Estratégias de ensino e aprendizagem para surdos no Ensino Superior

Palavras-chave: surdez, aprendizagem, Ensino Superior.

Resumo

O Brasil vem acompanhando uma tendência mundial propondo encaminhamentos e medidas denominadas inclusivas. No que refere ao meio universitário há uma discussão que vem ganhando espaço partindo da necessidade de adequações e inovações para a garantia de uma educação que beneficie todos. O presente artigo constitui-se de uma pesquisa bibliográfica, com o objetivo de compreender o fomento metodológico de permanência no Ensino Superior, em especial das estratégias de ensino utilizadas. Constatou-se que mesmo com o acesso à universidade favorecido pela legislação, os fatores da permanência, focalizados nas estratégias de ensino e aprendizagem atuais, precisam ser identificados e melhor utilizados. As estratégias foram descritas como: ação conjunta do TILS, texto didático, momento de acolhimento, acompanhamento com identificação de necessidades específicas de aprendizagem, Atendimento Educacional Especializado (AEE), reconhecimento do potencial de aprendizagem e formação continuada. Em conclusão a inclusão de surdos no Ensino Superior, está na dependência do uso de estratégias de ensino e de aprendizagem combinadas e discutidas entre as partes (professor, aluno e Tradutor Intérprete de Libras).   Palavras-Chave: surdez, aprendizagem, Ensino Superior.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Laisa de Castro. Trajetórias escolares de estudantes surdos e seus efeitos nos processos inclusivos no ensino superior. Dissertação. (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria-RS, Brasil, 2018.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 2 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Aviso Circular nº 277, de 08 de maio de 1996. Brasília-DF, 1996. Disponível em: portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aviso277.pdf Acesso em: 10 nov. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria no 1.679, de 2 de dezembro de 1999. Dispõe sobre requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, para instruir os processos de autorização e de reconhecimento de cursos, e de credenciamento de instituições. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/c1_1679.pdf. Acesso em: 30 mar. 2020.

BRASIL. Educação para todos: avaliação da década. Brasília: MEC/INEP, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília: MEC; SEESP, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf. Acesso em: 4 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 25 de abril de 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: 2008. Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 2 maio 2020.

BRASIL. MEC/SEESP. Presidência da República. Decreto nº 6.571, de 17 de março de 2008a. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado, regulamenta o parágrafo único do art.60 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto n. 6.253, de 13 de novembro de 2007. Diário Oficial da União, Brasília, nº188, 18 de setembro de 2008.

BRASIL. Lei nº 12.319, de 1º de setembro de 2010. Regulamenta a Profissão de Tradutor e Intérprete da Língua Brasileira de Sinais. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12319.htm Acesso em: 10 nov. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.711/2012, de 29 de Agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em: 19 nov. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Planejando a Próxima Década. Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Ministério da Educação/Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/Sase): Brasília, DF., 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Sinopse Estatística da Educação Superior 2017. [on line]. Brasília: Inep, 2017. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse. Acesso em: 28 dez. 2019.

BISOL, Cláudia Alquati et al. Estudantes surdos no ensino superior: reflexões sobre a inclusão. Cafajeste. Pesqui. São Paulo, v. 40, n. 139, p. 147-172, abril de 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742010000100008&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 4 jun. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000100008.

CAETANO, Fonseca Juliana; LACERDA, Cristina; SANTOS Lara. Estratégias metodológicas para o ensino de alunos surdos. Disponível em: http://ufscarlibras.blogspot.com/ Acesso em: 18 nov. 2019.

CORCINE, Lopes Maura. Surdez e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

DAROQUE Samantha Camargo; PADILHA Anna Maria Lunardi. Alunos surdos no Ensino Superior: uma discussão necessária. Comunicações. Piracicaba Ano 19 , n. 2, p. 23-32 jul.-dez. 2012. Disponível em:https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacoes/article/view/1534/1088 Acesso em: 27 dez. 2019.

FERREIRA Aline do Prado; CEZAR Amanda do Prado Ferreira. A promoção da Aprendizagem da Língua Portuguesa para estudantes surdos no Ensino Superior. In: PAVÃO, Ana Claudia Oliveira; PAVÃO, Silvia Maria de Oliveira. Atendimento Educacional Especializado: reflexões e práticas necessárias para a inclusão. Santa Maria: Ed. pE. Com. UFSM, 2018, p. 354.

GIL, A. C. Métodos e técnicas da pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GÓES, M.C.R. Com quem as crianças dialogam? In: GÓES, M.C.R.; LACERDA, C.B.F. (Org.). Surdez: processos educativos e subjetividade. São Paulo: Lovise, 1999. p. 29-50.


