Livros didáticos: autoria em questão

Palavras-chave: livro didático, autoria, ensino de história, currículo, sujeito

Resumo

A autoria de livros didáticos tem ocupado, em nossa sociedade, um lugar secundarizado em parte decorrente da desvalorização dos conhecimentos e materiais produzidos na/para a instituição escolar. Reconhecendo a relevância de pesquisas que buscam compreender a especificidade e complexidade dessa produção, discutimos, em diálogo com as teorizações foucaultianas sobre “o que é um autor”, a autoria de livros didáticos em perspectiva de investigação que a considera uma função discursiva, constituinte de sujeitos em contextos nos quais saberes e poderes são disputados, negociados, validados. Essa questão é discutida no âmbito das políticas públicas e do mercado editorial brasileiro, no qual profundas transformações têm afetado as condições e possibilidades do exercício desta função, reposicionando sujeitos e suas produções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Soares Ralejo, Positivo Soluções Didáticas
Doutora em Educação (UFRJ). Pesquisadora em ensino de História do GEHPROF/UFRJ.  
Ana Maria Ferreira da Costa Monteiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade católica do Rio de Janeiro/PUCRIO. Professora titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Líder do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino de História/LEPEH, pesquisadora do Laboratório do Núcleo de Estudos Curriculares/LaNEC e do Grupo de Pesquisa, Interinstitucional, Oficinas da História

Referências

BALL, S. J. “Diretrizes políticas globais e relações políticas locais em educação”. Currículo sem fronteiras, v1,n.2, p.99-116, 2001.
BARTHES, Roland. “A morte do autor”. In: O Rumor da Língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
BITTENCOURT, C. M. F.. Livro didático e saber escolar 1810-1910. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.
_______________. Autores e editores de compêndios e livros de leitura (1810-1910). Educação e Pesquisa, 30(3), 2004, p. 475-491.
CASSIANO, C. C. de F. O mercado do livro didático no Brasil do século XXI: a entrada do capital espanhol na Educação nacional. São Paulo: Editora Unesp, 2013.

CERRI, L. F.; FERREIRA, A. R. Notas sobre as demandas sociais de representação e os livros didáticos de História. In: OLIVEIRA, M. M. D. de; STAMATTO, M. I. S. (Org.). O livro didático de história: políticas educacionais, pesquisas e ensino. Natal: EDUFRN, 2007.

CHARLOT, B. Du rapport au savoir. Éléments pour une théorie. Paris: Ed Economica, 1997.

FISCHER, R. M. B. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p. 197-223, nov/2001.
FONSECA, M. A. Michel Foucault e a constituição do sujeito. 3ª ed. São Paulo: EDUC, 2011.
FOUCAULT, Michel. “O que é um autor”. In: Ditos e Escritos: Estética – literatura e pintura, música e cinema (vol. III). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001. p.264-298
___________________ A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 22ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012.
GABRIEL, C. T. MORAES, L. M. S. Conhecimento escolar e conteúdo: possibilidades de articulação nas tramas da didatização. In: GABRIEL, C. T.; MORAES, L. M. S. (Orgs.) Currículo e conhecimento: diferentes perspectivas teóricas e abordagens metodológicas. Petrópolis: De Petrus: Faperj, 2014.
GATTI JR, D. A escrita escolar da História: livro didático e ensino no Brasil (1970-1990). Bauru/SP: EDUSC. Uberlândia/MG: EDUFU., 2004ª
MACEDO, E. Currículo: política, cultura e poder. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, jul/dez, 2006.
MUNAKATA, Kazumi. Os autores de livros didáticos na virada do século. In: GAPARELLO, A.; VILLELA, H.(org.) Educação na história: intelectuais, saberes e ações instituintes. Rio de Janeiro: MAUAD X, 2016
__________________. Devem os livros didáticos de história ser condenados?. In: Helenice Rocha; Marcelo Magalhães; Rebeca Gontijo. (Org.). A escrita da história escolar: memória e historiografia. 1ed.Rio de Janeiro: FGV, 2009, v. 1, p. 281-292.
___________________. Produzindo livros didáticos e paradidáticos. Tese de doutorado. PUC-SP, 1997
SAMPAIO, F. A. de A; CARVALHO, A. F. de. Com a palavra, o autor: em nossa defesa: um elogio à importância e uma crítica às limitações do Programa Nacional do Livro Didático. São Paulo: Editora Sarandi, 2010
SOUZA, D. M. Autoridade, autoria e o livro didático. Contexturas, n. 3, 1996
VEIGA-NETO, A. Foucault & a Educação. 2ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007
VILELA, C. L. Currículo de geografia: analisando o conhecimento escolar como discurso. Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2013
Publicado
2020-10-30
Visualizações
  • Artigo 37
  • PDF 27
Como Citar
Ralejo, A., & Monteiro, A. M. (2020). Livros didáticos: autoria em questão. Escritas Do Tempo, 2(5), 117-134. https://doi.org/10.47694/issn.2674-7758.v2.i5.2020.117134
Seção
v. 2 n. 5 (2020) Dossiê: Ensino de História, livro didático e formação docente