O estado de exceção e a experiência da Primeira Guerra Mundial no Brasil (1917-1918)

Palavras-chave: Primeira Guerra Mundial, Brasil, estado de exceção, guerra total

Resumo

Experiência paradigmática do século XX, a Primeira Guerra Mundial foi uma guerra global, mobilizando recursos humanos e materiais de todas as partes do mundo, fossem territórios neutros, beligerantes ou seus respectivos impérios coloniais. O Brasil, em estado de guerra no fim de 1917, foi uma dessas nações e, a partir de tensões que conjugaram problemas internos e externos, o Governo declarou o estado de sítio no mesmo ano, suprimindo, assim, as garantias constitucionais. Buscamos com o presente artigo delinear o contexto da promulgação da medida, relacionando-o com o processo transnacional de totalização da guerra e a instauração do estado de exceção em outros países.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Bana Arouca, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Graduada em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Mestre em História Social pela mesma universidade, atualmente é doutoranda do PPGHIS-UFRJ. Desenvolve tese sobre propaganda e censura da Primeira Guerra Mundial no Brasil a partir de uma perspectiva transnacional, com estágio doutorado sanduíche na Queen Mary University of London (2021-2022) e apoio financeiro da CAPES. 

Referências

Fontes

Anais Senado Federal

Arquivo Histórico do Itamaraty (Rio de Janeiro)

Fundação Biblioteca Nacional – Hemeroteca Digital. Jornais (1914-1919): Correio da Manhã (RJ), Gazeta de Notícias (RJ) e Imparcial, O (RJ).

National Archives (Londres)

Portal Câmara dos Deputados – Diários e Anais

Bibliografia

AGAMBEN, Giorgio. Estado de Exceção. São Paulo: Boitempo, 2004

ALBERT, Bill. South America and the First World War: The Impact of the War on Brazil, Argentina, Peru and Chile. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

BECKER, Annette. A Primeira Guerra Mundial, um laboratório para o século. In: CORREIA, Sílvia; MORELI, Alexandre. Tempos e Espaços de Violência: a Primeira Guerra Mundial, a Desconstrução dos Limites e o início de uma Era. Rio de Janeiro: Autografia, p. 243-260, 2019.

BIONDI, Luigi. A Greve Geral em São Paulo e a Imigração Italiana: Novas Perspectivas. Cadernos AEL: Imigração, v. 15, n. 27, p. 259-310, 2009.

BISHER, Jamie. The Intelligence War in Latin America, 1914–1922. Jefferson: McFarland & Company, 2016.

BONOW, Stefan Chamorro. A desconfiança sobre os indivíduos de origem germânica em Porto Alegre durante a Primeira Guerra Mundial: cidadãos leais ou retovados? Tese (Doutorado em História) — Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

BRUM, Cristiano Enrique de. A (des)mobilização de médicos na Grande Guerra: o caso da Missão Médica Brasileira na França (1918-1919). Tese (Doutorado em História) — Escola de Humanidades, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

BUENO, Clodoaldo. Política externa da Primeira República: os anos de apogeu (1902 a 1918). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003, p. 484-485.

CARVALHO, José Murilo. A Formação das Almas. O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CHICKERING, Roger. Total War. The Use and Abuse of a Concept. In: BOEMEKE, Manfred F.; CHIKERING, Roger; FÖRSTER, Stig (eds.). Anticipating total war: the German and American experiences, 1871-1914 Cambridge: Cambridge University Press, p. 13-28, 1999.

COMPAGNON, Olivier et al. (orgs.). La Gran Guerra en América Latina: una historia conectada, Ciudad de México, CEMCA, 2018.

COMPAGNON, Olivier; PURSEIGLE, Pierre. Geographies of Mobilization and Territories of Belligerence during the First World War. Annales HSS, v. 71, n. 1, p. 37-60, 2016.

COTTER, Cornelius P. Constitutionalizing Emergency Powers: The British Experience. Stanford Law Review, v. 5, n. 3, p. 382-417, 1953.

CROCHET, François. Les débuts de la Grande Guerre en France: dictature imposée du militaire ou retrait du politique. Revue historique des armées [En ligne], v. 248, p. 1-11, 2007.

