Discursos étnico-raciais sobre o acesso e permanência na Pós-Graduação

Palavras-chave: Universidade. Negros/as. Desigualdades educacionais. Racismo. Trajetórias.

Resumo

Este artigo discute trajetórias de estudantes negros no ensino superior/pós-graduação na sociedade brasileira. Este artigo é derivado de tese de doutorado em Psicologia Social defendida na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, à luz da teoria das relações étnico-raciais e desigualdades educacionais de autores contemporâneos. No campo metodológico utilizamos a hermenêutica de profundidade, proposta por J. B. Thompson (2011). As análises dos relatos possibilitam reflexões que oferecem elementos que ampliam a discussão sobre o tema das relações étnico-raciais, políticas públicas, família e educação, abrangendo desse modo, as dimensões objetivas, referente à desigualdade social; ética, referente às injustiças sociais; subjetiva, referente ao sofrimento ético-político produzido pela exclusão social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Antonio Batista da Silva, Centro de Estudos Sociais (CES),Universidade de Coimbra
Negro, doutorado em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo(PUC-SP) com doutorado Sanduíche no Exterior PNPD/CAEPES na Universidade de Coimbra, Portugal. Mestrado em Psicologia Educacional com pesquisa sobre juventude e trabalho. Graduação em Psicologia, com especialização em Educação para as relações étnico-raciais. Tem pesquisa sobre desigualdades educacionais e letramento (estágio pós-doc) com bolsa da CAPES. Atualmente é investigador em pós-doutoramento no Centro de Estudos Sociais (CES), da Universidade de Coimbra, Portugal, onde integra o Projeto POLITICS The politics of anti-racism in Europe and Latin America: knowledge production, decision-making and collective struggles. Professor colaborador da Unesp/Araraquara.

