Uma espectrografia do autoritarismo: o tempo da Ditadura na literatura do século XXI (2000-2020)

Palavras-chave: Ditaduras militares, Literatura brasileira contemporânea, Bernardo Kucinski

Resumo

Narrar um período histórico é sempre contingente a questões políticas, sociais, históricas, culturais e temporais. No caso de um período histórico recente como as ditaduras do Cone Sul do século XX e, em especial, a ditadura brasileira de 1964 a 1985, “o que foi” (ou o que é) ainda está em disputa. A história do passado é reconstruída no presente quando recuperamos, reacendemos, reincorporamos e mesmo modificamos o modo de ver, de contar e de dizer. Este artigo pretende apresentar e situar histórica, social, literária e temporalmente a catalogação da produção de narrativas literárias longas em que as ditaduras militares brasileiras e do Cone Sul são recuperadas e reconstruídas literariamente, no século XXI, bem como sua relação formal, estética e temática com o período em questão. Também se dedicará a pensar como a obra de Bernardo Kucinski pode ser lida a partir dos deslocamentos temporais que opera e da relação com as diferentes temporalidades em que se situa, da justiça, da memória e da história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lua Gill da Cruz, Universidad de Chile

É leitora de língua portuguesa, literatura e cultura brasileira na Universidad de Chile, no âmbito do programa Leitorado do Ministério das Relações Exteriores e CAPES. Fez doutorado em Teoria e História Literária na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Foi Visiting Research Fellow no Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros na Brown University. Atua na área de Literatura, com interesse especial na literatura contemporânea brasileira, e a relação entre literatura e direitos humanos, literatura e ditadura, literatura de testemunho e literatura e trauma.

Referências

ATENCIO, Rebecca J. Memory’s turn: reckoning with dictatorship in Brazil. Madison, Wisconsin: The University of Wisconsin Press, 2014.

BAUER, Caroline. Como será o passado? História, historiadores e a Comissão Nacional da Verdade. Jundiaí, SP: Paco, 2017.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Tradução Rubens Rodrigues Torres Filho; Jose Carlos Martins Barbosa. 5. ed. ed. São Paulo, SP: Brasiliense, 1995.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Tradução Irene Aron. 2.reimpr ed. Belo Horizonte: Ed. de la Univ. Federal de Minas Gerais, 2009.

BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. São Paulo (SP): WMF M. Fontes, 2010.

BRAFF, Menalton. Na teia do sol: romance. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2004.

CARUTH, Cathy. Modalidade do despertar traumático (Freud, Lacan e a ética da memória). SELIGMANN-SILVA, Márcio; NESTROVSKI, Arthur (orgs.). Catástrofe e Representação. São Paulo: Escuta, 2000. .

JELIN, Elizabeth. Los trabajos de la memoria. Madrid: Siglo XXI de España Editores : Social Science Research Council, 2002. (Coleccíon Memorias de la represión, 1).

KUCINSKI, B. Os visitantes: novela. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 2016.

KUCINSKI, Bernardo. A nova ordem. São Paulo: Espaço Alameda, 2019.

KUCINSKI, Bernardo. Alice: não mais que de repente. Rio de Janeiro: Rocco, 2014a.

KUCINSKI, Bernardo. Júlia. Jundiaí, SP: Espaço Alameda, 2020.

KUCINSKI, Bernardo. K: relato de uma busca. São Paulo, SP: Cosac Naify, 2014b.

KUCINSKI, Bernardo. Você vai voltar pra mim: e outros contos. São Paulo: Editora Cosac Naify, 2014c.

LÍSIAS, Ricardo. Dez fragmentos sobre a literatura contemporânea no Brasil e na Argentina ou de como os patetas sempre adoram o discurso do poder. O que resta da ditadura. São Paulo: Boitempo, p. 319–328, 2010.

LUDMER, Josefina. Aqui América latina: uma especulação. Tradução Rômulo Monte Alto. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2013. (Humanitas).

MARTINS FILHO, João Roberto. A guerra da memória: a ditadura militar nos depoimentos de militantes e militares. Varia História, v. 28, p. 178–201, 2002.

MILTON, Cynthia E. (Org.). Art from a fractured past: memory and truth-telling in post-Shining Path Peru. Durham: Duke University Press, 2014.

PAIVA, Marcelo Rubens. Ainda estou aqui. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2015.

PELLEGRINI, Tânia. Gavetas vazias: ficção e política nos anos 70. Campinas, SP, Brasil : São Carlos, SP, Brasil: Mercado de Letras ; Editora da UFSCar, Universidade Federal de São Carlos, 1996.

PERLATTO, Fernando. História, literatura e a ditadura brasileira: historiografia e ficções no contexto do cinquentenário do golpe de 1964. Revista Estudos Históricos, v. 30, n. 62, p. 721–740, 2017.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Unicamp, 2007.

ROUSSEAUX, Fabiana; SEGADO, Stella (Org.). Territorios, escrituras y destinos de la memoria: diálogo interdisciplinario abierto. Temperley: Tren en movimiento, 2018.

SARACENI, Gina. Escribir hacia atrás: herencia, lengua, memoria. Rosario: Beatriz Viterbo Editora, 2008.

SCHNEIDER, Henrique. Setenta. Porto Alegre: Não Editora, 2019.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. A história como trauma. In: SELIGMANN-SILVA, MÁRCIO; NESTROVSKI, ARTHUR ROSENBLAT (Org.). Catástrofe e representação. São Paulo: Escuta, 2000. .

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Narrar o trauma - A questão dos testemunhos de catástrofes históricas. Psicologia clínica, v. 20, n. 1, 2008.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Narrativas contra o silêncio: cinema e ditadura no Brasil. In: SELIGMANN-SILVA, MÁRCIO; HARDMAN, FRANCISCO FOOT; GINZBURG, JAIME. Escritas da violência. Vol. II. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2012. .

SIKKINK, Kathryn. The justice cascade: how human rights prosecutions are changing world politics. New York: W.W. Norton & Co, 2011.

STERN, Steve J. Reckoning with Pinochet: the memory question in democratic Chile, 1989-2006. Durham, NC: Duke University Press, 2010.

VECCHI, Roberto; DALCASTAGNÈ, Regina. Apresentação. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 43, p. 11–12, jun. 2014.

WINTER, Jay. A geração da memória: reflexões sobre o “boom da memória” nos estudos contemporâneos de história. Palavra e Imagem, Memória e escritura. Chapecó, p. 67–90, 2006.

Publicado
2023-01-05
Visualizações
  • Artigo 31
  • PDF 29
Como Citar
Gill da Cruz, L. (2023). Uma espectrografia do autoritarismo: o tempo da Ditadura na literatura do século XXI (2000-2020). Escritas Do Tempo, 4(12), 262-282. https://doi.org/10.47694/issn.2674-7758. v4.i12.2022.262282