DARÓZ, Carlos. O Brasil na Primeira Guerra Mundial. São Paulo: Contexto, 2016.

DEHNE, Philip A. On the far Western front Britain's First World War in South America. New York: Manchester University Press, 2010.

DEUTSCH, Sandra McGee. Las Derechas: The Extreme Right in Argentina, Brazil, and Chile, 1890-1939. Palo Alto: Stanford University Press, 1999.

DEUTSCH, Sandra McGee. Las Derechas: The Extreme Right in Argentina, Brazil, and Chile, 1890-1939. Palo Alto: Stanford University Press, 1999, p. 111; COMPAGNON, 2014a, p. 135-137 e DARÓZ, 2016, p. 108.

ÉTAT de siège, censure: un passage brutal à l’état de guerre. In: Musée de la Grande Guerre. Disponível em : <https://www.museedelagrandeguerre.eu/fr/espace-pedagogique/dossiers-documentaires/mobilisation/etat-de-siege.html>. Acesso em: 20 mai. 2020.

FAGUNDES, Luciana. Impactos culturais da Primeira Guerra Mundial no Brasil: pequeno debate historiográfico. Historia & Guerra, v. 1, p. 3-22, 2021.

FAUSTO, Boris. Trabalho urbano e Conflito social: 1890- 1920. São Paulo: Difel, 1977.

FERREIRA, Marieta de Moraes (Coord.). A República na Velha Província. Rio de Janeiro: Rio Fundo, 1989.

GARAMBONE, Sidney. A Primeira Guerra Mundial e a Imprensa Brasileira. Rio de Janeiro: Mauad, 2003.

GASPARETTO JÚNIOR, Antonio. Autoritarismo Constitucional. Um estudo sobre o estado de sítio no Brasil republicano. Anais do XIX Encontro Regional de História. Juiz de Fora, p. 1-9, 2014.

GASPARETTO JÚNIOR, Antônio. Recursos extremos da administração estatal: as declarações de estado de sítio na Primeira República Brasileira. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2018.

GASTÓN SÁNCHEZ, Emiliano. Guerra de palabras. Representaciones, debates y alineamientos de la prensa y la opinión pública de Buenos Aires ante la Gran Guerra (1914 ‒1919). 392f. Doutorado (Tese em Antropologia), Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires, 2014.

GODOY, Arnaldo Sampaio de Moraes. O estado de exceção na experiência constitucional brasileira. Revista de Estudos Constitucionais, Hermenêutica e Teoria do Direito (RECHTD), v.8, n. 3, p. 286-302, 2016.

GUERRA, Maria Pia dos Santos Lima. Anarquistas, trabalhadores, estrangeiros: a construção do constitucionalismo brasileiro na Primeira República. Mestrado (Dissertação em Direito), Universidade Federal de Brasília, 2012, p. 136

HORNE, John. End of a Paradigm? The Cultural History of the Great War. Past and Present, n. 242, p. 155-192, 2019.

HORNE, John. Introduction: mobilizing for ‘total war’, 1914-1918. In: HORNE, John (Ed.). State, society and mobilization in Europe during the First World War. New York: Cambridge University Press, p. 1-17, 1997.

HULL, Isabel V. A Scrap of Paper. Breaking and Making International Law during the Great War. Ithaca: Cornell University Press, 2014.

HYNES, Gregory: Defence of the Realm Act (DORA). In: 1914-1918-online. International Encyclopedia of the First World War. Berlin: Freie Universität Berlin, 2017. Disponível em: <https://encyclopedia.1914-1918-online.net/article/defence_of_the_realm_act_dora> Acesso em: 12 mai. 2020.

KREPP, Stella; MORELI, Alexandre. Defying Ideas and Structures: Writing Global History from Latin America. World History Bulletin, v. 33, n. 2, p. 28-31, 2017.

LIMA, Geórgia Kerle dos Santos. Estado de exceção e constituição após a Primeira Guerra Mundial (des)construção. Revista Portuguesa de História, v. XLV, p. 227-248, 2014.

LOPREATO, Christina Roquette. O Espírito da Revolta: a greve geral anarquista de 1917. Tese (Doutorado em História), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

LOPREATO, Christina Roquette. O espírito das leis: anarquismo e repressão política no Brasil. Verve, n. 3, p. 75-91, 2003.