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; Polém, 2019.
ALVES, Jaime Amparo. NECROPOLÍTICA RACIAL: A PRODUÇÃO ESPACIAL DA MORTE NA CIDADE DE SÃO PAULO1. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 1, n. 3, p. 89-114, fev. 2011.
ARTES, Amélia. DIMENSIONANDO AS DESIGUALDADES POR SEXO E COR/RAÇA NA PÓS-GRADUAÇÃO BRASILEIRA. Educ. rev., Belo Horizonte, v. 34, e192454, 2018.
BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Capa de Edições 70, 1977-2011.
BEZERRA, T. O. C.; GURGEL, C. R. M. A política pública de cotas em universidades, enquanto instrumento de inclusão social. Pensamento & Realidade, v. 27, n. 2, p. 95-117, 2012.
BOURDIEU, Pierre. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998.
BRASIL. Lei 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm>. Acesso em: 07 jan. 2020.
___________. Lei 11.645, de 10 de março de 2008. . Acesso em: 10 jan. 2020.
___________. Ministério da Educação/Secad. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais. 2004
___________.Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm> .Acesso em 19 jan.2019.
BROOKE, Nigel. Perspectiva dos estudos negros e educação. In: OLIVEIRA, Iolanda de (org.). Relações raciais e educação: Temas contemporâneos. Cadernos Penseb, Niterói, Editora da UFF, n. 5, p.151-158, 2002.
CAIXETA, Bianca Aparecida dos Santos. Movimento negro universitário: um olhar decolonial sobre afetos, trajetórias e a organização política dos grupos/coletivos negros na Universidade de Brasília. Trabalho de conclusão de curso (Graduação de Sociologia) - Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
CAVALCANTI, Ivanessa Thaiane do Nascimento et al. Desempenho acadêmico e o sistema de cotas no ensino superior: evidência empírica com dados da Universidade Federal da Bahia. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v. 24, n. 1, p. 305-327, mai. 2019.
CUNHA JÚNIOR. Henrique. A formação de pesquisadores negros no Brasil. Plano 500 de Política Científica Nacional (uma proposta de um pesquisador militante). Revista Espaço Acadêmico, Maringá, vol. 3, n. 27, ago. 2003.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 12a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.
GOMES, Nilma Lino. Movimento negro e educação: ressignificando e politizando a raça. Educ. Soc., Campinas, v. 33, n. 120, p. 727-744, set. 2012.
GOMES, Nilma Lino. O movimento negro educador: Saberes construídos na luta por emancipação. Petrópolis, RJ: vozez, 2017.
HERINGER, Rosana. Democratização da educação superior no Brasil: das metas de inclusão ao sucesso acadêmico. Revista Brasileira de Orientação Profissional, Porto Alegre, v. 19, n.1, p. 7-17, 2018.
HOOKS, Bell. Intelectuais negras. Estudos feministas, Florianópolis, v. 3, n.2, p. 464-478, ago/dez. 2005.
MOEHLECKE, Sabrina. Ação afirmativa: História e debates no Brasil. Cad. Pesqui., São Paulo, n. 117, p. 197-217, nov. 2002. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742002000300011.
OSANIIYI, Alexandre et al,. Apresentação dossiê. Revista Exitus, Santareém, v.9, n.4, 2019.
PAULA, Benjamin Xavier de; GUIMARAES, Selva. 10 anos da lei federal nº 10.639/2003 e a formação de professores: uma leitura de pesquisas científicas. Educ. Pesqui., São Paulo , v. 40, n. 2, p. 435-448, jun. 2014
PEREIRA, Amilca Araujo. O mundo negro: Relações raciais e a constituição do Movimento Negro contemporâneo no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2010.
PEREIRA, Amílcar A. Black Lives Matter Nos Currículos? Imprensa Negra E Antirracismo Em Perspectiva Transnacional. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 49, n. 172, p. 122–143, 2019.
PIOTTO, Débora Cristina. Trajetórias escolares prolongadas nas camadas populares. Cad. Pesqui., São Paulo , v. 38, n. 135, p. 701-707, dez. 2008 .
RAMOS, M.E.R; CUNHA JÚNIOR, Henrique Liberdade: Território de Maioria Afrodescendente Cultura, Autoconstrução e Espaço Urbano. In: XII ENA – Encontro Nacional da ANPUR, 2007, Belém. XII ENANPUR, 2007.
REGIS, Kátia; BASILIO, Guilherme. Currículo e Relações Étnico-Raciais: o Estado da Arte. Educ. rev., Curitiba , v. 34, n. 69, p. 33-60, June 2018 .
RIBEIRO, Maria Silvia et al. Estudos da infância: uma revisão. In: ARTES, Amélia. UNBEHAUM, Sandra. Escritos de Fúlvia Rosemberg. São Paulo: Cortez, 2015.
ROSEMBERG, Fúlvia. Da intimidade aos quiprocós: uma discussão em torno da análise de conteúdo. Cadernos CERU, São Paulo, n.16, p. 69-80, nov. 1981.
SANTOS, Alessandro de Oliveira dos; SCHUCMAN, Lia Vainer; MARTINS, Hildeberto Vieira. Breve histórico do pensamento psicológico brasileiro sobre relações étnico-raciais. Psicol. cienc. prof., Brasília , v. 32, n. spe, p. 166-175, 2012.
SANTOS, Alessandro de Oliveira dos; SCHUCMAN, Lia Vainer; MARTINS, Hildeberto Vieira. Breve histórico do pensamento psicológico brasileiro sobre relações étnico-raciais. Psicol. cienc. prof., Brasília , v. 32, n. spe, p. 166-175, 2012.
SANTOS, Augusto Sales dos .A Metamorfose de militantes negros em negros intelectuais. Mosaico, Rio de Janeiro, v. 5, p. 1-25, 2011.
SANTOS, José Antônio dos. Trajetórias intelectuais na imprensa negra meridional. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.
SAWAIA, Bader. B. A emoção como locus de produção do conhecimento: Uma reflexão inspirada em Vygotsky e no seu diálogo com Espinosa. In III Conferência de Pesquisa Sociocultural: Cultura A Dimensão Psicológica e a Mudança Histórica e Cultural, São Paulo, 2000.
SAWAIA, Bader. B. O sofrimento ético-político como categoria de análise da dialética exclusão/inclusão. In B. B. Sawaia (Org.), As artimanhas da exclusão uma análise ético-psicossocial da desigualdade. Petrópolis, RJ: Vozes,2006.
SILVA, Marcos Antonio Batista da. DISCURSOS ÉTNICO-RACIAIS DE PESQUISADORES (AS) NEGROS (AS) NA PÓS-GRADUAÇÃO: ACESSO, PERMANÊNCIA, APOIOS E BARREIRAS. Psicol. rev., Belo Horizonte, v. 22, n. 2, p. 537-540, ago. 2016.
SOTERO, Edilza Correia. Trajetória Educacional de Jovens Negros Beneficiados por Políticas de Ação Afirmativa na Cidade de Salvador. Dissertação (Mestrado em Sociologia) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.
SOUZA NETO, João Clemente de. Crianças e adolescentes afrodescendentes e o sistema de proteção integral. Laplage em Revista, [S.l.], v. 2, n. 3, p. p.122-135, out. 2016.
THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
VELLOSO, Jacques. Mestres e doutores no país: destinos profissionais e políticas de pós-graduação. In: Caderno de Pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, v. 34, n. 123 set/dez 2004, p. 583-611.
VENTURINI, Anna Carolina. Ações Afirmativas nos Programas de Pós-graduação Acadêmicos de Universidades Públicas. Levantamento das políticas de ação afirmativa (gemaa) / 2019
WAISELFISZ, Julio.J. Mapa da Violência 2016: Homicídios por armas de fogo no Brasil. Rio de Janeiro, FLACSO ,2016.
__________. Mapa da Violência 2013: Mortes Matadas por Armas de Fogo. Rio de Janeiro, FLACSO/CEBELA, 2013
XAVIER, Giovana. Por uma cultura acadêmica da negrada: o Encontro Nacional de Estudantes e Coletivos Negros Universitários na UFRJ, 2017. Disponível em < http://blogueirasnegras.org/por-uma-cultura-academica-da-negrada-o-encontro-nacional-de-estudantes-negros-e-coletivos-universitarios-na-ufrj/>. Acesso em 19. Jan 2020.
Publicado
2020-12-17
Visualizações
  • Artigo 99
  • PDF 58
Como Citar
Silva, M. A. (2020). Discursos étnico-raciais sobre o acesso e permanência na Pós-Graduação. Escritas Do Tempo, 2(6), 257-280. https://doi.org/10.47694/issn.2674-7758.v2.i6.2020.257280