GOULARTE, Ravele Bueno. Acesso e permanência no ensino superior: estratégias de governamento da conduta de alunos surdos incluídos. Dissertação. (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria-RS, Brasil, 2014.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo da Educação Superior, 2017. Brasília: MEC, 2017.

LACERDA, C. B. F; SANTOS, L.F. Tenho um aluno surdo. E agora? Introdução à Libras e educação de surdos. São Carlos: EdUFScar, 2014.

LAVARDA, Eliane Sperandei. O currículo e a inclusão na educação superior: ações de permanência nos cursos de graduação da UFSM. Dissertação. (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria-RS, Brasil, 2014.

LIMA, Juliana Corrêa de. Estratégias para acadêmicos surdos na educação superior. Dissertação. (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria-RS, Brasil, 2018.

MENDES, K.D.S.; SILVEIRA, R.C.C.P.; GALVÃO, C.M. Revisão integrativa: método de pesquisa para incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Revista Texto e Contexto-Enfermagem, 17(4), 758-764. doi: 10.1590/S0104-07072008000400018.

PELLEGRINI, Cleonice Machado de. Ingresso, acesso e permanência de alunos com necessidades educacionais especiais na Universidade Federal de Santa Maria – UFSM – RS. Dissertação. (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria-RS, Brasil, 2006.

PERLIN, Gladis; STROBEL, Karin Lílian. Fundamentos da Educação de Surdos. Florianópolis: UFSC, 2006.

SANTANA, Ana Paula. A Inclusão do Surdo no Ensino Superior no Brasil. Journal of Research in Special Educational Needs. V. 16, Number s1 2016. Disponível em: Santana-2016-Journal_of_Research_in_Special_Educational_Needs.pdf. Acesso em: 12 nov. 2019.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, 8(1), 102-6. ISSN: 2317-6385.

STOLZ, Mariléia Lúcia Stolz. Vivência acadêmica de estudantes surdos na UFSM: ingresso, adaptação, permanência e conclusão. Dissertação. (Mestrado em Psicologia), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria-RS, Brasil, 2019.

STOLZ, Mariléia Lúcia et al. Acessibilidade dos surdos no Ensino Superior: realidade da UFSM. In: ADAIME, Martha Bohrer et al. Promoção da Aprendizagem e Tecnologias Educacionais: Aprendizagem no Ensino Superior Acessibilidade e Ações Afirmativas. Santa Maria, RS: FACOS-UFSM, 2019. e-book, p. 171-2.

STUMPF, Marianne Rossi. Práticas de Bilinguismo relato de experiências. Educação Temática Digital, Campinas, v.7, n.2, p. 285-91, 2006.

UECKER, Taciana; BUENO, Évelyn da Rocha; FIORIN, Bruna Pereira Alves. Prevenção e Promoção da aprendizagem e saúde na Educação Superior. In: PAVÃO, Ana Claudia Oliveira; PAVÃO, Silvia Maria de Oliveira. Atendimento Educacional Especializado: Aprendizagem Saúde e Inclusão Santa Maria: Ed. pE. Com. UFSM, 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA, 2020. Manancial- Repositório Digital. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/ Acesso em: 2 maio 2020.

URBAN, Retko Juliane et al. O aluno surdo e o processo de aprendizagem na educação profissional. In: Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia, 2016. Disponível em: http://www.sinect.com.br/2016/down.php?id=3472&q=1 Acesso em: 09 nov. 2019.

WITCHS, Pedro Henrique; LOPES, Maura Corcini; COELHO, Orquídea. Formas possíveis de ser nas políticas linguísticas de educação de surdos em Portugal. Educ. Soc., Campinas, v. 40, e0202053, 2019 . Available from http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302019000100316&lng=en&nrm=iso Acesso em: 2 maio 2020. Epub July 04, 2019. https://doi.org/10.1590/es0101-73302019202053.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos satisfação das necessidades básicas de aprendizagem, Jomtien, Tailândia 1990. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por.pdf. Acesso em: 2 maio 2020
Publicado
2021-08-27
Visualizações
  • Artigo 64
  • PDF 63
Como Citar
dos Reis Brasil, J., dos Santos Cá, T., & de Oliveira Pavão, S. (2021). Estratégias de ensino e aprendizagem para surdos no Ensino Superior. Escritas Do Tempo, 3(8), 263-282. https://doi.org/10.47694/issn.2674-7758.v3.i8.2021.263282