História e Literatura: Jorge Amado e seus escritos literários nos anos 30

Palavras-chave: Literatura. História. Jorge Amado.

Resumo

Este artigo pretende abordar a relação estabelecida entre História e Literatura e como essa relação, enquanto campo de estudo, pode ser pensada na análise das obras do escritor brasileiro Jorge Amado, traçando assim uma empreitada interdisciplinar. Primeiramente faremos uma incursão a respeito do uso da literatura pela história, em seguida faremos um apanhado sobre a produção literária de Jorge Amado, suas fases, tipo de escrita, posturas etc. Por fim, refletiremos acerca da produção do autor nos anos 30. Embasados em uma análise teórico-conceitual de autores que pensam a relação história-literatura e uma análise da obra amadiana, iremos compreender como a obra literária de Amado, produzida nos anos 30, pode ser vista como objeto de investigação da história. Diante da análise, nos demos conta que algumas produções de Jorge Amado desse período podem ser vertentes para pensar questões históricas, tais como a relação trabalhador-patrão, a degradação urbana e o abando social de menores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaela Mendes da Silva, Universidade Estadual do Ceará
Mestranda do Mestrado Interdisciplinar em História e Letras (MIHL), pela Universidade Estadual do Ceará (UECE/FECLESC). Graduada em Licenciatura Plena em História, pela UECE, campus FECLESC. Pesquisadora do campo História e Literatura. Pesquisadora bolsista da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Pesquisa de monografia com o tema: Moços! Uma grande idéa vos anima os corações: Abolicionismo, Imprensa e Literatura no Ceará (1881-1884), defendida e aprovada em 2018. Atualmente pesquisando como o discurso literário aborda o abandono social de crianças nos anos 30 no Brasil.
Francisco Wilton Moreira dos Santos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Doutorando em História pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (PPHR/UFRRJ) na linha de pesquisa Relações de Poder, Linguagens e História Intelectual. Mestre Interdisciplinar em História e Letras (MIHL) pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central - FECLESC da Universidade Estadual do Ceará - UECE. Possui Graduação em História (Licenciatura Plena) pela mesma instituição. Tem interesse pelos temas: imprensa, violência, banditismo e cinema.

Referências

ABUD, K. M.; SILVA, A. C. de M.; ALVES, R. C. Ensino de História. São Paulo: Cengage Learning, 2010.
AGUIAR, Joseia. Jorge Amado: uma biografia. São Paulo: Todavia, 2018.
AMADO, Jorge. Capitães da Areia. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.
______. Cacau. São Paulo: Martins Editora, 1933.
______. Suor. São Paulo: Martins Editora, 1934.
BARROS, José D’Assunção. Interdisciplinaridade na História e em outros campos do saber. Petrópolis, RJ: VOZES, 2019.
______. Teoria da História. V. II. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
______. História e Literatura – novas relações para os novos tempos. Contemporâneos: Revista de Artes e Humanidades, n.6, mai/out, 2010, p. 1-27. Disponível em:
BLOCH, Marc. Apologia da História ou ofício do historiador. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.
BUENO, Luis. Os três tempos do romance de 30. Revista Teresa (3), 2002, p. 254-283. Disponível em:
CALIXTO, Carolina Fernandes. Jorge Amado e a identidade nacional: diálogos políticos-culturais. Dissertação de mestrado. Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia. Niterói, 2011.
CAMILOTTI, Virgínia.; NAXARA, Márcia Regina. C. História e literatura: fontes literárias na produção historiográfica recente no Brasil. História: Questões & Debates, Curitiba, n. 50, p. 15-49, jan./jun. 2009. Editora UFPR.
CANDIDO, Antonio. Brigada literária. 4ª ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2011.
CARVALHO, José Murilo de. Vargas e os militares. In: PANDOLFI, Dulce (ORG). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 1999.
CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis, Historiador. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
CHARTIER, Roger. Debate: História e Literatura. Topoi, Rio de Janeiro, nº 1, p. 197-216.
FERREIRA, Antônio Celso. Literatura: a fonte fecunda. In: PINSKY, Carla Bassanezi. (Org.). Fontes Históricas. 3ª ed. São Paulo: Contexto, 2014, p.61-91.
MARCILIO, Maria Luiza. A roda dos expostos e a crianças abandonadas na história do Brasil: 1726-1950 in: FREITAS, Marcos Cezar de. (Org.). História Social da Infância no Brasil. 9ª ed. São Paulo: Cortez, 2016, p. 69-97.
TONET, Ivo. Interdisciplinaridade, Formação Humana e Emancipação Humana. In: Revista do Centro de Educação e Letras da UNIOESTE - Campus de Foz do Iguaçu v. 10 nº 1, p. 41-61, 2008.
WILLIAMS, Raymond. Recursos da esperança: cultura, democracia, socialismo. São Paulo: Editora Unesp, 2015.
Publicado
2021-08-27
Visualizações
  • Artigo 92
  • PDF 66
Como Citar
da Silva, R., & dos Santos, F. W. (2021). História e Literatura: Jorge Amado e seus escritos literários nos anos 30. Escritas Do Tempo, 3(8), 206-224. https://doi.org/10.47694/issn.2674-7758.v3.i8.2021.206224
Seção
v. 3 n. 8 (2021) - Dossiê: História e Literatura: aproximações e diferenças