frommann-Holzboog, 1977.
FISCH, Stefan. National Approaches to the Administration of Historical Heritage A Comparative Report. In: FISCH, Stefan (org.). National Approaches to the Governance of Historical Heritage over Time. A Comparative Report. Amsterdam: IOS Press, 2008. p. 1-13.
FREITAS, Idiamara Nascimento de. Projeto Geoparque Seridó: um estudo das práticas turísticas como propulsor para o desenvolvimento local. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Turismo - PPGTUR), 2019.
FUNARI, Pedro Paulo; PELEGRINI, Sandra de Cássia Araújo. Patrimônio histórico e cultural. Rio de Janeiro: Zahar, sd.
GUSSEN, Ingrid; VAN LAKERVELD, Jaap (ed.) Aqueduct – Acquiring kei competences through heritage education. Bilzen: Alden Biesen, [2013].
HÉRITIER, Annie. Genèse de la notion de patrimoine culturel (1750-1816). Paris: L’Harmattan, 2003.
HOOPER-GREENHILL, Eilean. Museums: ideal learning environments. In: Museums and their visitors. London: Routledge, 2004. p. 140-170.
HORTA, Maria de Lourdes Parreiras; GRUNGERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiroz. Guia básico da educação patrimonial. Rio de Janeiro: Museu Imperial, [1999].
IPHAN. Monumentos e espaços públicos tombados – São Cristóvão (SE) - Praça São Francisco. Disponível em. Acesso em: 20 nov. 2019.
IPHAN. Parecer .0313/08/2006 – Registro da Capoeira como Patrimônio Cultural do Brasil. Salvador: IPHAN; 7ª Superintendência Regional, 2006. Disponível em< http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/parecer%20oficio%20mestre%20capoeira.pdf >Capturado em 20 nov. 2019.
LANGLOIS, Charles-Victor; SEIGNOBOS, Charles. Introduction aux études historiques. Paris: Kimé, 1992.
LEFEBVRE, Georges. La naissance de l'historiographie moderne. Paris: Flammarion, 1971.
LÓPES, Julio Oscar. L’Argentine, un cas particulier em Amérique Latine. Un pays riche en histoire et contrastes. In: FISCH, Stefan (org.). National Approaches to the Governance of Historical Heritage over Time. A Comparative Report. Amsterdam: IOS Press, 2008.p.17-30.
LUCENA, Josirene Souza Inocêncio de. História de pescadores e pescadoras da Pedra Negra: uma proposta de educação patrimonial aplicada no ensino de História. Recife, 2018. Dissertação (Mestrado em Ensino de História) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Universidade Federal de Pernambuco.
MEDEIROS, Janaina Luciana de. Práticas Turísticas em geosítios: uma avaliação ambiental no Projeto Geoparque Seridó- RN. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Turismo - PPGTUR), 2015.
MILLA, Santiago Jaén. Testigos de la infamia. Itinerarios por el patrimonio de la Guerra Civil en Jaén. In: MOLINA PUCHE, Sebastián; ESCRIBANO-MIRALLES, Ainoa; DÍAZ-SERRANO, José (ed.). Patrimonio, identidad y ciudadanía en la enseñanza de las ciencias sociales. Murcia: Universidad de Murcia, 2016. p. 252-265.
MIRALLES, Pedro Martínes et. al. Patrimonio, competencias históricas y metodologías activas de aprendizage. Um análisis de las opiniones de los docentes en formación en España e Inglaterra. Estudios Peagógicos, v. 43, n. 4, p. 161-184, 2017.
MOMIGLIANO, Arnaldo. História antiga e o antiquário. Anos 90, Porto Alegre, v. 21, n. 39, p. 19-76, jul. 2014.
MORAES SILVA, Antonio de. Diccionario da Lingua Portugueza. 2ed. Lisboa: Typographia Lacerdina, 1813. T.2.
OLIVEIRA, Almir Félix Batista. Patrimônio histórico: preservar é preciso... In: Memória, História e Patrimônio histórico: políticas públicas e a preservação do patrimônio histórico. São Cristóvão: Editora da UFS, 2010. p. 47-74.
______. O patrimônio cultural e os livros didáticos de História ou de como se constrói o sentimento de pertencimento (Brasil, 200-2005). Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2016.
PACHECO, Ricardo de Aguiar. Ensino de História e Patrimônio Cultural: um percurso docente. Jundiaí: Paco, 2018.
PELEGRINI, Sandra de Cássia Araújo. Ensino de História e educação patrimonial no Brasil. In: ROLEDO, Maria Aparecida Leopoldino Tursi (org.). Ensino de História: ensaios sobre questões teóricas e práticas. Maringá: Editora da Universidade Estadual de Maringá, 2011. p.73-97.
PINKER, Steven. Como a mente funciona. Companhia das Letras, SP, 1998.
PINTO, Helena. O triângulo patrimônio-museu-escoa: que relação com a Educação Histórica? In: CERCADILHO, Lis; SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel. Aprender História: perspectivas da Educação Histórica. Ijuí: Editora Unijuí, 2009. p. 271-302.
RAMOS, Francisco Régis Lopes. A danação do objeto: o museu no ensino de História. Chapecó: Argos, 2004.
SILVA, Jefferson Pereira da. Ensino para as relações étnico-raciais e a formação do cidadão: o valor da capoeira. In: Denise Pereira. (Org.). Campos de Saberes da História da Educação no Brasil 2. Ponta Grossa/PR: Atena Editora, 2019, p. 352-362.
SMITH, Laurajane. The uses of heritage. London: Routledge, 2006.
TEIXEIRA, Olga Suely. A História Local como um caminho para o ensino significativo de História nos anos iniciais, UFRN/Profhistória, 2018.
WOOD, Elizabeth; LATHAM, Kiersten. The objects of experience: transforming visitor-object encounters in Museums. Ealnut Creec: Left Coast Press, 2014.
ZARBATO, Jaqueline Aparecida Martins. Cultura, memória e patrimônio na sala de aula: o uso do monumento na aprendizagem histórica. In: Patrimônio, cultura e processos educativos em História: percursos e reflexões. Campo Grande: Life, 2018. p. 43-56.
Publicado
2020-10-30
Visualizações
  • Artigo 54
  • PDF 35
Como Citar
de Oliveira, M. M., & Freitas, I. (2020). Patrimônio e ensino de história: cinco decisões do professor. Escritas Do Tempo, 2(5), 175-197. https://doi.org/10.47694/issn.2674-7758.v2.i5.2020.175197
Seção
v. 2 n. 5 (2020) Dossiê: Ensino de História, livro didático e formação docente