O acervo documental de Clóvis Steiger de Assis Moura (1925-2003)

Palavras-chave: História do Negro; Intelectuais; Clóvis Moura; Arquivos Privados

Resumo

O presente artigo pretende, por meio dos conjuntos documentais do acervo de Clóvis Moura, compreender sua produção e a relação com a historiografia sobre as populações negras no Brasil. Destacamos o perfil do arquivo pessoal de Clóvis Moura (1925-2003), com ênfase para sua trajetória como intelectual e militante do movimento negro no Brasil. Na perspectiva de interdisciplinaridade entre a História e a Arquivologia, o estudo está focado nos tipos documentais que, deliberadamente, Clóvis Moura acumulou em seu arquivo pessoal.

Referências

ALMEIDA, Luiz Sávio de (org.). O Negro no Brasil: estudos em homenagem a Clóvis Moura. Maceió: EDUFAL, 2003.

ARQUIVO NACIONAL. Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

BELLOTTO, Heloísa L. Arquivos permanentes: tratamento documental. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

COOK, Terry. Arquivos pessoais e arquivos institucionais: para um entendimento arquivístico comum da formação da memória em um mundo pós-moderno. Estudos Históricos, FGV, Rio de Janeiro, nº 21 - 1998/1.

CAMARGO, Célia. Centros de documentação e pesquisa histórica: uma trajetória de três décadas. In: CPDOC 30 anos. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getúlio Vargas/CPDOC, 2003.

DOMINGUES, Petrônio José. Uma História não Contada: negro, racismo e branqueamento em São Paulo no pós-abolição. São Paulo: Ed. SENAC, 2005.

FRAIZ, Priscila M. V. A construção de um eu autobiográfico: o arquivo privado de Gustavo Capanema. Rio de Janeiro, UERJ, Centro de Educação e Humanidades, 1994.

GARCIA, Maria Madalena A. de M. M. “Os Documentos Pessoais no Espaço Público”. In: Estudos Históricos. Rio de Janeiro, FGV, v. 11, n. 21, 1998.

LE GOFF, Jacques. Documento/Monumento. In: História e Memória. SP: Editora Unicamp, 2003.

GOMES, Ângela de Castro. Nas malhas do feitiço: o historiador e os encantos dos arquivos privados. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, 1998, p. 121-127.

HALL, Stuart. “Notas sobre a desconstrução do popular”. In: Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Minas Gerais, UFMG. (Org. Liv Sovik), 2003, p. 247-264.

HEYMANN, Luciana Q. As obrigações do poder: relações pessoais e vida pública na correspondência de Filinto Müller. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Museu Nacional (UFRJ). Rio de Janeiro, 1997.

______. Arquivos e Interdisciplinaridade: Algumas Reflexões. Seminário CPDOC 35 anos: a Interdisciplinaridade nos Estudos Históricos. Rio de Janeiro, 2008.
______. Estratégias de legitimação e institucionalização de patrimônios históricos e culturais: o lugar dos documentos. VIII Reunião de Antropologia do Mercosul, GT 33 – Processos de patrimonialização da cultura no mundo contemporâneo, 2009.

HEYMANN, Luciana Q. Os fazimentos do arquivo Darcy Ribeiro: memória, acervo e legado. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 36, p. 43-58, 2005.

______. De “arquivo pessoal” a “patrimônio nacional”: reflexões acerca da produção de “legados”. Rio de Janeiro: CPDOC, 2005.

HEYMANN, Luciana Q. O lugar do arquivo: a construção do legado de Darcy Ribeiro. Rio de Janeiro: Contra Capa / FAPERJ, 2012.

JARDIM, José Maria. A Invenção da Memória nos arquivos públicos. Ciência da Informação, v. 25, n. 2, p. 1-13, 1996.

KNAUSS, Paulo. Usos do passado, arquivos e universidade. Cadernos de Pesquisa CDHIS, v. 22, n. 40, p. 9-16, 2009.

MESQUITA, Érika. Clóvis Moura (1925-2003). Afro-Ásia, Salvador, v. 1, n. 31, p. 339-356, 2004.

MOLINA, Talita dos Santos. Arquivos Privados e Interesse Público: caminhos da Patrimonialização Documental. 2013. Dissertação (Mestrado em História) - Programa de Estudos Pós-Graduados em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

______. Arquivos privados e interesse público: caminhos da patrimonialização documental. Acervo - Revista do Arquivo Nacional, v. 26, n. 2, p. 160-174, s/d.

______. Arquivos privados e patrimônio documental: o Programa de Preservação da Documentação Histórica – Pró-documento (1984-1988). 2018. Tese (Doutorado em História) - Programa de Estudos Pós-Graduados em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, 2018.

MORAES, Sandra (org.). Guia do Acervo – CEDEM. São Paulo: Cedem / UNESP, 2018.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da Senzala. 4. Ed. São Paulo: Ed. Mercado Aberto, 1988.

______. O Negro: de Bom Escravo a Mau Cidadão? Rio de Janeiro: Ed. Conquista, 1977.

PROCHASSON, Cristophe. Atenção: Verdade! Arquivos Privados e renovação das práticas historiográficas. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, FGV, v. 11, n. 21, p. 105-119, 1998.

RODRIGUES, Marly. Imagens do passado: a instituição do patrimônio em São Paulo: 1969-1987. São Paulo: Ed. UNESP: Imprensa Oficial do Estado: CONDEPHAT: FAPESP, 2000.

RUY, José Carlos. Clóvis Moura investigava o passado histórico para compreender melhor as lutas do presente. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, v. 1, n. 32, 2004.

SCHWARCZ, Lilia M. O Espetáculo das Raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870-1930. São Paulo: Cia. das Letras, 1993.

SOUZA, Gustavo Orsolon de. “Rebeliões da Senzala”: diálogos, memória e legado de um intelectual brasileiro. Dissertação (Mestrado em História), Programa de Pós-Graduação em História da UFRRJ. Seropédica, RJ, 2013.

VIDAL, Laurent. Acervos pessoais e memória coletiva - alguns elementos de reflexão. Patrimônio e Memória. UNESP - FCL/Assis - CEDAP, v.3, n.1, p. 4-35, 2007.
Publicado
2019-10-31
Como Citar
Molina, T. (2019). O acervo documental de Clóvis Steiger de Assis Moura (1925-2003). Escritas Do Tempo, 1(2), 5-24. Recuperado de https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/756