Narrativas de resistência: Um diálogo entre estudos de gênero e biografias

  • Ingrid Mancilha Cesar UNESP
  • João Muniz Junior Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Biografia, Gênero

Resumo

Esse texto é uma resenha de O que pode a biografia, uma coletânea organizada por Alexandre Sá Avelar e Benito Bisso Schmidt, a qual trata dos limites da biografia, essa “escritura sobre a vida”, que ao longo do livro é abordada através de algumas pesquisas, identificando possibilidades, metodologias e problemáticas do “espaço biográfico”. A obra, que dá continuidade aos assuntos debatidos em coletânea anterior organizada por Avelar e Schmidt, Grafia da Vida (2013), possui 242 páginas com doze capítulos, divididos em duas linhas: a primeira é referente às questões teórico-metodológicas e a segunda, trata de experiências de pesquisa, com textos de Benito Schmidt; Deivy Ferreira Carneiro; Maria da Glória Oliveira; Mary Del Priore; Rose Silveira; Alexandre de Sá Avelar; Francisco Martinho; James N. Green; Jorge Ferreira; Laura de Mello Souza; Margareth Rago e por fim, Temístocles Cezar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALTO, Rômulo Monte. Verdade e ficção nos" Diários" de José María Arguedas. Caligrama: Revista de Estudos Românicos, v. 5, 2000, p. 175-188.
ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico: mapa do território. In O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2010, p. 35-82.
BARROS, José D.'Assunção. O campo da história: especialidades e abordagens. Editora Vozes Limitada, 2012.
LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico. De Rousseau à Internet. Organização de Jovita Maria G. Noronha. Trad. Jovita Maria G. Noronha e Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.
SMITH, Sidonie; WATSON, Julia. “Introduction: Situating subjectivity in women’s autobiographical practices”. In: _____.Women, autobiography, theory: A reader, 1998, p. 3-52.
Publicado
2020-07-01
Visualizações
  • Artigo 34
  • PDF 59
Como Citar
Cesar, I., & Muniz Junior, J. (2020). Narrativas de resistência: Um diálogo entre estudos de gênero e biografias. Escritas Do Tempo, 2(4), 344-348. Recuperado de https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/escritasdotempo/article/view/1237