LUEBKE, Frederick C. Germans in Brazil: A Comparative History of Cultural Conflict During World War I. Baton Rouge and London: Louisiana State University Press, 1987.

LYNCH, Christian Edward Cyril. O Caminho para Washington Passa por Buenos Aires: a recepção do conceito argentino de estado de sítio e o seu papel na construção da República brasileira (1890-1898). Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 27, n. 78, p. 149-196, 2012.

MAGALHÃES, Marionilde B. de. Racismo no sul do Brasil: heranças de um mito. Revista de História, n. 12-131, p. 165-178, 1994.

MOSSE, George L. Fallen Soldiers: Reshaping the Memory of the World Wars. New York: Oxford University Press, 1990.

PANAYI, Panikos. Germans as Minorities during the First World War: Global Comparative Perspectives. In: PANAYI, Panikos (Org.). Germans as Minorities during the First World War. A Global Comparative Perspective. Londres: Routledge, 2014.

PIRES, Lívia Claro. Intelectuais nas trincheiras: a Liga Brasileira pelos Aliados e o debate sobre a Primeira Guerra Mundial (1914-1919). 2013. Mestrado (Dissertação em História), Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

PIVATTO, Priscila Maddalozzo. Discursos Sobre o Estado de Sítio na Primeira República Brasileira: uma abordagem a partir das teorias de linguagem de Mikhail Bakhtin e Pierre Bourdieu. Mestrado (Dissertação em Teoria do Estado e Direito Constitucional), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

RINKE, Stefan. Latin America and the First World War. Cambridge: Cambridge University Press, 2017.

SANTOS, Kauan William dos. Paz entre nós, guerra aos senhores. O internacionalismo anarquista e as articulações políticas e sindicais nos grupos e periódicos anarquistas Guerra Sociale e A Plebe na segunda década do século XX em São Paulo. Mestrado (Dissertação em História), Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, 2016.

SANTOS, Luis Cláudio Villafañe G. A América do Sul no Discurso Diplomático Brasileiro. Brasília: Fundação Alexandre Gusmão, 2004.

SEGESSER, Daniel Marc. Controversy: Total War: In: 1914-1918-online. International Encyclopedia of the First World War. Berlin: Freie Universität Berlin, 2014. Disponível em: <https://encyclopedia.1914-1918-online.net/article/controversy_total_war>. Acesso em: 28 mar. 2022.

SORRIE, Charles. Censorship of the Press in France 1917-1918. Tese de Doutorado. London School of Economics and Political Science, Londres, 2014.

STRACHAN, Hew. Essay and Reflection: On Total War and Modern War. The International History Review, v. 22, n. 2, p. 341-370, 2000.

STRACHAN, Hew. The First World War as a global war. First World War Studies, v. 1, n. 1, p. 3-14, 2010.

TATO, Maria Inés. Contra la corriente. Los intelectuales germanófilos argentinos frente a la Primera Guerra Mundial. Jahrbuch für Geschichte Lateinamerikas, v. 49, n. 1, p. 205-224, 2013.

VINHOSA, Francisco Luiz Teixeira. O Brasil e a Primeira Guerra Mundial: a diplomacia brasileira e as grandes potências. Rio de Janeiro: IHGB, 2015 [1990].

VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro. O Teatro das Oligarquias. Uma revisão da “política do café com leite”. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

VOGT, Olgario Paulo. O alemanismo e o perigo alemão na literatura brasileira da primeira metade do século XX. Signo. Santa Cruz do Sul, v. 32, n. 53, p. 225-258, 2007.

WEINSTEIN, Barbara. Pensando a história fora da nação: a historiografia da América Latina e o viés transnacional. ANPHLAC, n. 14, p. 9-36, 2013.

WELCH, David. Germany, Propaganda and Total War. The Sins of Omission. New Brunswick, NJ: Rutgers University Press, 2000.

Publicado
2022-12-26
Visualizações
  • Artigo 47
  • PDF 20
Como Citar
Arouca, F. (2022). O estado de exceção e a experiência da Primeira Guerra Mundial no Brasil (1917-1918). Escritas Do Tempo, 4(12), 10-30. https://doi.org/10.47694/issn.2674-7758. v4.i12.2022.1030