Um passado rural num presente urbano: a representação das festas juninas na imprensa pernambucana

Palavras-chave: festas juninas; representações; imprensa pernambucana

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a forma como a imprensa pernambucana representava as festas juninas num período consagrado pela historiografia como República “Velha”, mais precisamente nas primeiras décadas do século XX. A intenção é analisar quais os caminhos percorridos pelos profissionais das letras para divulgação da festa na capital do estado, visando compreender quem era o seu público de leitores, se havia mais de um perfil de consumidor e quais os efeitos de sentido provocados na sociedade após o consumo das manchetes e das notícias diárias. A análise da documentação coletada nos dois principais centros de documentação do Estado - o Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano (APEJE) e a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) -, nos leva a perceber que os símbolos comuns à festa (balões, fogos de artifício, fogueiras, livros de sorte, comidas de milho), transitam no intervalo de tempo pesquisado, sem necessariamente serem apresentados de forma evolutiva e exclusivamente locais; pelo contrário, sendo incorporados à imagem nacional da festa (do litoral ao interior) e convivendo com as novas tendências criadas pelos deslocamentos da História. De maneira geral, podemos inferir que tais representações constroem elos com o passado rural, transfigurando o cenário urbano da festa com símbolos e personagens que remetem à vida nas fazendas e nos engenhos, difundindo traduções de pensamentos, opiniões, imagens e visões sobre como as festas juninas são e devem acontecer.

Referências

ARRAIS, Raimundo. O pântano e o riacho: a formação do espaço público no Recife do século XIX. São Paulo: Humanitas /FFLCH/USP, 2004.

BARROS, Souza. A década de 20 em Pernambuco: uma interpretação. Rio de Janeiro, 1972.

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 10ª ed. São Paulo: Global, 2001.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: morar, cozinhar. 7ª ed. Petrópolis: Vozes, 2008.
COSTA, Francisco Augusto Pereira da. Folk-lore pernambucano: subsídios para a história da poesia popular em Pernmbuco. 2. Ed. Recife: CEPE, 2004.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Recife, 24 de junho de 1923.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Recife 23 junho de 1923.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Recife, 24 junho de 1926.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO, Recife, 29 de junho de 1929.

FERNANDES, Andréa Corrêa Gondim. Velhos Engenhos de Minha Terra. Editora ASA: Pernambuco, 1986.

FOLHA DE MANHÃ, Recife, 03 de junho de 1938.

FOLHA DA MANHÃ, Recife, 05 de junho de 1938.

FOLHA DA MANHÃ, Recife 24 junho de 1939.

FOLHA DA MANHÃ, Recife, 23 de junho de 1940.

GASPAR, Lúcia. BARBOSA, Virgínia. Austro-Costa: 110 anos em revista. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2009.

JORNAL DO RECIFE, Recife, 29 junho de 1901.

JORNAL DO RECIFE, Recife, 13 junho de 1905.

JORNAL PEQUENO, Recife, 25 junho de 1902.

JORNAL PEQUENO, Recife, 23 junho de 1904.

JORNAL PEQUENO, Recife, 21 junho de 1905.

JORNAL PEQUENO, Recife, 26 junho de 1905.

JORNAL PEQUENO, Recife, 13 junho de 1910.

LOPES, Fátima Faleiros. Memória, História, Educação: trilhas sugeridas por um “Almanaque”. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2002.

MORAES FILHO, Mello. Festas e Tradições Populares do Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: F. Briguiet & Cia, 1946.

MOURA, Carlos André Silva de. Fé, Saber e Poder: os intelectuais entre a Restauração Católica e a política no Recife (1930-1937). Recife: Prefeitura da Cidade do Recife, 2012.

MORIGI, Valdir José. Narrativas do Encantamento: o maior São João do mundo, mídia e cultura regional. Porto Alegre: Armazém Digital, 2007.

O SÃO JOÃO DOS GAZETEIROS. Revista da Cidade, Recife, n. 6, 1926.

RABELLO, Evandro. Memórias da folia: o Carnaval do Recife pelos olhos da imprensa. Recife: Funcultura, 2004.

REVISTA A PILHÉRIA. Recife, 1925, n. 196, p. 32.

REVISTA A PILHÉRIA. Recife, 1925, n. 196, p. 14.

REZENDE, Antônio Paulo de Morais. (Des)encantos modernos. Histórias da Cidade do Recife na Década de 20. Recife: FUNDARPE, 1997.

SANTOS, Mário Ribeiro dos. Trombones, tambores, repiques e ganzás: a festa das agremiações carnavalescas nas ruas do Recife. Recife: SESC, 2010.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como Missão. Tensões sociais e criação cultural na Primeira República.2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SILVA, Lucas Victor da. O Carnaval na cadência dos sentidos: uma história sobre as representações das folias do Recife entre 1910 e 1940. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, 2009.
Publicado
2019-10-31
Como Citar
dos Santos, M. (2019). Um passado rural num presente urbano: a representação das festas juninas na imprensa pernambucana. Escritas Do Tempo, 1(2), 50-71. Recuperado de https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/758